quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Voldemort: Origins of the Heir


No dia 13 de janeiro de 2018 foi finalmente lançado no Youtube, em formato totalmente gratuito, o novo filme do universo Harry Potter, mas calma, este não é um produto oficial. Voldemort: Origins of the Heir é um filme feito por fãs, que passou por algumas dificuldades pouco depois de ser anunciado no ano passado, mas após aprovação da Warner Bros, com a garantia destes fãs que o filme não iria ser usado para qualquer fim lucrativo, houve sinal verde para avançar e agora temos o filme finalmente disponível. Este é um filme com cerca de 50 minutos, o que para os padrões internacionais significa que é considerada uma longa-metragem.


Neste curto filme são contados os acontecimentos da origem de Voldemort, mas de forma muito subtil. Os autores pegaram em toda a informação conhecida sobre Tom Riddle, encaixando depois uma história simples que pudesse interligar todos os acontecimentos e assim foi realizado este pequeno filme. Uma coisa é certa, quando virem este filme vão pensar exatamente aquilo que se pretende: é um filme feito por fãs. A história está bastante simples, mas conta o suficiente em filme aquilo que até agora tínhamos apenas em texto.

Os efeitos especiais estão muito bem trabalhados e todo o guarda-roupa ajuda a criar este trabalho mais credível. Por momentos, os efeitos parecem até um pouco exagerados, mas nada que arruíne a experiência. Falando em arruinar a experiência, há um aspeto que não gostei nada, mas entendo o motivo de o terem feito. O filme é em certas partes dobrado em inglês, isto porque a equipa é italiana e se há coisa que eu mais detesto em filmes live-action é a dobragem do áudio. Talvez por ser de um país onde o hábito é apenas dobrar filmes animados ou para crianças, esta característica deixou-me profundamente irritado a ver o filme, acabando por não desfrutar verdadeiramente. Julgo que poderiam ter as duas versões disponíveis para que nós pudéssemos decidir em que língua ver.

Voldemort: Origins of the Heir é uma excelente amostra do que os fãs são capazes de fazer para representar as suas visões dentro deste universo. É um trabalho bem conseguido, que não corre muitos riscos em termos de história, mas conta o necessário. Tem efeitos especiais bem interessantes para o tipo de trabalho que é e apresenta personagens bem caracterizadas. A realização, por vezes torna as cenas algo confusas e com a dobragem do diálogo fica estranho quem está ou não a falar. Com a pequena duração fica também difícil de nos ligarmos às personagens aqui apresentadas, especialmente a personagem Grisha McLaggen, que é a mais importante e todo o desenrolar da aventura. Talvez a personagem que tenha gostado mais foi a de Wiglaf Sigurdsson, o herdeiro de Ravenclaw. Gostei da caracterização e da forma como o ator criou a sua personagem.

Temos sempre de relembrar que este é um filme feito por fãs, sem grandes orçamentos e teve ainda a oportunidade de ter luz verde da produtora Warner Bros. Não é qualquer um que consegue tal feito. Fiquem com o filme e desfrutem de 50 minutos de puro potterhead em movimento.

Atenção: Apesar de alguns problemas que este filme apresenta, a nota 7 dada reflete o imenso trabalho que tem em realizar uma produção desta dimensão e a qualidade de imagem que esta apresenta. O trabalho não está perfeito, mas sem dúvida que é um grande trabalho de produção que aqui foi realizado. Com alguns tweeks e poderiamos ter aqui um grande trabalho de fãs.

Nota: 7/10
Eduardo Rodrigues
Escrito por:

Nascido em Coimbra, a residir bem perto e a estudar cá. Considero-me um geek, um devorador de filmes e adoro ler um bom Comic. Gosto de videojogos e adoro o mundo Nintendo. Tenho uma pequena coleção que vai desde a Mega Drive até à Wii U. Adepto quase fanático da Briosa e um assistente fervoroso no estádio.

  • 2Blogger
  • Facebook

2 Comentários

  1. Gostei muito do filme. Não está perfeito, é certo, mas mostra a verdadeira dedicação dos fãs e todo o trabalho que tiveram. Acho que podiam ter explorado um pouco mais a história, mas isso implicava mais horas de filme e, consequentemente, mais orçamento.
    Em alguns momentos achei os efeitos speciais um pouco exagerados, no entanto gostei e espero que continuem a explorar a história.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu para mim um dos problemas que mais me estragou a experiência neste filme foi mesmo a questão do áudio. Não consigo entender a razão de terem filmado partes em italiano e partes em inglês e depois terem gravado toda a voz à parte. Ficou estranho e irritante.

      Eliminar