Salve, César!

Confuso, estranho, diferente, divertido q.b.! Estas foram algumas das minhas reações a esta nova comédia hollywoodesca. Foram 90 minutos no cinema a tentar entender alguma coisa deste filme. Chegando ao fim continuei com algumas incertezas naquilo que tinha acabado de ver. Depois de ler e ouvir o próprio Clooney a dizer que este tinha sido o seu papel mais estranho, já tudo fica mais claro, exceto o enredo, esse continua meio confuso.


Bem, este filme não é muito fácil de ver. É uma comédia com um enredo estranho e complexo que acaba por confundir algumas almas, mais relaxadas. Sendo isto uma comédia, o pessoal acaba por esperar um filme soft, com alguns momentos de humor para rir à gargalhada, seja por originalidade, seja por parvoíce. Aqui é diferente, pois foram poucas as vezes e poucas as pessoas que ouvi rir à gargalhada no cinema. São mais as situações caricatas e diferentes que nos fazer rir.



O elenco é de luxo, isso basta olhar para o cartaz e perceber. Quanto à realização, a cargo dos irmãos Coen, conseguiram novamente deixar-me boquiaberto e com vários pensamentos acerca do que estava a visionar. Pois tenho de afirma que apesar de confuso e estranho este filme acaba por ter variadíssimas interpretações e acabei por ficar com um pensamento final: Isto é uma crítica a Hollywood e às politicas praticadas pelos estúdios.

E é esse pensamento mesmo que fico, tendo em conta tudo o que acontece e é contado, ficamos com a ideia que o filme é todo ele, uma crítica e se pensarmos assim até podemos ver aqui algo muito bom. Temos momentos bem caricatos e com personagens a representar momentos tão estranhos e ridículos que eu só conseguia imaginar os próprios atores a ponto de explodirem a rir.

Este não é uma comédia para toda a gente. Muitos de vocês podem não achar piada ao tipo de humor aqui utilizado, ou até mesmo não entender muito bem o que aqui está. Podem ter interpretações muito diferentes e achar que o que está aqui escrito é uma autêntica barbaridade ao que o filme apresenta. Mas é isto, a minha modesta opinião acerca deste filme e daquilo que ele me transmitiu. Se gostam de filmes meio estranhos então este é para vocês.

4
Salve, César!
Insuficiente
Eduardo Rodrigues
Escrito por:

Nascido em Coimbra, a residir bem perto e a estudar cá. Considero-me um geek, um devorador de filmes e adoro ler um bom Comic. Gosto de videojogos e adoro o mundo Nintendo. Tenho uma pequena coleção que vai desde a Mega Drive até à Wii U. Adepto quase fanático da Briosa e um assistente fervoroso no estádio.

Sem comentários:

Enviar um comentário