Arraial


No dia em que ouvimos falar pela primeira vez de um jogo chamado Arraial estávamos longe de entender as "consequências" que isso iria trazer ao nosso grupo. Provavelmente estou a exagerar, mas serão vocês que vão decidir isso até ao final deste artigo. O formato deste jogo é extremamente familiar a todos aqueles que apresentámos, não tivéssemos nós a referir o Tetris cada vez que começamos a explicar as regras, pois afinal quem é que não conhece este icónico videojogo. Tal e qual como todos conhecem o jogo que já alcançou todas as plataformas e mais algumas, duvido que alguém me consiga dizer um jogo de tabuleiro que simule a experiência de Tetris e principalmente que seja bem divertido. A possibilidade de existir um é até bem grande, mas vou partir do princípio, tendo em conta os meus conhecimentos, que faltava um jogo que fizesse jus ao clássico dos videojogos e parece que finalmente posso afirmar que temos um sério candidato ao posto.

Um jogo que está a ter um tremendo sucesso, incluindo no estrangeiro, - sim, esta malta conseguiu esgotar as pilhas de jogos que levaram para Essen (local do maior evento de jogos de tabuleiro da Europa e quiçá do Mundo) - por isso fica fácil de perceber o entusiasmo pelo jogo. O conceito é simples e baseia-se em algo bem português, porque o que seria dos meses de verão sem um bom bailarico. Arraial leva quatro jogadores a lutar por ter a maior festa da cidade, onde cada jogador controla um bairro que precisa ter o maior número de convidados para que no final tenha a maior pontuação. A partir deste ponto entra o conceito Tetris ao barulho, com a colocação de peças no tabuleiro ao estilo do videojogo, cumprindo as regras básicas do mesmo e ganhando assim cada vez mais visitantes. Até pode parecer tudo muito simples, mas acreditem que vão precisar de uma boa dose de estratégia, quer a nível pessoal de forma a não estragarem o vosso espaço de festa, quer contra os vossos adversários, pois vão estar constantemente a ser tramados por todos os outros.

Já não me lembro de um jogo em que explicar as regras seja tão fácil e direto e até agora todos os que introduzimos a Arraial entenderam tudo à primeira. Por isso achamos que este pode ser um bom jogo para quase todas as idades. Não é difícil de explicar, é divertido e é desafiante o suficiente. É um puzzle game que vai muito além disso e consegue oferecer uma experiência completa.

A MEBO Games fez um trabalho excepcional com este jogo. A dupla composta por Nuno Sentieiro e por Paulo Soledade resultou muito bem e mostraram bem a qualidade que podem transmitir a um jogo, tendo em conta os seus incríveis portfólios. Mecânicas bem inseridas oferecem uma experiência de jogo única e muito bem trabalhada, mostrando que não precisamos de ter um jogo muito complexo para ser realmente bom e que seja capaz de chegar a uma vasta gama de utilizadores. Mas esta dupla não era suficiente e com a junção da arte de Nuno Saraiva criou-se um ambiente cartoonesco que retrata tão bem o típico Arraial português como assim seria de esperar. Está um jogo realmente lindíssimo e que puxa todas as nossas ideias para o tema que nos apresenta. Um conjunto de nomes que completa este pacote de uma forma extraordinária. Sem dúvida que nos deixaram intrigados e realmente interessados em perceber o que mais poderá ser feito no futuro por estes senhores. Por enquanto aconselhamos, tal como temos feito a todos os nossos amigos, a espreitarem este Arraial e a passar um divertido serão em festa.
9
Arraial
Incrível
Eduardo Rodrigues
Escrito por:

Nascido em Coimbra, a residir bem perto e a estudar cá. Considero-me um geek, um devorador de filmes e adoro ler um bom Comic. Gosto de videojogos e adoro o mundo Nintendo. Tenho uma pequena coleção que vai desde a Mega Drive até à Wii U. Adepto quase fanático da Briosa e um assistente fervoroso no estádio.

Sem comentários:

Enviar um comentário