The Fade Out


A G Floy Portugal apresenta-nos mais uma edição de luxo! Originalmente publicado em três volumes, esta edição de capa dura traz a história completa com algum conteúdo bónus, que vão fazer qualquer apreciador de arte e de Hollywood ficar deslumbrado.

Dados os muitos demônios que ainda hoje permanecem dentro do estúdio de cinema de Hollywood, é chocante que muitas dessas questões remontem ao início deste. Da equipa criativa de Fatale e Kill or be Killed, o escritor Ed Brubaker e o artista Sean Philips contam uma história fictícia, passada há setenta anos e que nos mostra o lado obscuro de Hollywood durante a América pós-guerra.

Uma palavra para esta novela gráfica. Atmosfera. Definitivamente, eu senti como se estivesse no final dos anos 1940 em Hollywood. Mas a verdadeira Hollywood, não o glamouroso e sintético mundo que tantas pessoas na indústria tentaram projetar. O ponto de vista é de um roteirista, Charlie Parrish, profundamente imerso no sistema do estúdio que foi emocionalmente quebrado pelas experiências de guerra. Ele acorda num quarto, depois de uma noite de bebidas sem se lembrar de nada, e encontra o corpo da estrela do filme em que está a trabalhar no quarto ao lado. A lista de suspeitos é longa e, mesmo que não sejam o assassino, a maioria das pessoas não são inocente e estão longe de o ser. Noticiada como um ato suicida, Charlie decide descobrir o assassino e levá-lo à justiça, deparando-se com uma conspiração entre poderosas elites de Hollywood que não querem perturbar o status quo.

Dadas as colaborações anteriores de Brubaker e Phillips, que exploraram a ficção noir no mundo da banda desenhada, The Fade Out é uma perfeita continuação do seu interesse pelo género, pois a história e o cenário evocam o número de filmes noir que estavam sendo feitos na época. Definido em 1948, é evidente que os criadores investigaram muito bem a época, mostrando-nos um tempo que pode parecer glamouroso, mas por detrás de toda a beleza, há uma força motriz que é claramente suja. Este livro mostra o lado mais escuro de Hollywood que engole as pessoas inteiras, traz o pior delas ao de cima, explorando as suas fraquezas e inseguranças e o desejo de ser famoso, independentemente do custo. 

Com um elenco de personagens que são impulsionados principalmente pelo seu local de trabalho na indústria, cada um com a sua própria história para contar e Ed Brubaker dá a todos uma voz ao longo desta história. Temos vários elementos diferentes da história que estão incluídos numa quantidade de páginas relativamente curtas: o Red Scare, o Pearl Harbor, a publicidade agressiva, o alcoolismo, o preço do estrelato e até mesmo os efeitos psicológicos da guerra, tudo isto em apenas três atos. Conforme se vai avançando na leitura, esta torna-se mais escura, mais sombria e mais profana. A arte merece outra menção, porque as cores e o trabalho de linha são simplesmente incríveis.

Se adoras o estilo clássico noir, os bastidores de Hollywood e um mistério fascinante, aproveita esta novela gráfica de Ed Brubaker e Sean Phillips. Não te vais arrepender!
Cristiana Ramos
Escrito por:

Dividida entre o mundo da Ciência e o mundo Geek. Viciada em livros e em roer as unhas. Espectadora assídua no cinema, especialmente se aparecer um certo Deus com cabelos loiros. Adora filmes de terror. Louca por cães, mas eles são tão fofos! Romântica incurável (apesar de não admitir). Fã de Friends, GoT e Big Bang Theory.

Sem comentários:

Enviar um comentário