Lusitânia


Foi na LeiriaCon, na incrível sala da LeiriaKids, que eu e o Eduardo experimentamos Lusitânia pela primeira vez, um jogo com um tema bem português e publicado pela Pythagoras. Apesar de termos jogado a dois, este jogo permite no máximo quatro jogadores.

Em Lusitânia, vamos ser um general romano que tem como objetivo construir um exército para derrotar o povo Lusitano. Quem conseguir reunir um exército com 20 ou mais pontos é declarado o maior general romano! 

No exército temos 4 tipo de soldados: legionários, médicos, artilheiros e mercenários bárbaros. Cada jogador começa com 3 cartas e no seu turno pode realizar uma das seguintes ações: jogar uma carta, trocar uma carta ou acionar uma carta de ação. As cartas de ação: Júlio César, Deus Marte, o Senador e o Comandante oferecem jogadas especiais, tais como roubar cartas aos nossos adversários, trocar várias cartas da nossa mão, entre outras jogadas, permitindo um maior controlo do jogo.


Existem algumas regras que não podemos contornar: cada jogador só poderá ter soldados de apenas uma cor, não poderá ter mais do que dois bárbaros, um médico e um artilheiro e não é permitido ter soldados ou bárbaros que tenham a mesma numeração romana. Existem também cartas de equipamento que tem de ser colocada numa carta de soldado ou bárbaro já jogada anteriormente.

O grande ponto positivo deste jogo é a rapidez de cada partida. O facto de ser rápido possibilita ser jogado entre pausas de jogos mais pesados e o jogo ser apenas um baralho torna-o fácil de transportar e permite jogar em qualquer lado, como num café, em vez de jogarmos o típico jogo da sueca ou do desconfia. 

Outro ponto forte são as ilustrações das várias cartas e aqui só podemos dar os parabéns ao Oliver Fagnère pelo trabalho fantástico. Para além dos desenhos deslumbrantes, as cartas são bastante simples e são facilmente entendíveis, sendo um jogo de fácil acesso para crianças e um jogo perfeito para jogar num ambiente mais familiar, sendo leve e descomplicado.

Havemos de voltar a jogar, mas desta vez a 4 jogadores, porque a mecânica muda e deve ser uma interação diferente estar a jogar contra 3 jogadores, tornando o jogo mais interessante e até estratégico.

Um jogo descontraído, perfeito para quando há pouco tempo para jogar e para desanuviar a cabeça, e ainda ensina história!
Cristiana Ramos
Escrito por:

Dividida entre o mundo da Ciência e o mundo Geek. Viciada em livros e em roer as unhas. Espectadora assídua no cinema, especialmente se aparecer um certo Deus com cabelos loiros. Adora filmes de terror. Louca por cães, mas eles são tão fofos! Romântica incurável (apesar de não admitir). Fã de Friends, GoT e Big Bang Theory.

Sem comentários:

Enviar um comentário