Acabei de Acabar

Assassin's Creed III

Wii U

Assassin's Creed III

Infelizmente, aquilo que de mais agradável esta saga tinha acabou no jogo anterior. A Ubisoft começou a destruir esta saga a partir deste jogo e nunca mais conseguiu recompor-se. Falo no jogo como um todo, tendo em conta que em certos futuros jogos houve um excelente trabalho em certas áreas, mas foi o enredo que nunca mais se conseguiu superar.

Assassin's Creed III foi talvez o início da desgraça nesta série. Tudo correu mal, mesmo antes do lançamento do jogo. Depois de uma entrevista, uma pessoa importante relacionada com o jogo - que agora não me recordo o nome - ter referido que a série a partir daquele momento seria ao estilo do Fifa, com um jogo por ano, sem grande importância na história, mas sim na jogabilidade, houve muitos fãs que ficaram automaticamente desagradados. Depois de quatro jogos que tanto focaram numa história interessante e bem construída seria completamente destruída a partir deste jogo.

A Ubisoft verificou mais tarde que esta não foi a melhor opção e começou a tentar recuperar a série aos poucos. Mas deixemos isso para outra ocasião. No que toca ao Assassin's Creed III o jogo realmente perde bastante em relação aos seus anteriores. Quando comecei a jogar até ia bastante empolgado para perceber o que vinha seguir. A história de Ezio tinha terminado e agora Desmond e os seus companheiros dirigiam-se para os Estados Unidos da América. Exatamente onde este jogo começa.  Até aqui muito bem e com um prólogo excelente. Quando entramos no Animus pela primeira vez deparamo-nos com um personagem altamente carismático e muito interessante, mas infelizmente passamos pouco tempo com ele. Connor é o verdadeiro protagonista deste jogo e é de longe um bom protagonista. Seco, sem carisma, demasiado "linha reta". E além disso, quando vamos descobrindo a história daquele personagem inicial ficamos ainda mais desiludidos. Visto que não era o protagonista, pelo menos daria um excelente vilão, mas não. Decidiram colocar um outro personagem como vilão, que apesar de não ser péssimo, não é o suficiente para ajudar a história. Por último, os eventos históricos estão longe de estar sequer semelhantes aos jogos anteriores, situação que sempre foi um factor de referência desta série.

Jogo mal otimizado, com muitas falhas de framerate. Foi o primeiro jogo da saga a ser lançado numa consola Nintendo e tendo em conta que a Wii U ainda se encontrava no início acabou por fazer algum uso do Gamepad. Esta utilização auxilia em certas coisas. De um lado temos o ecrã da televisão completamente limpo de interface, do outro lado temos todas as informações necessárias no Gamepad. Além disso a versão Wii U não tem qualquer tipo de problema até uma fase mais final. A entrada em Nova Iorque coloca alguns problemas no framerate do jogo, devido ao grande número de população. Os famosos bugs dos jogos desta saga aqui ainda estão mais intensos, mas apesar de tudo joga-se bastante bem. Uma jogabilidade melhorada em certos aspetos, com um movimento do personagem mais perto da realidade.

Não quero estar a dar spoilers por isso fico-me por aqui. Este é o jogo para ficarem a conhecer o final da história de Desmond que infelizmente não é o melhor final de uma história tão épica. É de forma frouxa que dão término a um personagem que pareciam estar a dar uma verdadeira história e assim termina. Assim. Sem mais nada. Falta mesmo alguma coisa neste jogo.

O Melhor:
  • Jogabilidade melhor que nunca
  • Haytham Kenway é um excelente personagem
O Pior:
  • História muito fraca
  • Protagonista sem carisma
  • Problemas de framerate
  • Missões secundárias completamente desnecessárias
Eduardo Rodrigues
Escrito por:

Nascido em Coimbra, a residir bem perto e a estudar cá. Considero-me um geek, um devorador de filmes e adoro ler um bom Comic. Gosto de videojogos e adoro o mundo Nintendo. Tenho uma pequena coleção que vai desde a Mega Drive até à Wii U. Adepto quase fanático da Briosa e um assistente fervoroso no estádio.

Sem comentários:

Enviar um comentário