Acabei de Acabar

Pokémon Let's Go Eevee!

Nintendo Switch

Pokémon Let's Go Eevee!


Desde o anúncio do novo jogo da série Pokémon para a Nintendo Switch que fiquei entre dois lados: se por um queria mesmo muito ver como um jogo desses se comportava pela primeira vez numa consola - meia - de salão, por outro sabia que teria um jogo que já me era bem conhecido. Uma grande parte da minha infância foi com Pokémon, principalmente com a primeira geração e por isso um dos jogos que mais joguei foi o Pokémon Amarelo, mas como os RPGs não são mesmo o meu estilo de jogo sempre acabei por me cansar de jogar passado algum tempo e qual o aspecto que mais me irritava? Ter de ir evoluir pokemón a pokemón, senão não conseguia avançar dali, mas este facto são águas passadas.

Pokémon transformou-se muito nos últimos anos e é uma das sagas mais bem sucedidas do mundo dos videojogos. Criada pela Gamefreak do qual a Nintendo tem uma grande parte adquirida e por isso sempre foi uma série representativa das consolas Nintendo. O anime, as cartas, os táxis e todo o merchandising veio ainda ajudar mais ao sucesso de todo este universo, mas foi no lançamento de Pokémon Go nos smartphones que a população realmente delirou com estes seres imaginários. Nunca foi tão real a possibilidade de ser o verdadeiro mestre Pokémon e assim todo um novo público surgiu e a Nintendo sabia disso muito bem e por isso é aqui que surge este Let’s Go. Uma forma de oferecer uma experiência mais perto dos jogos originais aos novos jogadores e de certa forma tocar no ponto nostálgico de todos os jogadores mais antigos. Pokémon Let's Go Pikachu! e o Pokémon Let's Go Eevee! são a verdadeira experiência nostálgica que todos estavam à espera, mas que ninguém sabia que queria.

As minhas dúvidas iniciais em relação a este jogo foram sendo cada vez maiores e mesmo depois de ter estado frente a frente com o título em alguns eventos faltava-me a verdadeira experiência para saber se realmente gostava ou não. Primeiro, optei pela versão Eevee porque apesar de a versão Pikachu ser mais nostálgica queria uma experiência um pouco diferente da que já conhecia, mas mal sabia eu o que me esperava. Assim que liguei a minha Nintendo Switch com o jogo dentro e avancei para aventura foi quase como uma paixão instantânea. Poucos dias depois já ia com mais de 15 horas de jogo e finalmente, Pokémon agarrou num formato que realmente me agradou. Como já referi antes, não sou fã de RPGs e acreditem que já joguei alguns para saber isso e por isso os vários componentes que o jogo clássico tinha ficam aqui bem mascarados, permitindo que até a pessoas que não gostem do género possam apreciar a aventura.

Este é um jogo para apreciar a jornada e ao mesmo tempo passar um bom tempo a ser o maior treinador de todos os tempos. As batalhas contra outros treinadores e nos ginásios mantém o mesmo formato dos restantes jogos, mas é na caça aos Pokémons que tudo muda. Primeiro esqueçam aqueles momentos de a cada passo na erva ou na gruta surgir um Rattata ou um Zubat indesejado, porque agora está tudo à vista e podem literalmente escolher em quais dos monstros querem gastar as centenas de pokébolas que trazem convosco. Isso levou a novas ideias e uma das formas que levou a conseguir agarrar os jogadores por mais tempo são os combos e com eles a possibilidade de aumentar a probabilidade de apanhar um shiny. Com o jogo a contar com os originais 151, acabamos por perder uma grande quantidade de horas a fazer combos para conseguir todas versões e mais algumas na nossa coleção. Com isso vamos também melhorando a qualidade da nossa equipa que é algo que aqui está diferente. Agora não precisam de evoluir Pokémon a Pokémon, pois sempre que combatem ou sempre que apanham algum monstrinho selvagem toda a equipa que têm montada ganha experiência, conseguindo assim manter um maior equilíbrio de qualidade entre os vários membros que se encontram na vossa equipa de combate.

Graças ao vosso companheiro de viagem, que no meu caso é o Eevee, o jogo poderá tornar-se algo mais fácil do que podem estar à espera devido principalmente a que este é sempre mais poderoso que qualquer outro. Esqueçam a possibilidade de o evoluir, pois este amiguinho será sempre igual até ao final. Aconselhamos a colocá-lo sempre para último nos combates se procuram mais desafio e lutar com os restantes membros da vossa equipa. O Eevee ou o Pikachu que vos acompanha é um dos principais focos da história com várias cinemáticas a destacarem a aventura dos dois, um pouco à semelhança do anime, assim como é este que aprende as principais técnicas especiais, como a capacidade de nos levar pelo ar para outra cidade ou de atravessar água, assim como o típico corte de ramas que tantas vezes nos bloqueiam o caminho.

As grandes diferenças entre as duas versões é realmente o parceiro que vos acompanha e claro aqueles Pokémons que apenas conseguem através de uma troca. Por isso escolham bem e repetindo as palavras sábias do Telmo, do site Meus Jogos, decidam se querem andar com um Pikachu no ombro ou com um Eevee em cima da cabeça. Por isso estou mesmo muito satisfeito com a minha escolha e o Eevee tem sido um companheiro digno desta incrível aventura. Pokémon Let's Go Eevee! é um jogo para os mais recentes fãs do universo e pretende levar esta nova massa adepta da versão de smartphone para as consolas, algo que parece estar a funcionar extremamente bem, mas é também um jogo para os mais acérrimos fãs. Muitos podem dizer que está mais casual, que já não é a mesma coisa, que perdeu a essência, que não consegue chegar nem perto dos jogos anteriores, mas para mim este foi um verdadeiro regresso às origens e acreditem quando vos digo que foi uma experiência tão boa que me deixou ainda mais ansioso por saber o que nos espera no próximo título da saga. Pode ser apenas a nostalgia a falar e sinto que neste artigo esse lado chegou-se muito mais à frente, mas só a Nintendo para pegar em algo que milhões de pessoas já conhecem e reinventar de tal forma que todos vamos a correr para mais uma dezena de horas de vício. Mais que recomendado, obrigatório para qualquer utilizador da Nintendo Switch.
Eduardo Rodrigues
Escrito por:

Nascido em Coimbra, a residir bem perto e a estudar cá. Considero-me um geek, um devorador de filmes e adoro ler um bom Comic. Gosto de videojogos e adoro o mundo Nintendo. Tenho uma pequena coleção que vai desde a Mega Drive até à Wii U. Adepto quase fanático da Briosa e um assistente fervoroso no estádio.

Sem comentários:

Enviar um comentário