Dragomante


Dragomante é fruto completamente nacional, vindo das mentes de Manuel Morgado, encarregue da ilustração, e de Filipe Faria, que tratou do argumento.  Esta foi a minha primeira aventura numa banda desenhada portuguesa e tenho de dizer que não fiquei nada decepcionada! A capa chama logo a atenção onde podemos observar que vamos ter presente temáticas como “Idade Média” e Dragões. Durante a leitura, lembrei-me muitas vezes da história de Eragon, um dos primeiros livros que li que me apresentaram ao mundo do fantástico e claro, ao mundo dos Dragões!

Esta banda desenhada começou de maneira inversa ao que é costume: Manuel Morgado desenhou várias pranchas e o escritor Filipe Faria foi o escolhido para contar uma história a partir destas. E assim nasceu Dragomante, o nome dado aos guerreiros que conseguem “domar” os dragões, criando uma espécie de ligação, que os liga até à morte.  A história só peca por ser curta, quando o enredo está a ficar intenso e forte, a narrativa termina, deixando uma imensidade de possibilidades para o futuro de Nereila, a personagem principal da história, havendo hipótese para continuação. Um aspeto que me deixou desgostosa foi o facto que o Dragão de Nereila, Iscérikan tenha tido um papel pequeno em toda a história, esperando que se houver continuação que este esteja muito mais presente e com um papel mais significativo.


Quanto ao argumento, para quem conhece o trabalho de Filipe Faria sabe que já tem prática no mundo fantástico, contando com vários livros no seu currículo que abordam temáticas como batalhas, personagens femininas altamente corajosas e rebeldes, campo de guerras e algum romance pelo meio. Os diálogos apresentam algumas falhas, mas a história apresenta um mistério tão grande que nos vemos a devorar cada página para desvendarmos a intriga envolta das personagens.


A arte de Manuel Morgado está fantástica, todas as cenas transmitem o realismo, a emotividade e a agressividade. Todas as vinhetas, a qualidade do traço, as cores, e a riqueza dos desenhos, os planos tornam uma leitura obrigatória para qualquer amante de banda desenhada.


É incrível ver que existe uma qualidade tão elevada no nosso país e é um orgulho ler um trabalho destes. Espero que haja próximos volumes, porque tem um enorme potencial para se tornar um grande sucesso na área das bandas desenhadas e no mundo do fantástico!
Cristiana Ramos
Escrito por:

Dividida entre o mundo da Ciência e o mundo Geek. Viciada em livros e em roer as unhas. Espectadora assídua no cinema, especialmente se aparecer um certo Deus com cabelos loiros. Adora filmes de terror. Louca por cães, mas eles são tão fofos! Romântica incurável (apesar de não admitir). Fã de Friends, GoT e Big Bang Theory.

Sem comentários:

Enviar um comentário