Johnny English Volta a Atacar


Com o especial de Halloween a requerer uma maior atenção de todos os redatores, acabei por deixar duas críticas de filmes vistos na Festa do Cinema para trás, por isso vamos lá falar do primeiro, que é Johnny English Volta a Atacar. Esta é uma daquelas paródias que conta com um dos mais talentosos atores de Inglaterra e já vai no terceiro capítulo. Quando o primeiro chegou às salas de cinema apresentou um título diferente, irreverente e que se divertiu à custa de um dos mais famosos filmes de espiões: 007. Tudo no filme fazia relembrar as histórias de Bond, mas com toda uma linha de humor característico de Rowan Atkinson, por isso não se admitem que aqui volte a acontecer. Tal como os dois capítulos anteriores este usa e abusa de referências ao grande espião e assim se vai arrastando durante cerca de hora e meia.

Talvez Johnny English já tenha apresentado tudo o que tinha para apresentar e por isso este terceiro capítulo já passa do divertido para o absurdo em grande parte dos momentos. A história apresentada é do mais óbvia e previsível que podem imaginar, sem qualquer surpresa ou assunto interessante, onde questões ambientais e de fim do mundo são colocadas de forma forçada só para mostrar algum conteúdo. Quanto ao vilão, interpretado por Jake Lacy, que é guiado pela tecnologia moderna, algo que está longe de ser uma ideia muito original, não tem qualquer carisma ou interesse, ficando esse lado completamente carregado pela belíssima Olga Kurylenko, que em conjunto com Ben Millar fazem o belo trabalho de elenco secundário. Já Rowan Atkinson parece carregar em demasia o papel de Mr. Bean e se em momentos nota-se a essência de English, também há vários momentos onde a cara de Bean vem ao de cima. Não está mal no seu papel e duvido que haja algum ator que consiga recriar o trabalho deste senhor, mas talvez seja tempo de mudar de personagem.

Acho que já dei a entender que a coisa não correu assim tão bem. Teve alguns pontos positivos, mas o negativo andou sempre de mãos dadas e ficou bem longe de se conseguir destacar de alguma forma. O humor, que é uma peça muito importante para esta saga, acaba por levar o público a lançar umas risadas, principalmente pelos momentos caricatos que só Atkinson parece saber representar, mas nem todos os momentos são assim tão engraçados, principalmente quando já se viram nos trailers do filme, que como em muitos casos parecidos acabam por contar/mostrar demasiado. E como em tudo o que envolve este filme acho que posso continuar a afirmar que já é de mais.

O regresso de Johnny English com certeza vai gerar um bom serão para uma grande quantidade de pessoas e não me interpretem mal, pois o filme não está assim tão mau, simplesmente falta demasiado para se destacar no meio de tanto bom filme que tem sido lançado. Acredito que para muito do público seja dos filmes mais divertidos que já viram, já para mim é mais um e carregado com piadas que já começam a deixar de nos fazer rir. Não foi uma má sessão cinematográfica, mas espero que está saga termine por aqui, porque a trilogia já parece ter mostrado tudo o que tinha a mostrar. Mesmo que continuem a basear tudo em torno dos filmes mais atuais de espiões, vão ter de fazer grandes mudanças para que um novo filme me possa levar a uma sala de cinema. Será um ótimo filme para ver num serão de domingo à tarde quando estiver na televisão.
Eduardo Rodrigues
Escrito por:

Nascido em Coimbra, a residir bem perto e a estudar cá. Considero-me um geek, um devorador de filmes e adoro ler um bom Comic. Gosto de videojogos e adoro o mundo Nintendo. Tenho uma pequena coleção que vai desde a Mega Drive até à Wii U. Adepto quase fanático da Briosa e um assistente fervoroso no estádio.

Sem comentários:

Enviar um comentário