Crónicas de um Jogador

Master Games I: World Soccer

Master System

Master Games I: World Soccer


Novo ano e finalmente, novo registo: Master System! Eu sei que estou a começar por uma colectânea, mas como sabem falo de sentimento, de memória e de divertimento, e este cartucho três em um tem tudo isso, e muito mais!

Longínquo ano de 1995 ou 1996, vai um menino sedento por uma novidade que o faça vibrar, uma consola, mas não percebia nada daquilo! A sua mãe conduz de forma aventureira um Super Cinco para outra novidade que a faz vibrar, a abertura de um novo Continente Modelo! Dois corações sozinhos a ambição juntou pela compra de… coisas! Mas a mãe, mais sabida que o menino, olhou e comprou uma consola… em promoção! O menino tinha a consola e estava… feliz! O pior estava para vir!

Montar aquela maravilha foi difícil, especialmente depois da resposta da mãe que foi algo do género: “Não percebo nada disso, desenrasca-te”. O menino montou a consola, sintonizou a televisão e conseguiu guardar o canal! Adivinhava-se um miúdo com uma carreira brilhante, como todos os outros da sua altura que tiveram que passar pelo mesmo!

Cartuchada e companhia, começo por experimentar aquele que eu estava mais sedento por jogar, o de Futebol: World Soccer!

Creio que ao falar deste tipo de jogos tenho de começar forçosamente sempre da mesma forma: uma equipa contra a outra, jogo de baliza a baliza, visto da bancada, como tantos outros que podemos encontrar em qualquer prateleira.

A simplicidade deste pequeno é tremenda, logo no ecrã inicial temos o título, dois jogadores a disputar uma bola, um que poderia ser o Maradona por ser argentino, creio eu, e o outro um jogador italiano, pela camisola. Carregamos no Start e temos quatro opções: jogo normal de um jogador, ou de dois jogadores; jogo por penaltis de um jogador ou dois jogadores. Escolhemos uma das opções e escolhemos as equipas, oito selecções fáceis de enumerar: Argentina, Alemanha, França, Brasil, Reino Unido, Itália, Estados Unidos da América e Japão! Quando elegemos uma selecção do nosso agrado e a adversária que queremos trucidar (supostamente…), começa a tocar o respectivo hino do país, um toque fantástico!

Por fim é entrar em campo e jogar… E eu não percebia nada daquilo! As minhas esperanças foram logo por água abaixo porque não percebi como defender ou marcar um golo! Os jogadores empurram a bola e esta vai aos saltinhos, parece que estão a dar pontapés numa pedra! O guarda-redes é controlado por nós, se bem me pareceu e, por isso, levei tantos golos. O jogo é tão duro como pode parecer, pois não me lembro de uma falta marcada, e falando em dureza, os carrinhos são a maravilha para tirar bolas. No final, somos brindados pelo vencedor a erguer a taça de campeão do mundo, enquanto o derrotado se dirige a este e cumprimentam-se num gesto de Fair Play! O final é sempre lindo após minutos de desespero e de muitos e graves olhares para o comando, a imaginá-lo a espatifar-se contra uma parede da minha casa.

Se não me engano, este foi um dos primeiros jogos da Master System, um de uma série de jogos de desporto que saiu para esta consola. Nesta coletânea estão dos mais nobres e divertidos, mas eu nunca percebi muito bem o jogo, nem agora. Ficam as memórias de angústia que me deixou, que apesar de tudo doces pelas tentativas de ser bem-sucedido que tive com ele!
Master Games I: World Soccer
Jogado em: Master System
Desenvolvido por:
Distribuido por:
Género(s):
Armando Mateus
Escrito por:

Gamer dedicado, leitor apaixonado e escritor nos tempos livres. Fascinado por um todo produzido pela Sociedade: a Cultura, o símbolo dos velhos e dos novos tempos!

Sem comentários:

Enviar um comentário