Perdido em Marte

Foi tarde, mas chegou. Finalmente dirigi-me ao cinema para ver Perdido em Marte. O novo filme de Ridley Scott com Matt Damon no papel principal. Um filme que me intrigou desde inicio por se mostrar ambicioso para o estilo que apresentava. Ainda está muito presente na memória Interstellar e fica difícil aceitar um filme que se quer tão realista em termos científicos, mas o que é certo é que Perdido em Marte consegue pontos positivos.


Um filme onde Matt Damon consegue uma interpretação muito interessante e que o volta a colocar no espaço depois de no ano passado fazer um papel secundário em Interstellar. Damon parece ter ganho gosto pela experiência e aqui consegue colocar-se no foco, muito bem deve-se dizer. Muitas interpretações interessantes neste filme, mas claro, todas muito secundárias.



Tenho de dar foco, sim ao ator Michael Peña, que tem se colocado nos lugares certos. Este ator consegue ser o ideal para papeis secundários. Pode até ser um bocado mau esta situação, nunca se conseguindo destacar em papel principal, mas a verdade é que Peña tem um enorme destaque nos filmes que tem feito, mesmo não sendo a estrela principal. Seja em Homem-Formiga, seja aqui em Perdido em Marte o seu papel assenta-lhe perfeitamente e consegue destacar-se impecavelmente.

Ridley Scott, realizador, que no seu último filme Exodus: Deuses e Reis não mostrou muito daquilo que pode fazer, redime-se aqui. A verdade é que toda a gente espera pelo próximo Alien, mas nos entretantos o realizador acaba por se encontrar noutros trabalhos, sendo que neste não foram da melhor qualidade, mas agora podemos respirar fundo e apreciar uma experiencia espacial ao estilo de Ridley Scott.

A história tem a sua elegância e se há algo fascinante que já referi é a procura por usar factos científicos reais. Isso mais que tudo torna esta experiência extremamente realista e rica em detalhes. Muito mais interessante que outros filmes passados em Marte onde o uso de extraterrestres era sempre um fator. Aqui temos algo realista, por vezes exagerado é verdade, mas realista e principalmente bem explicado em todos os momentos.

Em suma, Perdido em Marte era ou é ainda um excelente filme para visionar no cinema e aproveitar as capacidades únicas da "tela grande" O seu lançamento foi numa altura excelente, usando um mês de estreias não muito interessantes conseguindo assim alcançar bastante publico e principalmente um bom lucro. Venham de lá mais experiências assim que vale a pena. A ver!

8
Perdido em Marte
Muito Bom
Eduardo Rodrigues
Escrito por:

Nascido em Coimbra, a residir bem perto e a estudar cá. Considero-me um geek, um devorador de filmes e adoro ler um bom Comic. Gosto de videojogos e adoro o mundo Nintendo. Tenho uma pequena coleção que vai desde a Mega Drive até à Wii U. Adepto quase fanático da Briosa e um assistente fervoroso no estádio.

Sem comentários:

Enviar um comentário