Resident Evil: O Capítulo Final

A série Resident Evil no mundo do cinema já se iniciou há mais de 10 anos e sempre foi algo que gerou muita polémica. Devido à sua estranha popularidade manteve-se viva até hoje e parece ter pernas para continuar a andar. É uma saga amada e odiada por muitas, com um misto de razões que fazem desta uma saga que nunca crescerá muito mais do que tem sido.


Podemos dizer que ninguém esperava que este capítulo final catapultasse o filme para o brilharate que a saga de jogos já tantas vezes proporcionou. Mas tendo em conta as capacidades que os anteriores filmes tinham e, principalmente, aquilo que nos ofereceram era algo esperado que este filme se mantivesse, pelo menos, nos padrões de qualidade dos anteriores e assim foi.


Milla Jovovich está de regresso, como aliás seria de esperar, para terminar, a meu ver, apenas o seu capítulo nesta história. Parece-me a mim que a Sony pretende espremer ainda mais esta saga e continuar com novos filmes, mas talvez agora com novos personagens e outros momentos no mundo, quem sabe momentos e passagens paralelos aos dos filmes já lançados. Mas isso será uma conversa para outro dia. Jovovich volta a trazer a sua personagem ao grande ecrã da forma como sempre soube trazer. Não há especialmente muito a falar sobre isto, apenas que continua com o mesmo estilo e ideias.

Apesar de este ser um filme baseado numa história de zombies já há muito que perdeu aquela ideia de terror ou de suspense. Este filme é a maior prova disso com ação do princípio ao fim, não existindo espaço para se respirar. Com hordas gigantescas de zombies, personagens que regressam ao ativo e principalmente. Clones, clones novamente. Depois deste filme fico sinceramente com a ideia que Paul W.S. Anderson a meio da saga começou a pensar que isto era sobre clones e não sobre zombies. Não quero estar a dar mais informações, mas vocês vão perceber.
"Um cliffhanger surpreendente, para uma saga que nunca nos ofereceu grandes momentos destes..."
Quem está de volta para aterrorizar todos é a Red Queen, agora protagonizada pela filha de Anderson com Jovovich. Esta tem agora um papel bem mais importante na história e foi, talvez aquilo que mais me surpreendeu em todo o filme e mesmo em toda a saga. Aquela mudança na história que não estava nada à espera num filme destes.

Resident Evil: O Capítulo Final é tudo aquilo que estava à espera e a nada mais. Excetuando o momento já referido nesta opinião em que o filme realmente me surpreendeu, apesar de ao longo do filme já se poder entender isso a partir de um certo momento, o filme não consegue trazer realmente nada de novo e contínua com a sua qualidade pendente de uma história que nunca se destacou muito. Acaba assim esta saga nunca saindo do razoável, mantendo os seus padrões do início ao fim e chegando mesmo a cair nalguns momentos. Nunca se destacou e por isso espero que a Sony, se regressar com Resident Evil, que dê uma grande lavagem a todo o universo, podendo mesmo começar do zero.

5
Resident Evil: O Capítulo Final
Assim Assim
Eduardo Rodrigues
Escrito por:

Nascido em Coimbra, a residir bem perto e a estudar cá. Considero-me um geek, um devorador de filmes e adoro ler um bom Comic. Gosto de videojogos e adoro o mundo Nintendo. Tenho uma pequena coleção que vai desde a Mega Drive até à Wii U. Adepto quase fanático da Briosa e um assistente fervoroso no estádio.

Sem comentários:

Enviar um comentário