Crónicas de um Jogador

Altered Beast: Guardian of the Realms

Gameboy Advance

Altered Beast: Guardian of the Realms


Ia eu atrás deles, dos jogos de uma Cash perto de si, por preços por vezes módicos dependendo do seu valor real. Numa minuciosa procura de algo que me interessasse, ao mesmo tempo comparando os preços pelo Ebay, Amazon e Olx, foi quando li Altered Beast. Ah, como de repente viajei para os belos dias em que jogava Mega Drive, em que com este jogo destruía espécies de grifos, mortos vivos, tartarugas esquisitas e todos os tipos de monstros. Tinha de o ter! Engrossou as fileiras da minha colecção.

Pego no jogo com renovado interesse desde que escrevo esta rubrica e, mal vi o título, quase que chorei. O primeiro nível, logo no começo, oiço uma voz grossa a dizer o "Rise from your grave!". Renasço de novo! Um herói da Antiga Grécia! Faltou o "Welcome to your doom!", pois foi o que encontrei.

Como um jogo já do século XXI, conta-nos o enredo, pois a diversão já não nos chega... (Somos mais finos, é o que é!). Um tipo chamado Arcanon não gosta mais de Zeus e Olimpo, querendo dar-lhes umas valentes bofetadas. Decide então controlar todos os reinos do Universo, derrotando os seus guardiões. Advinhem o que temos de fazer? Dar porrada em todos os monstros e lacaios, salvar o Universo e ter o eterno agradecimento de Zeus!

Mal começamos a batalhar reparei numa coisa, os cenários são lindíssimos! Nota-se que cada são trabalhados, e a música excelente! Normalmente nem reparo, não existe nada melhor que destruir inimigos, humilhar adversários, construir casinhas, decifrar puzzles, mas a nostalgia foi superior!

De resto não sei o que aconteceu! Os inimigos estavam todos deformados! Havia ghouls, esqueletos, grifos, uns monstros voadores que não sei o que são, minotauros, espíritos, lesmas, umas coisas metade ratos metade escorpiões, e tudo o que uma pessoa com uma mente aberta e alguns ataques na mona possa inventar. O jogo é um side-scrooling beat'em up, ou seja, enquanto vamos avançando, parecemos o Chuck Norris quando era criança, destruindo tudo somente com o valor dos nossos punhos e pontapés!

A nostalgia no entanto desvaneceu, o jogo estava esquisito e não achei divertido. Os níveis eram extremamente longos, parecia que não tinham sido trabalhados os ataques do herói que, quando a uma distância razoável, atacava e falhava o inimigo, enquanto ele nos acertava. O tamanho e quantidade absurda dos inimigos é demasiado comparável com o sistema do jogo implantado. Até as transformações finais do meu herói eram esquisitas! Os bosses finais é que eram interessantes e divertidos de derrotar...

Cheguei ao quinto mundo e não consegui mais, fui ver meninos no Youtube a passar um jogo que não consegui mais jogar... Eu sei que é errado, no entanto constatei que mesmo com a perícia por eles demonstrada, perderam vidas e energia pelas razões acima enunciadas, assim tenho desculpa!
Lição aprendida, pode parecer o mesmo, mas não significa que o seja! 
Altered Beast: Guardian of the Realms
Jogado em: Gameboy Advance
Desenvolvido por:
Distribuido por:
Género(s):
Armando Mateus
Escrito por:

Gamer dedicado, leitor apaixonado e escritor nos tempos livres. Fascinado por um todo produzido pela Sociedade: a Cultura, o símbolo dos velhos e dos novos tempos!

Sem comentários:

Enviar um comentário