Shazam!


SHAZAM!!

Woooow chegou!!! Chegou finalmente o dia de receber o grande e maravilhoso Dedos Cintilantes… espera, não era suposto ser assim que me iria chamar… Hm… Certo, isso não é assim tão importante, por isso vamos ao que realmente interessa. Sou eu, o grande e super poderoso herói da DC Comics e agora cheguei ao cinema com um filme tão incrível, tão fantástico, tão impressionante, que vai deixar todo o público boquiaberto pelas enormes mudanças que vim criar a todo o universo de filmes da DC. Eu sei, eu sei, há tão pouco tempo chegou o Captain Marvel e agora têm aqui o verdadeiro e real Captain Marvel. Confusos? Sim, mas… Calma não posso referir nada acerca deste nome? ... Certo… Mas estou aqui… o incrível…

SHAZAM!!

É assim que volto ao normal, estado na altura de escrever um pouco sobre aquilo que realmente funciona ou não neste filme. Antes de mais a seriedade em que vários filmes DC se baseiam é completamente deitada ao lixo, de certa forma. Quero dizer que este filme não se leva a sério de forma alguma e isso é fantástico. Começa a ser cada vez mais perceptível que a Warner acaba por realizar um melhor trabalho nestes filmes de super-heróis quando se foca naquilo que o herói realmente é e não em tornar tudo em algo extremamente adulto. O que pode ficar bem em Super-Homem ou Batman, não irá certamente funcionar tão bem em Aquaman e Shazam! pelos mais variados motivos, mas principalmente e na minha opinião porque cada um já tem uma expectativa daquilo que o herói é e daquilo que pretende ver. Quando os realizadores pegam num personagem já adorado pelos fãs, ou mesmo sendo um menos adorado, alterando as ideias bases e criando algo completamente diferente apenas para se manter dentro do estilo do resto do universo, isso não vai funcionar. O filme da Mulher Maravilha faz um trabalho excelente na relação entre uma história séria e momentos divertidos que vão agarrando a maioria dos espectadores. Aquaman volta a fazer isso, com um ambiente que não se leva assim tanto a sério e funciona perfeitamente. E agora, agora funciona exatamente igual em SHAZAM!

AAAAAAAAAH Estou de volta. Acho que já perceberam bem o trabalho que aqui fiz. Óptimo certo? Sei que sim e tenho a certeza que todos vão adorar a incrível história, carregada de bons momentos onde as interações entre os personagens realmente funcionam, mas melhor do que eu para explicar volto ao meu eu mais experiente nestas coisas de escrever.

SHAZAM!!

Como estava a dizer, as interações entre os personagens são muito boas e é incrível ver Zachary Levi a encaixar perfeitamente numa mente de 15 anos de idade e a sua conexão com Jack Dylan Grazer, que interpreta um dos “irmãos” de Billy. No geral, temos um elenco que funciona e à sua maneira vai-se envolvendo no enredo sem nunca complicar em demasia e oferecendo momentos divertidos e mesmo mais sérios, mas principalmente todos eles entretêm. Levi faz um grande trabalho e o seu papel funciona perfeitamente mostrando exatamente de que forma este filme encaixa dentro do universo. Por falar no universo, apesar de todas as referências efetuadas, este filme não faz uma grande ligação, apresentando apenas alguns momentos que mostram que tudo se desenrola no mesmo mundo. Para isso temos o papel de Freddy, um miúdo fanático pelo mundo dos heróis e que conhece tudo sobre os seus poderes, ajudando assim o seu irmão na busca pela sua verdadeira identidade.

Além de tudo o que já referi quanto à clara melhoria e evolução dos filmes da DC, tendo em conta o padrão de usarem o estilo de cada personagem para criar um ambiente mais ou menos sério e que realmente funcione, há um pequeno pormenor que parece estar a ligar os filmes DC, pelo menos no que toca a Aquaman e a SHAZAM!

Oh não, isto não era suposto ter acontecido… SHAZAM!

Ok, voltando ao que estava a dizer, estes dois filmes ligam-se pelo realizador. Não, não é o mesmo, mas Aquaman recebeu James Wan na cadeira de realizador, que é já um veterano no universo dos filmes de terror oferecendo uma das maiores franquias da atualidade, The Conjuring - A Invocação, conseguindo mostrar-se bem capaz de criar bons filmes fora do seu ambiente natural. Agora temos David F. Sandberg, que esteve envolvido em Lights Out, um filme com James Wan, assim como Annabelle 2 A Criação do Mal, que pertence ao universo de James Wan. Com esta ideia começo a pensar se temos aqui uma tendência para Wan ter uma ligação mais próxima ao universo DC e colocar os seus conhecidos nas cadeiras de outros filmes, apresentando assim um renovado universo. Por enquanto parece-me bem.

Sandberg faz um belo trabalho, mesmo não chegando perto dos planos incríveis que Wan oferece em Aquaman, temos aqui um grande trabalho no que toca a realização e a história é assim muito bem contada. Este é mais uma entrada em grande no universo e felizmente voltamos a ter um bom título. Numa altura em que todas as atenções estão viradas para o universo Marvel, chega-nos um título que se pode dizer que é os Guardiões da Galáxia da DC, com grandes doses de humor, não se levando muito a sério, mas que funciona extremamente bem. É SHAZAM!

Estou de volta e para acabar, vou só ali aproveitar esta nova vida de super-herói. Prometem que vão ao cinema ver-me? Por favor?
8.5
Shazam!
Muito Bom
Eduardo Rodrigues
Escrito por:

Nascido em Coimbra, a residir bem perto e a estudar cá. Considero-me um geek, um devorador de filmes e adoro ler um bom Comic. Gosto de videojogos e adoro o mundo Nintendo. Tenho uma pequena coleção que vai desde a Mega Drive até à Wii U. Adepto quase fanático da Briosa e um assistente fervoroso no estádio.

Sem comentários:

Enviar um comentário