Agricultura na ordem da nova sessão

A Casa das Artes de Coimbra já passou a ser um espaço de recorrente participação. Como já foi referido aqui no blogue várias vezes, todas as quintas feiras vários apaixonados por jogos de tabuleiro se juntam para fazer uma grande sessão de jogos. Mais uma vez, eu e a Cristiana estivemos por lá para experimentar algo novo. Essa tem sido mesmo o grande motivo de todas as nossas participações, ter novas experiências com jogos que nunca pegamos. Nesta última ida ao sótão da Casa das Artes, testamos dois jogos e repetimos um outro.


Quando chegamos, como não havia mais ninguém disponível fomos experimentar o Patchwork. Depressa percebemos, depois de uma conversa com o nosso habitual explicador de regras, que este era o nosso primeiro jogo de Rosenberg. Uma experiência para duas pessoas bem interessante e que nos agradou bastante. Passamos um bom bocado, com um jogo simples e bem fácil de aprender. Um design muito lindo, bem dentro do tema e principalmente não é muito demorado. Ficamos com vontade de voltar a jogar e de uma desforra, tendo em conta que a vitória foi minha.


Seguidamente passamos para Splendor. Este foi a segunda vez que jogamos. Já falei dele aqui nesta rubrica, por isso podem ler mais sobre a nossa primeira experiência através do antigo artigo. Mas referindo uma certeza desta segunda experiência, queremos este jogo na nossa coleção. Sem dúvida foi mais uma excelente jogatina, onde novamente ficamos tão perto de ganhar e acabamos por perder.


Por último, devido também à sua duração, acabamos a jogar Agricola. Sendo este outro jogo de Uwe Rosenberg. Para quem nunca tinha jogado algo deste senhor, acabamos a noite com dois fora da lista. Um jogo bem extenso, com bastantes regras para explicar, mas que depois acabou por ser algo bem simples de se jogar. Penso que este foi um dos grandes pontos de Agricola. Algo que parecia tão complicado, acabou por ser bem mais simples do que imaginávamos. A permissa é bem simples e assim que começamos a entrar na ideia do jogo fica fácil perceber o que fazer. Tendo sido a primeira vez, falhou-nos algumas coisas, mas é natural tendo em conta a dimensão do jogo. Um excelente título que pelo menos eu tenciono experimentar novamente.

Mais uma bela sessão cheia de bons momentos e será para repetir muito em breve.
Eduardo Rodrigues
Escrito por:

Nascido em Coimbra, a residir bem perto e a estudar cá. Considero-me um geek, um devorador de filmes e adoro ler um bom Comic. Gosto de videojogos e adoro o mundo Nintendo. Tenho uma pequena coleção que vai desde a Mega Drive até à Wii U. Adepto quase fanático da Briosa e um assistente fervoroso no estádio.

Sem comentários:

Enviar um comentário