O Inferno de Gabriel de Sylvain Reynard


Chicotes, algemas, cabedal? Esqueçam isso tudo e venham mergulhar no mundo de Dante e Beatrice, juntamente com Gabriel e Julia.

Julia Mitchell matricula-se como estudante de graduação no curso em que Gabriel é professor, sendo ele um especialista em Dante. Uma estranha atração que é sentida pelos dois deixa-os desequilibrados, a Gabriel porque não se pode envolver com alunas e Julia porque é bastante tímida e esconde um grande segredo. E que segredo é esse? Ela conheceu Gabriel no seu tempo de adolescência, já que ele era irmão mais velho da sua melhor amiga, Rachel, mas o rapaz não se lembra dela. Julia acaba por ficar desapontada porque no dia em que eles se conheceram acabaram por se beijar e dormiram abraçados junto a um pomar durante toda a noite, mas quando a menina acorda sozinha, sem ver Gabriel por perto acaba por ficar com o coração destroçado.

A protagonista ainda fica mais desiludida quando dá conta que o seu “Dante” não se lembra dela. Sim, porque foi o Gabriel que fez com que Julia tivesse uma paixão pela história de Dante e de Beatrice, durante uma conversa que eles tiveram no pomar enquanto adolescentes em que ele a chamou de “sua Beatrice” e contou a história daquele casal.

Julia tenta manter-se afastada do seu professor, mas quando a sua melhor amiga e irmã de Gabriel aparece de surpresa na universidade, obrigando os dois a estarem juntos, a jovem não tem outra saída do que ver Gabriel quase todos os dias, fazendo com que a sua paixão adormecida de adolescência voltasse ainda mais forte do que nunca. O problema acontece quando Julia encontra Gabriel bêbedo num bar, ela ajuda-o a ir para casa e ele, no seu estado de alucinação, acaba por se lembrar dela como a “Beatrice”. Mas quando Julia acorda no dia seguinte no apartamento de Gabriel, faz-lhe um pequeno-almoço reforçado por causa da ressaca e deixa-lhe um bilhete assinado como Beatrice. Mas quando o professor acorda e a vê no seu apartamento, começa a discutir com ela e Julia, com lágrimas nos olhos, acaba por abandonar o edifício, e é aí que Gabriel vê o bilhete e recorda-se daquela noite no pomar. E é a partir deste ponto que ele vai lutar pela sua “Beatrice”. Mas não vai ser fácil porque alunos e professores estão extremamente proibidos de se relacionarem pessoalmente, e se eles forem descobertos, Gabriel pode perder o trabalho e a carreira dos seus sonhos enquanto Julia pode arruinar a sua bolsa na universidade.

Gabriel é um homem enigmático com um passado obscuro e que passou por um grave problema quando era mais novo. Ele acredita que na sua adolescência viu um anjo, a sua “Beatrice”, mas ela acabou por desaparecer sem razão aparente e ele mergulhou na escuridão até que voltou a encontrar a sua luz. Ele mostra-se controlador com Julia mas de forma carinhosa e os ciúmes que ele tem por Paul são hilariantes!

Ao longo do livro é apresentado várias referências a grandes escritores, desde Dante, Shakespeare, C.S Lewis, Leo Tolstoy, entre outros. Mas o mais importante acaba por ser Dante porque é a base desta história. Dante era um famoso poeta que nasceu em 1250 e é considerado o maior poeta da língua italiana. Dante conheceu uma rapariga na sua infância, Beatrice, em que se apaixonou por ela perdidamente, mas por razões do destino acabaram-se por separar. Anos mais tarde, quando Dante já era casado, encontrou Beatrice mais uma vez. Convencido a viver o seu verdadeiro amor, o poeta tenta vivê-lo ao máximo mas Beatrice acaba por morrer demasiado cedo, fazendo com que Dante se refugiasse na escrita, homenageando a sua amada nas suas obras e tornando-a a sua inspiração. Claro que se encontram algumas parecenças com a história de Dante e Beatrice com a de Gabriel e Julia.

Nos primeiros capítulos custou-me um pouco a leitura, porque começamos o livro numa perspectiva de Paul, como ele vê Julia pela primeira vez e faz-lhe lembrar um coelhinho assustado porque ela no início é muito envergonhada e muito tímida, e eu só pensava “Outra Anastasia não por favor…”! Mas Julia acaba por surpreender positivamente nas suas atitudes e nas ações que faz, e a única semelhança que encontrei com a personagem das “Cinquenta sombras” foi o facto de ela ser virgem. Claro que o leitor vai encontrar algumas semelhanças com a obra referida anteriormente e também com certos pontos da saga “Twilight” mas de forma escondida e disfarçada.

Gostei muito da forma como o livro está escrito, na terceira pessoa e com várias perspectivas, tendo como narrador Julia, Gabriel, Rachel e até o melhor amigo de Julia na universidade, Paul. Isto permite que o leitor tenha um pleno conhecimento das personagens. Um aspeto menos positivo do livro é o facto que houve passagens que tornavam a leitura um pouco monótona e eram desnecessários, fazendo com que o livro fosse grande sem precisar!

Não gosto nada da capa da edição portuguesa, a original é mais linda e mais sensual, e quanto a sinopse acho que não faz jus ao que realmente o livro porque dá a entender que é mais um livro erótico, tal como ultimamente tem sido publicados, e ele não o é.

Quem espera por um livro erótico, com sadomasoquismo, esqueça e vá procurar outro porque este livro só contêm algumas passagens sensuais ao longo da obra. Portanto, recomendo a leitura para quem gosta de romance assim como eu.
Cristiana Ramos
Escrito por:

Dividida entre o mundo da Ciência e o mundo Geek. Viciada em livros e em roer as unhas. Espectadora assídua no cinema, especialmente se aparecer um certo Deus com cabelos loiros. Adora filmes de terror. Louca por cães, mas eles são tão fofos! Romântica incurável (apesar de não admitir). Fã de Friends, GoT e Big Bang Theory.

Sem comentários:

Enviar um comentário