Once Upon a Deadpool


Nesta última época natalícia, a Fox decidiu re-lançar uma versão de "Deadpool 2" para audiências mais novas, com menos palavrões e sem as consequências da violência (não se preocupem, a maior parte da violência continua lá). 

Vamos ser justos, essas não foram as únicas alterações até porque, se tiraram algo, tinham que colocar outra coisa para substituir. E assim fizeram. O filme ganhou algumas cenas extra, apesar muitas das melhores terem sido cortadas. Perdemos, por exemplo, uma longa cena de luta no início, mas ganhámos uns segundos do Colossus (voz de Stefan Kapicic) a fazer burpees. Perdemos a introdução à la James Bond com a excelente música da Celine Dion, mas ganhámos uma referência à cantora um pouco mais à frente.

Ok. Até agora não está a correr bem, mas entre as cenas que foram acrescentadas e as falas que foram modificadas, o filme acabou por ganhar alguns pontos. Houve certas coisas que ficaram mais claras, simplesmente porque foram ditas de forma diferente ou porque foram explicadas melhor. Por exemplo, fiquei a perceber melhor aquelas "visões" que a personagem principal, Wade Wilson (interpretada por Ryan Reynolds), tem com a sua cara-metade. Tal como fiquei com uma ideia diferente sobre a relação entre Deadpool e Colossus, que neste filme me pareceu um pouco mais profunda, apesar de pouco ter mudado na sua apresentação. 

Agora, se por outro lado uns buracos foram tapados, outros foram abertos e houve coisas que deixaram de encaixar tão bem, especificamente em relação à edição e remoção de certos efeitos. Por exemplo, e sem querer estragar a história para quem ainda não viu, havia uma cena em "Deadpool 2" em que Deadpool levava um tiro (bem, havia muitas, mas quero focar numa em específico). Nesta versão dessa cena ele leva o tiro na mesma, mas não se vê sangue, o ferimento  ou o dano no fato (que deviam ter sido acrescentados como efeitos especiais, porque a filmagem é a mesma). Porém, em cenas posteriores já se vê o buraco no fato. São pequenos pormenores que de vez em quando saltam à vista.

Entre as cenas novas, temos que dar o destaque àquelas com Fred Savage (interpretado por Fred Savage... não é um erro), que são engraçadas e acrescentam um humor um pouco diferente. Basicamente, neste filme, Deadpool reconta a história de "Deadpool 2" a Fred Savage, numa série de momentos que, não fugindo muito à personagem, quebram a quarta parede. E é assim que justificam os cortes e recortes na contagem da história.

Numa cena em particular, Deadpool usa o bleep usado na censura de palavrões para fazer parecer que Savage está a dizer coisas que não devia, tornando perverso um discurso que de outra forma seria perfeitamente aceitável. Esse foi para mim o ponto alto do filme, porque foi original e uma amostra do bom aproveitamento do potencial desta nova edição do filme. Afinal de contas, em que outro filme é que isto poderia funcionar? Vejam e digam-me.

E voltamos ao que está menos bem. Há várias cenas em que se nota que os movimentos da boca por baixo da máscara não batem certo com as novas falas e há outras que, tendo cor e ângulo diferentes, se nota que não faziam parte do lançamento original. Como se fossem peças num puzzle que foram forçadas a encaixar.

Resumindo e concluindo, para quem viu o "original", isto será como um jogo de encontrar as diferenças onde de essas diferenças dão para perceber um pouco melhor o que se está a passar. Quem não viu, não ficará com exactamente a mesma ideia da história, porque há coisas em falta. No entanto, para quem não pode ver "Deadpool 2" devido às restrições de idade (o que, sejamos sinceros, por cá não é um grande impedimento), diria que esta versão é boa suficiente, mas exactamente isso e só isso: "boa suficiente". Talvez a vejamos na TV nacional quando chegar o Natal, algo que não podemos esperar de "Deadpool 2", mesmo que seja a versão superior do filme.
Pedro Cruz
Escrito por:

"Spawned" em Aveiro no ano de 90, apreciador de amostras de imaginação e de criatividade, artesão de coisas, mestre da fina arte da procrastinação e... por hoje já chega, acabo isto amanhã...

12 comentários:

  1. Já quero ver essa versão, principalmente a parte com o Fred Savage. Deve ser uma sátira perfeita! Torcer para podermos ver isso por aqui.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia LeoSV, o filme já esteve em exibição nos cinemas NOS (pelo menos).

      Eliminar
  2. Oi Pedro, tudo bem?

    Ainda não assisti Deadpool, mesmo com todo o sucesso que o primeiro filme fez. Não sabia dessas mudanças do filme 2 para abarcar um filme diferente e aumentar o alcance. Pelo que citou, acho que algumas cenas fizeram falta e essa coisa do bater de boca não condizer com as falas realmente incomoda. Preciso ver ambos para sentir essas diferenças! Belo post!

    Beijos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia. Por aqui tudo bem. E por aí?
      Em termos de tom são filmes claramente diferentes. Sem sangue e com menos violência, Once Upon a Deadpool é mais leve. Por um lado, temos certas cenas em falta, por outro temos outras cenas acrescentadas.
      Creio que ver os dois realmente ajuda a perceber bem a história. Claro que provavelmente tiveram que cortar cenas no filme original e agora tiveram oportunidade de as acrescentar, mas se para perceber bem a história temos que ver dois filmes ligeiramente diferentes, há problemas na contagem dessa história que só ficaram óbvios agora.
      O lip sync pode ser frustrante a quem estiver a prestar atenção. Só notei nas falas do Deadpool e não é algo que tenha reparado nos outros filmes.

      Obrigado e até breve

      Eliminar
  3. Oi Pedro. Então, eu adoro o Deadpool. Achei que o conjunto da obra entre personagem e interprete foi um combo de sucesso. Maaaas, já não gostei tanto do segundo, como do primeiro. Não sei explicar, mas ficou faltando aquele X a mais. Então, quando saiu o trailer dessa versão, já fiquei com o pé atrás. Depois li críticas terríveis sobre o filme e, confesso, pela primeira vez, elas me desmotivaram. Acho que porque já não tinha gostado muito inicialmente. Acredito que eu vá ver o filme ainda, mas em casa, sem gastar dinheiro. E, me conhecendo bem, irei ficar comparando mesmo as cenas rs. Parabéns pela crítica, achei super completa. Beijos
    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderEliminar
  4. Oi Pedro!!
    Eu nunca vi Deadpool. Meu marido já viu inúmeras vezes, mas eu nunca tive interesse de ver. Achei interessante fazer uma nova versão para alcançar novos públicos!!
    Bjs
    https://almde50tons.wordpress.com

    ResponderEliminar
  5. Olá Pedro, tudo bem? =)

    Gostei muito dos seus comentários e fico feliz pela parte que deu para compreender mais algumas coisas que antes não eram explicadas da melhores formas mesmo que infelizmente algumas se perderam, ainda não assisti este, mas já estou ansiosa para saber o que vou achar e também ficar ligadinha nestas situações que colocou aqui na postagem.

    Beijinhos, Tham

    http://www.4youbooksmania.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Thamila. Tudo bem. E por aí?
      Espero não ter estragado a experiência ao realçar certos defeitos. Realmente, nada é perfeito. Se fosse aconselhar um... bem, depende da pessoa. Pessoalmente preferi o original, mas não estou arrependido de ter visto este.

      Eliminar
  6. Ainda não assisti ao segundo filme mas confesso que se tivesse assistido ia ficar procurando essas diferenças que ficaram evidentes entre os dois filmes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem o mal de ter dois filmes apenas ligeiramente diferentes. Nós estamos "programados" para encontrar as diferenças :D

      Eliminar
  7. Eu assisti o filme com meu marido, mesmo não gostando muito e pela sua resenha, talvez eu goste mais dessa versão rs, vou procurar pra assistir.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez :). Qualquer desculpa é uma desculpa se for para comer pipocas e estar com as nossas caras metades.

      Eliminar