A Bruxa de Oz de Gregory Maguire


A Bruxa de Oz conta a história de Elphapa, a Bruxa Má do Oeste, para quem não sabe é a bruxa que aparece na história do Feiticeiro de Oz. Para quem não conhece este conto infantil, ele relata a aventura de Dorothy, do Kansas, na fantástica Terra de Oz. A pequena Dorothy vive com os tios Henry e Emm numa pequena fazenda no Kansas. O seu único amigo era o cãozinho Totó que, durante uma tempestade, desaparece. Procurando-o desesperadamente, a menina entra no abrigo contra ciclones e esconde-se na pequena casa que, levada por um tornado pelos ares, termina por arremessá-la numa distante e desconhecida terra, a Terra de Oz. No meio da tempestade, Dorothy encontra o seu cãozinho. Quando finalmente pousam, descobre que a casa caíra sobre uma perigosa bruxa, matando-a. Surgem os Munchkins - que eram dominados por aquela malvada senhora. Dorothy é aclamada como heroína, por ter matado a Bruxa do Leste. A menina deseja voltar para casa e parte em busca do grande Feiticeiro de Oz. Este diz que para voltar a Kansas, a jovem tem que matar a Bruxa Má do Oeste.

A história deste livro começa muitos antes destes acontecimentos, ainda Elphapa estava na barriga da sua mãe! O livro percorre todas as etapas da vida da Bruxa, desde o seu nascimento, infância, a universidade, uma relação com um jovem, as dificuldades da sua vida, até à sua morte. Elphapa sempre foi colocada de lado, tanto pela família como os jovens da sua idade, por ser verde e ter nascido numas circunstência um pouco misteriosas. O meio familiar desta Bruxa não é um caso de uma família feliz, o seu pai é um fanático pela religião, a sua mãe é adultera, não aceita a filha como ela é, acreditando que ela é um fruto dos seus pecados, tem uma irmã que nasce sem braços e um irmão que não se importanta com a família. Esta obra ainda dá a informação que a educação, a sociedade e o meio que estamos inseridos molda a personalidade de um individuo, podemos nascer já com certas características que nos são transmitidas geneticamente, mas temos que nos adaptar para sobreviver.

Acho que o tema principal deste livro é de onde nasce o mal e o porquê, porque é que aquelas pessoas são consideradas más ou fazem ações que não deviam? A própria Elphapa lutava por algo que era gentil e acreditava que todos os seres deviam tratados como iguais mas aos olhos da população e de todo o Oz ela era a pessoa que estava errada. São aqueles casos que as pessoas não são más porque querem, mas porque a vida as obriga a ser.

A segunda parte do livro é mais adulta, vemos uma Elphapa que luta por aquilo que acredita e não olha a meios para atingir os seus fins, tentando compensar os erros do seu passado. A escrita é maravilhosa que nos leva a uma Terra mágica, a própria história é de outro mundo porque leva o leitor a criar laços com Elphapa e torcer por um final feliz para a Bruxa, odiamos a Dorothy e finalmente percebemos a obsessão pelos sapatos vermelhos.

Há a continuação da história, no livro O Herdeiro de Oz, que irei sem dúvida ler e continuar a viajar pelas Terras de Oz e à espera que aquele Feiticeiro seja vencido!
Cristiana Ramos
Escrito por:

Dividida entre o mundo da Ciência e o mundo Geek. Viciada em livros e em roer as unhas. Espectadora assídua no cinema, especialmente se aparecer um certo Deus com cabelos loiros. Adora filmes de terror. Louca por cães, mas eles são tão fofos! Romântica incurável (apesar de não admitir). Fã de Friends, GoT e Big Bang Theory.

Sem comentários:

Enviar um comentário