O Sétimo Filho

O inicio deste ano, precisamente no dia 1, foi com uma inesperada ida ao cinema, onde acabamos por visualizar o filme acabadinho de estrear, O Sétimo Filho. Um título de fantasia que conta com realização do russo Sergei Bodrov e com um, até incrível elenco. Ter nomes Julianne Moore, Kit Harington ou Jeff Bridges são sem dúvida argumentos de peso para fazer valer algo a este filme.


A verdade é que pouco conhecia deste título até umas semanas antes do seu lançamento ter visto um trailer aquando da exibição do Hobbit no cinema. Fiquei algo curioso, mas percebia-se que não era um filme de milhões, apenas um título de inicio de ano comum até. Pelo menos à uns anos que vejo o cinema nas primeiras semanas de Janeiro a receberem títulos deste género e mais ou menos dentro do mesmo valor cinematográfico. E querem saber? Ainda bem, pois é um género que gosto bastante. Os filmes até podem não ser de grande valor, mas são sempre diferentes e bem vindos, pelo menos para mim.



E este The Seventh Son, ou em português, muito bem traduzido por sinal, O Sétimo Filho, acabou por me surpreender. Talvez por ter chegado sem qualquer tipo de expectativas e vendo apenas um pequeno trailer tenha sido um bom factor para ter ficado positivamente satisfeito com o filme.

O elenco sem dúvida que ajuda bastante, pois além da grande Julianne Moore temos presente Jeff Bridges e peço desculpa a quem não goste deste senhor, mas eu acho-o fantástico e só é pena que nos últimos anos apenas tenha recebido papeis assim, abaixo do que devia. Gostaria realmente de o ver numa grande produção a fazer o que melhor ele sabe. Não é um ator novo nem com uma grande diversidade, pois acho que ele encaixa em poucos tipos de papeis, mas sinceramente nos que entra é qualquer coisa de muito bom.

A história é uma história de fantasia que envolve dragões, o que ainda mais ajuda ao meu gosto, mas a ideia aqui são bruxas, bruxarias e caçadores de bruxas. A trama envolve-se dentro deste ambiente e a história não sendo muito complexa consegue entreter o suficiente. Acho por não ter uma trama muito complicada acaba por ajudar o filme a conseguir desenvolver-se sem ser muito aborrecido e ainda bem.

Fiquei agradado e por isso dou nota positiva ao filme. Não é uma obra prima da fantasia, mas é um filme a ver e até a rever. Por isso se gostam do género não deixem este filme passar ao lado pois ele vale a pena de ver.

5
O Sétimo Filho
Assim Assim
Eduardo Rodrigues
Escrito por:

Nascido em Coimbra, a residir bem perto e a estudar cá. Considero-me um geek, um devorador de filmes e adoro ler um bom Comic. Gosto de videojogos e adoro o mundo Nintendo. Tenho uma pequena coleção que vai desde a Mega Drive até à Wii U. Adepto quase fanático da Briosa e um assistente fervoroso no estádio.

1 comentário: