Han Solo: Uma História de Star Wars


Nunca pensei estar a fazer isto, mas temos de deixar o fanatismo de lado e olhar para isto de uma forma bem imparcial. Se o meu lado fã saiu do cinema com aquele sentimento de mais um filme do universo Star Wars, por outro lado senti que provavelmente isto já é um exagero. Tivemos o Episódio 8 em dezembro, com críticas mistas por essa internet fora. Nós aqui gostámos do filme, mas admitimos que teve os seus problemas e esteve algo desconexo do restante, mas é uma nova época, é uma nova empresa e a verdade é que há todo um novo público que anseia por novos filmes, público esse em que a sua infância foi passada com animações do universo durante as manhãs. Se por um lado estes dois últimos filmes começam a saturar os fãs mais acérrimos, por outro é uma jogada acertada para encaixar dinheiro com os novos e futuros fãs. E preparem-se, porque daqui a um ano mais ou menos temos o Episódio 9 no cinema e depois mais uma trilogia. Mas vamos lá falar um pouco de Han Solo: Uma História de Star Wars.



Vou já começar pelo que de melhor por ali encontrei. Acho que já é o óbvio, mas aqueles efeitos especiais são qualquer coisa. Sem dúvida que o dinheiro que a Disney tem investido nestes filmes tem sido bem aproveitado. Uma dose de efeitos de alta categoria, com uma realismo soberbo e uma qualidade sem falhas. Um filme deste gênero depende inteiramente da qualidade com que os seus efeitos tornam tudo mais real e podemos garantir que vão ficar maravilhados a olhar para a obra que aqui está. Cores excelentes e vibrantes, com fotografia muito bem conseguida encaixando cenários incríveis a uma luz profissional. Não podemos dizer que tenha existido falhas nesta área, mas infelizmente não é só de efeitos especiais que vive um filme.

A história que não conta nada de novo. A realização que está longe de ser excelente e um elenco que nunca nos liga verdadeiramente. O melhor personagem é melhor momento de toda a história são os 5 minutos finais, quando descobrimos uma surpresa inesperada. Talvez seja esse o grande momento que me fez crescer uma esperança por uma sequela. Por outro lado, esta esperança é diluida na qualidade geral que todo o filme apresenta. Aliás, é fácil perceber que as coisas não estão muito bem, quando as críticas já levaram a Disney a recuar em futuros spinoffs. Talvez o uso e abuso da licença Star Wars comece a ficar excessiva e venha a destruir tudo o que podia ter sido um enorme regresso.

Han Solo: Uma História de Star Wars está longe da qualidade que Rogue One apresentou. Talvez já seja de mais e o facto de este filme ter a sua data de lançamento tão próxima do anterior também não tenha ajudado. Os fãs começam a ficar saturados e uma saga que ganhava pelo misticismo e pelas surpresas passou agora a uma saga cheia de filmes que contam tudo o que não precisava de ser contado. Acho que este será um dos maiores problemas de Han Solo, a sua incapacidade de se destacar pelo meio de todo o cinema e ficar como apenas mais um Star Wars que foi lançado. Se há alguns anos estavamos todos nas nuvens pelo anúncio de que a Disney tinha adquirido todas as licenças da Lucasfilms. A primeira com que começaram a trabalhar foi Star Wars e apesar de ainda não termos noção do que vai acontecer com as restantes, no que toca a este universo as coisas estão hoje um pouco tremidas. Vamos ver de que forma tudo isto vai correr, mas é necessário dar uma resposta positiva aos fãs. Por aqui ficamos com um título mediano.

6
Han Solo: Uma História de Star Wars
Satisfatório
Eduardo Rodrigues
Escrito por:

Nascido em Coimbra, a residir bem perto e a estudar cá. Considero-me um geek, um devorador de filmes e adoro ler um bom Comic. Gosto de videojogos e adoro o mundo Nintendo. Tenho uma pequena coleção que vai desde a Mega Drive até à Wii U. Adepto quase fanático da Briosa e um assistente fervoroso no estádio.

Sem comentários:

Enviar um comentário