Crónicas de um Jogador

Super Mario Land 2: Six Golden Coins

Gameboy

Super Mario Land 2: Six Golden Coins

Num restaurante, à dezoito anos atrás aconteceu! Duas pequenas caixas volumosas, uma mais pesada que a outra, e eu na minha pura ingenuidade nem desconfiei. Lá estava ele, o meu primeiro Game Boy Color e o Italiano de bigode, a saltar de plataforma em plataforma, destruidor dos koopa troopa

O jogo era para o Game Boy Clássico, não tinha nada haver com o Color, mas também na altura já foi muito bom terem-me oferecido aquela fonte de divertimento e cultura. Na altura ainda pensei em dizer algo, mas arriscava-se a receber um "toma lá que já almoças-te"!

Este Mário pareceu-me estranho ao início, pois eu até lá só tinha tido contacto com o Super Mario Land (obrigado a quem mo emprestou juntamente com o Game Boy!), e com o da SEGA dos marroquinos! (alguns irão perceber!).

A história daquilo é hilariante: O Wario aproveitou o facto de o Mário estar fora de casa para lhe roubar o Castelo. Como bom gordo avarento, ganancioso e ás vezes peçonhento que é, lembrou-se de dar aos seus capatazes seis moedas capazes de abrir a porta do Castelo. Como ninguém gosta de ter estranhos com ar de lunático em casa, Mário aparou o bigode, pegou no cano e lá vai ele!

A aventura em si parece aqueles documentários da National Geographic ou do Jacques Costeau. Nós corremos mundos diversos, desde uma Árvore (Tree-Zone), passando por uma Casa (Macro-Zone) até ao Espaço (Space-Zone). Os níveis são extremamente inventivos: tanto estamos no interior de uma baleia, como num cemitério tenebroso, ou até dentro de um submarino! A música é excelente, e os mini-jogos existentes para ganhar vidas e power ups são divertidíssimos.

Tenho de sublinhar os bosses de cada área, mas em especial um, os três porquinhos. Nunca pensei ter de enfrentar aqueles que enviaram o lobo bugiar quando ele lhes disse "The Winter is Coming" (A soprar e a mandar tudo pelo ar!), mas após derrotar estes suínos na sua juventude percebi como o Mário poderia ser português, e gostar de leitão à Bairrada como qualquer um de nós!

Por fim, por muito que escreva fico sempre aquém da obra-prima que este jogo é. Pelo que li é considerado um dos melhores jogos de plataformas de sempre, e se fizesse uma lista de jogos a jogar na nossa vida, este seria um deles.
Armando Mateus
Escrito por:

Gamer dedicado, leitor apaixonado e escritor nos tempos livres. Fascinado a um todo produzido pela sociedade: a Cultura, o símbolo dos velhos e dos novos tempos!

Sem comentários:

Enviar um comentário