Beck


Beck (Mongolian Chop Squad) é um anime bastante popular, senão o mais popular, do estilo de música, produzido no outono de 2004. Os estúdios que o produziram, Madhouse, são bastante conhecidos devido à sua constante produção de animes incríveis.

Beck centraliza-se numa só personagem principal, de seu nome Yukio "Koyuki" Tanaka que, é, logo de início apresentado como um rapaz de 14 anos sem nenhum objetivo de vida. O seu quotidiano é representado como um rapaz normal que frequenta a escola sem nenhum destaque para com os seus colegas de escola. Contudo, a sua vida sofre uma mudança quando conhece um cão estranho, de aparência engraçada, chamado Beck, sendo maltratado por uns miúdos de bairro.

Mais tarde, Koyuki volta a encontrar o dono de Beck, Ryuusuke "Ray" Minami, que é um guitarrista, muito talentoso, que procurava formar uma banda de Rock. Lentamente, Ray introduz Koyuki para o mundo da música e do Rock, levando-o a concertos ao vivo e a cafés "underground", despertando, a este uma necessidade e um desejo de aprender mais, frequentar e integrar esse novo tema que tinha aparecido na sua vida. Após várias saídas, encontros, ensaios, concertos, dramas e um trabalho assíduo e árduo de Koyuki, ele vai apresentando um talento nato e um à vontade em relação à música, sendo chamado para fazer parte da banda de Ray.

A forma como o visualizador vai conhecendo a personagem principal não é comum, pois o carácter é apresentado quando Koyuki interage com as outras personagens, sendo a partir daí possível criar uma ideia própria de como ele é, enfatizando as suas reações e pensamentos, tornado o desenvolvimento da sua personagem homogéneo, de igual parte, fazendo com que a interpretação seja suave, prazerosa, dando um toque autêntico e real ao enredo. É um anime que apresenta um bom desenvolvimento, com um lento crescimento na relação entre as persongens, mas peca um bocado na segunda metade, já que se centraliza na história de Lucille, guitarra de Ray, dando uma quebra no desenrolar do anime.

Em termos de arte, gostei muito do que vi. Apesar de ser um anime antigo, de 2004, este apresenta um desenho muito apelativo, onde se parece muito com grafitis, caracterizando o mundo da música ao vivo, o "grunge". Os acordes das guitarras elétricas, dos baixos, das clássicas, das técnicas que utilizavam, da bateria, ou de qualquer outro instrumento, são muito bem feitos e representados, dando, mais uma vez, a sensação que é algo real, autêntico, e, para quem esteja ou quer aprender música é muito apelativo, graças a este rigor.

Uma das coisas que preciso de também falar é da música que o anime apresenta. Senti que o impacto que a sonoridade das músicas tem, foi, aos poucos, crescendo dentro de mim, até ao ponto de me tornar um fá da própria banda e torcer por eles até ao fim. Ao longo do anime, a música que é construída e tocada por instrumentos, num espetáculo ao vivo, é representado como algo superior aos estilos em ascensão daquela época, como o Pop, denegrindo tudo aquilo que é "mainstream" e consumido rapidamente, apelando, assim, ao sentimento, ao conhecimento e à cultura do Rock.

Resumidamente, gostei de Beck e aconselho vivamente a qualquer pessoa a assitir porque transmite, para além de concertos e música, uma mensagem boa de como a vida é feita. Desde a incerteza dos objetivos de um rapaz de 14 anos, até ao crescimento e às suas descobertas, Beck vai mostrando que, embora as dificuldades e obstáculos que cada um tem, existe sempre uma solução, uma zona de conforto, uma escapatória que, no caso de Koyuki, era a sua guitarra e suas músicas.
Rui Brandão
Escrito por:

Nascido no norte, mais precisamente no Porto. Desde novo que sempre gostei de jogar videojogos, principalmente de computador. Gosto muito de ver animes, mas também acompanho séries e filmes.

Sem comentários:

Enviar um comentário