Jogo da Apanhada


Quando um grupo de amigos decide jogar a apanhada para todo o resto das suas vidas, parece ser uma premissa demasiado estranha para se pensar ser verdade. Pois essa é mesmo a ideia por trás deste filme. Baseado em factos reais, o Jogo da Apanhada conta a história de um grupo de amigos, que para nunca se deixarem de encontrar ao longo da vida e fazem um pacto que consiste num encontro para jogar à apanhada a realizar-se uma vez por ano durante todo o mês de maio. Esta história que chegou mesmo a ser lançada no famoso jornal New York Times ganhou a atenção de Hollywood, que acabou por produzir este filme de comédia.

Esta história é tudo menos tradicional, contando com um humor simples e não muito estapafúrdio para tornar uma história real em algo bem exagerado e que só pensamos que nunca na história da humanidade aquilo poderá acontecer. Bem, a verdade é que no final temos direito a algumas filmagens originais e apesar de não acontecer tudo como retratam no filme, está perto de ser fiel aos momentos passados na realidade.



Para uma comédia deste género, que hoje em dia se debatem para conseguir um lugar minimamente decente nas salas de cinema, não está má de todo. Está longe de ser uma comédia de topo, com grandes momentos humorísticos, mas também não é a pior que já vi. É uma boa comédia de domingo à tarde, se é que isso ainda existe nos nossos canais televisivos. Se pretendem mais que isso, acho que é melhor pensar em outro filme do género.

O Jogo da Apanhada acabou por ter muita sorte no seu lançamento nacional, devido ao adiamento europeu do mais recente filme da Marvel e também por ter acontecido a meio de um mês com poucas estreias de grande relevância. Com isto consegue arrecadar uma bela bilheteira cá pelos nossos cinemas, algo que dúvido ser verdade noutros locais do mundo. Esta comédia fica-se pelo razoável, onde consegue ganhar alguns pontos extras pela sua história caricáta e inspirada numa história real e até bem mais interessante. Acho que é todo este desenho que criamos na nossa cabeça imaginando tudo o que realmente aconteceu e como este grupo de homens adultos acabou a fazer uma brincadeira destas todos os anos, que nos faz realmente passar um bom serão neste visionamento. Pode não conseguir muita coisa, mas pelo menos deixou-nos com aquele bichinho na barriga de saudade por um jogo da apanhada. E porque não fazer um agora? Era interessante, não?

Continuem a brincar, para que nunca cresçam. É algo assim que surge várias vezes pelo filme e é realmente com esta frase que me despeço desta opinião. Por isso até um próximo filme e como é? Vamos jogar à apanhada?
6.5
Jogo da Apanhada
Satisfatório
Eduardo Rodrigues
Escrito por:

Nascido em Coimbra, a residir bem perto e a estudar cá. Considero-me um geek, um devorador de filmes e adoro ler um bom Comic. Gosto de videojogos e adoro o mundo Nintendo. Tenho uma pequena coleção que vai desde a Mega Drive até à Wii U. Adepto quase fanático da Briosa e um assistente fervoroso no estádio.

Sem comentários:

Enviar um comentário