Missão: Impossível - Fallout


Missão: Impossível é sinónimo de Tom Cruise e estes dois em conjunto são sinónimo de ida ao cinema. Já não vai para novo, mas mais uma vez retoma o seu papel de Ethan Hunt em mais uma aventura cheia de ação, com muitas explosões e vilões carismáticos. Missão: Impossível - Fallout é já o sexto capítulo de missões feitas pela equipa de Ethan e desta vez as coisas começam a correr mal. Uma missão mal sucedida acaba por desencadear todo o resto da história, onde ficamos a conhecer alguns nomes novos, mas também temos direitos a muitas recordações do passado.


Deixem-me começar pelos nomes que compõe este elenco, que para os mais aficionados da saga estão longe de ser desconhecidos. A equipa principal está de volta, com Ethan, interpretado por Tom Cruise, que aparenta mais habilidade física do que eu com 'metade' da idade dele. Ving Rhames e Simon Pegg retornam nos seus papeis de Luther e Benji respetivamente, mostrando a parte mais humorística do filme. Estes dois sempre tiveram um pouco este papel, mas neste filme acentua-se ainda mais, com momentos divertidos e que nos fazem soltar uma ou outra gargalhada. Sean Harris retorna no seu papel de Solomon Lane, para completar a dupla de vilões deste filme, assim como Rebecca Fergunson que regressa como a belíssima Ilsa, capaz de dividir o coração do nosso protagonista. Já Henry Cavill e Venassa Kirby são duas novidades no universo, onde a segunda representa a The White Widow, o seu nome de código, tendo um papel interessante, misterioso e que apesar de não ter muitos minutos no ecrã, são sempre intrigantes. Já Cavill tem aqui o papel que lhe valeu uma bela desgraça no filme Liga da Justiça, - ai aquele maldito bigode - mas histórias tristes à parte, a sua personagem é um pouco o "bruta montes lá da zona", com bons e divertidos momentos lá pelo meio, ficando cada vez mais interessante à medida que a sua história se vai desenrolando.

Mas Missão: Impossível - Fallout consegue ser mais que um bom leque de nomes? Bem, o realizador Christopher McQuarrie, mais habituado à escrita de guiões, tem aqui o seu retorno, depois de se ter sentado nesta cadeira no último filme. Este é apenas o seu quarto filme, onde os últimos três e mais recentes estrelam Tom Cruise e os dois últimos são mesmo desta saga que hoje opinamos. Nota-se uma crescente influência do trabalho de J.J. Abrams e a realização de McQuarrie neste filme é quase uma bela homenagem, com muitos planos e efeitos de luz dignos de qualquer produção de Abrams. O trabalho foi bem feito, como aliás seria de esperar, e consegue mesmo superar o anterior filme da saga, com momentos únicos e que fazem o espetador ter uma vista espetacular de tudo o que está a acontecer.

Penso que não preciso de dizer muito mais para se perceber o quão bom este filme está e que realmente é um título que vale a pena ir ao cinema. Não quero de todo estar a dar possíveis spoilers pois o filme contém uma história realmente interessante e cheia de momentos que podem surpreender os mais distraídos. É uma história que concilia muito bem o humor com os momentos mais tensos, criando um ambiente favorável para um público mais geral, mas por favor, não levem crianças a ver este filme. Pais, por muito divertido que possa ter sido na vossa juventude ter ido ver o primeiro Missão: Impossível ao cinema, lembrem-se que este é um filme de ação e contêm mesmo algumas cenas bem violentas. Por isso fica o aviso. De qualquer forma, exceptuando essas cenas mais violentas, o filme é descontraído e com uma quantidade equilibrada de ação e divertimento.

Missão: Impossível - Fallout é uma excelente adição para este verão, com o seu estilo característico, uma bela dose de bons nomes e um realizador que sabe fazer o seu trabalho. Uma continuação digna desta já longa saga, que parece estar aí para ficar. Um filme que vale realmente a pena ir ver ao cinema e que recomendamos, pois cai muito bem nesta altura do ano, com momentos muito divertidos e com certeza serão duas horas de puro entretenimento cinematográfico.
8.5
Missão: Impossível - Fallout
Muito Bom
Eduardo Rodrigues
Escrito por:

Nascido em Coimbra, a residir bem perto e a estudar cá. Considero-me um geek, um devorador de filmes e adoro ler um bom Comic. Gosto de videojogos e adoro o mundo Nintendo. Tenho uma pequena coleção que vai desde a Mega Drive até à Wii U. Adepto quase fanático da Briosa e um assistente fervoroso no estádio.

Sem comentários:

Enviar um comentário