Carcassonne Safari



Foi na LeiriaCon que tivemos a oportunidade de jogar em primeira mão o belíssimo Carcassonne Safari. 

É muito difícil nunca ter ouvido falar de Carcassonne. Com o seu enorme número de seguidores, as suas versões nos smartphones e vários jogos diferentes com várias expansões, existem muitas opções disponíveis para os fãs deste jogo de tabuleiro. Não é nenhuma surpresa ver um novo jogo de Carcassonne, com o mesmo jogo de combinação de peças, que nós já conhecemos tão bem, só que desta vez temos algumas mudanças que tornam o jogo diferente e mais desafiante. 

Ler também: Opinião Carcassonne - Winter Edition

Carcassonne Safari é o quarto jogo completo a ser lançado como parte da série Carcassonne: Around the World, sendo uma reviravolta interessante na saga Carcassonne. Distancia-se de várias formas, através da pontuação e da aparência visual, e cada uma dessas mudanças funciona muito bem. Os jogadores terão de jogar de forma diferente para marcar em grande.

Carcassonne Safari é jogado como o Carcassonne original, com algumas regras adicionais e diferentes maneiras de marcar pontos. O Safari é um jogo de colocação de peças. Na sua vez, cada jogador retira e coloca uma peça. Cada tile é colocado numa posição na área do jogo que permita continuar os caminhos já traçados pelas peças iniciais ou já colocadas pelos jogadores anteriores. Depois de colocar a peça, o jogador pode colocar um meeple em qualquer recurso da peça que acabou de jogar, desde que esse recurso não tenha sido reivindicado por outro jogador. O objetivo do jogo é fazer mais pontos que os adversários.

Nesta versão do jogo, temos as estradas que se podem chamar de trilhos na savana, as cidades são substituídas por florestas, as abadias trocadas por árvores Baobab e os campos substituídos pelos oásis, que são colocados num vértice de quatro cantos. Para além destas mudanças, é acrescentado dois jipes, uma opção que torna o jogo muito mais estratégico. Quando o jogador não coloca nenhum meeple ou inicia um oásis, é lhe possível movimentar um dos jipes para qualquer espaço que esteja vazio, e quando um jogador colocar uma peça no espaço onde está o jipe, ganha automaticamente 3 pontos. 

Nesta versão de Carcassonne deixou-se de ter aquela corrida à grandiosidade, onde se pontuava pela dimensão das estradas ou das cidades. Aqui isso deixa de existir, e temos cinco convidados muito importantes: o leão, a zebra, a girafa, o macaco e o elefante. Estes animais vão estar presentes nas peças colocadas ao longo do jogo, mas também haverá peças dos diversos animais para cada jogador, que inicia o jogo com dois animais cada um. Em Carcassonne Safari, as pontuações são feitas consoante o número diferente de animais que existem nos trilhos ou nas florestas. Cinco animais diferentes dão direito a 15 pontos. Para além disto, nas florestas há a existência de pássaros, e por cada ave presente adiciona um ponto. As árvores Baobab permitem que quando se coloca um meeple deitado no tile se retire dois animais e quando os espaços à volta da peça estiverem todos preenchidos retiram-se mais dois animais e volta-se a recuperar o meeple.


Quanto aos oásis, é uma nova forma de marcar pontos. Cada oásis é constituído por 4 animais diferentes. O jogador que iniciar um oásis recebe 3 pontos, o jogador que colocar o segundo animal recebe 4 pontos, o terceiro animal 5 pontos e quem fechar o oásis recebe 6 pontos. Quando o oásis é fechado, ou seja, apresenta quatro animais diferentes, o jogador que iniciou o oásis recebe mais 3 pontos extra.


Quando a peça final é jogada, o jogo termina e alguns pontos finais são marcados. Para os trilhos e florestas incompletos, os jogadores pontuam um ponto por cada animal, independentemente do tipo e incluindo as aves. 

A mecânica semelhante ao original facilitou muito a aprendizagem do jogo. Mas mesmo com as semelhanças, as características adicionadas trazem uma lufada de ar fresco. Os componentes têm uma arte muito gira e a pontuação é marcada por meeples em formato de elefantes. Era interessante se os meeples de cada jogador fossem temáticos para combinar com tema do safari, mas são meeples básicos de Carcassonne. A obra de arte permanece fiel ao original Carcassonne na sua uniformidade.


O que torna o Safari divertido é a o facto que os jogadores se tendem a sentir relaxados enquanto ainda têm competitividade entre eles. Gostei muito da nova maneira de pontuar no Carcassonne Safari, retendo elementos do jogo original, mas recompensa os jogadores por recursos menores, desde que eles tenham animais suficientes. Os oásis e os jipes adicionam um sabor extra ao jogo, permitindo que não haja jogadas inúteis. 

Esta versão foi uma reviravolta de um jogo clássico que adoramos. Carcassonne Safari constrói uma maravilhosa paisagem de savana e deve proporcionar muitas noites de jogo memoráveis.
Cristiana Ramos
Escrito por:

Dividida entre o mundo da Ciência e o mundo Geek. Viciada em livros e em roer as unhas. Espectadora assídua no cinema, especialmente se aparecer um certo Deus com cabelos loiros. Adora filmes de terror. Louca por cães, mas eles são tão fofos! Romântica incurável (apesar de não admitir). Fã de Friends, GoT e Big Bang Theory.

Sem comentários:

Enviar um comentário