Onde Caem os Anjos de Nora Roberts


Nora roberts apresenta-nos mais uma vez com um belíssimo policial. Algo que adoro nesta escritora é que ela faz um enquadramento geográfico e temporal que só nos dá vontade de pegar nas malas e partirmos à descoberta aqueles cenários que ela descreve. Mas apesar disso, há momentos em que a descrição dos panoramas é muito exaustiva, fazendo com que o leitor fique mortificado nalgumas partes.
A personagem princial. Reece, pretende esquecer e fugir de algo que viu e presenciou no seu passado, mais propriamente da morte de todos os seus amigos e alguns conhecidos numa noite em que estavam a festejar a evolução da sua carreira como chefe de cozinha, mas um massacre aconteceu no restaurante e a rapariga acabou por ser a única sobrevivente.

Este terrível acontecimento acabou por marcar a sua vida tornando-a numa mulher assustada, paranóica e muito mais cuidadosa, e isso é possível observar esse seu comportamento fora do comum quando Reece verifica se fechou as portas umas três vezes, entre outros exemplos. Ao tentar refugiar-se do seu passado, ela depara-se em Angel’s Fist, uma vila pequena e simpática. Consegue então arranjar um trabalho no restaurante local e vive durante uns tempos no apartamento que está desocupado por cima do local de trabalho. Passado pouco tempo, durante um passeio pelas montanhas ela depara-se com um homicídio, em que um homem espanca e estrangula uma mulher. Ao observar tal situação macabra, Reece começa a recordar a noite dos seus pesadelos e começa a sentir-se maluca, sendo auxiliada por Brody, um belo homem que habita na vila e que é escritor de romances policiais.

Reece acaba por ser vista como uma doente mental pela população da vila, tendo ao seu lado como apoio o jovem escritor e a sua patroa, a dona do restaurante local. Ela própria começa a desconfiar que não é completamente saudável, já que depois do massacre que ela presenciou e que quase lhe tirou a vida, Reece tinha ataques de pânico e foi acompanhada durante alguns meses por um hospital psiquiátrico. Com aproximação de Reece e Brody, estes acabam por se apaixonar e confrontam, juntos, as atitudes e situações que o assassino desenvolve para levar as pessoas e a própria Reece a pensar que não passa de uma maluca que imaginou tudo.

Mais uma vez não consegui descobrir quem é o assassino! A autora tem uma capacidade fantástica de engendrar e manipular os crimes de tal forma que o leitor pensa que sabe quem é o culpado e surpreende-nos sempre no final! Adorei a forma como Brody acredita em Reece sem a conhecer de lado algum e a apoia ao longo do livro, mostrando que é um homem persistente e firme. Aconselho a leitura do livro a quem é fã de Nora Roberts e de quem goste de um bom romance com um policial misturado. E para quem vai ler: Boa sorte para a buscar infernal e inebriante pelo culpado!
Cristiana Ramos
Escrito por:

Dividida entre o mundo da Ciência e o mundo Geek. Viciada em livros e em roer as unhas. Espectadora assídua no cinema, especialmente se aparecer um certo Deus com cabelos loiros. Adora filmes de terror. Louca por cães (quase de uma maneira doentia), mas eles são tão fofos! Romântica incurável (apesar de não admitir).  Fã de Friends, GoT e Big Bang Theory. 

Sem comentários:

Enviar um comentário