Dragon Ball Super: Broly


Ora bem, tenho de admitir que Akira Toriyama fez um excelente trabalho com este filme, começando pelos trailers, que fez com que se tivesse criado um grande hype pelos fãs, apesar de haver alguma reticência quanto ao filme, visto que já existe um criado nos anos 90 com o mesmo tema.

Posso dizer com toda a certeza, que este filme justificou a 100% esse hype e agradou todos os fãs da franquia que o viram.

A começar pelas personagens, Akira não se limitou apenas a desenhar as personagens que tão bem conhecemos de raiz, como neste caso o Broly e o Bardock, como como lhes mudou por completo as suas personalidades. Começando pelo Bardock, no filme em que ele é apresentado pela primeira vez, vemos uma personagem fria, e sem qualquer tipo de apego pelo seu filho Kakarot, aka, Son Goku, devido ao seu fraco poder de combate, diria mesmo que chega a ter vergonha, e passado algum tempo, esse sentimento muda. Neste filme vemos uma pessoa bastante amada pelo seu povo e este mostra sinais de carinho e amor pela sua família.

Já o Broly, foi onde a mudança foi mais "brusca". No filme original, deparamo-nos com uma personagem marcada pelo seu passado, e ao encontrar Goku, todo o seu ser é banhado de raiva, que o transforma num monstro maquiavélico e sanguinário, sem qualquer tipo de remorsos com os horrores que cometeu. Neste filme, como disse, houve uma mudança muito abrupta, mas nem por isso, deixa de ser uma personagem amada por todos. Vemos uma pessoa com humanidade, tudo o que faltava na sua versão dos anos 90, acho que isso é o suficiente para perceberem o tipo de personagem que Akira quer mostrar ao público. Tendo em conta o destino que teve em bebé, vemos uma criança em forma adulta, que vai experienciando coisas novas. O único problema para além da sua força extrema, é o seu pai que o cria e usa-o como uma arma para levar a cabo a sua vingança.

Outra personagem que me agradou bastante foi a mãe de Goku, uma pessoa, a quem desde o inicio se levantou muitas questões sobre ela. Desde o inicio da série do DBZ (note-se que não sei se é apenas um rumor ou verdade), que os Saiyans se interessavam uns pelos outros apenas com o propósito de procriarem e depois seguiam com as suas vidas. O que não é o caso de Bardock e Gine que nutriram sentimentos fortes um pelo outro.

Quanto ao filme em si, fiquei satisfeito. Os gráficos e o tipo de animação foram mudados dando mais dinamismo aos combates, mas também, para recriar um pouco a maneira como eram feitos nos anos 80/90. Neste aspeto, apenas achei estranho o facto de que sempre que alguém se transformava, faziam um zoom aos olhos, e mostravam como eles mudavam, dando um sensação que as personagens estavam a "flipar" da cabeça.

Quase duas horas de pura ação, e à mistura um pouco de comédia e também drama, tornando-o filme mais longo da franquia, com uma banda sonora espetacular, tudo o que poderíamos pedir de um filme com esta envergadura. Para aqueles que estão na dúvida se vão ver ou não, porque estão à espera que a série do "Super" acabe de passar na televisão em português, não se preocupem, pois o filme não dá qualquer tipo de spoilers sobre o último arco.

Uma noticia que vai alegrar os fãs, é que já está confirmado o filme para Portugal, tendo apenas até ao momento os Cinemas City confirmado a sua estreia apenas dobrado, e dando garantias que o filme não é exclusivo deles, o que significa que teremos de esperar para ver se mais alguma cadeia de cinema também se chega à frente. No que diz respeito às dobragens em si, há uma grande probabilidade de não serem os mesmos dobradores que até aqui fizeram esse trabalho, pois sabe-se que, segundo um deles, ninguém foi ainda contactado para esse fim.

Já sabem pessoal, "Não percam o próximo artigo porque nós também não!!!"
Mário Torres
Escrito por:

Sou de Coimbra, sou uma pessoa que gosta de tudo um pouco, especialmente desporto e animes, e quando estes dois últimos se juntam… Também sou fã de videojogos, preferindo a PlayStation e a Nintendo, e claro gosto de um bom filme. 

Sem comentários:

Enviar um comentário