Douro 1872


Ainda há pouco tempo estive aqui a escrever sobre Fado: Duetos e Desgarradas da Pythagoras Games e agora chegou a altura de deixar um pouco da minha experiência com Douro 1872, o segundo jogo nacional lançado no ano passado pela editora que se tem vindo a destacar pela demonstração da cultura nacional em todos os seus títulos. Tal como o próprio nome indica este jogo está relacionado com o rio Douro e as clássicas viagens nos barcos Rabelo, que são as embarcações que serviam para transportar o Vinho do Porto entre o alto Douro e as cidades do Porto e Vila Nova de Gaia onde estavam localizadas as míticas caves onde o vinho era armazenado até embarcar para outros locais, quer nacionais quer internacionais. Esta é a história que inspiram a arte deste jogo.

Douro 1872 é, tal como Fado, um jogo de cartas, onde toda a arte envolvente das cartas e pequenos componentes compõem toda esta ideia de jornada pelo rio, fazendo descobrir alguns dos problemas e situações que aqueles homens passavam. Apesar de bonito, não deixa de ser apenas o seu aspecto e a forma como jogamos podia bem ser adaptada a qualquer outro tema, mas vamos mantendo dentro do que nos é oferecido e desfrutar neste pedaço de história portuguesa. Focando agora na forma de jogar e como isto tudo se concilia entre si. Em Douro 1872, estamos perante uma mão de cartas, numeradas, cada uma com vários pipos desenhados e jogando uma carta de cada vez, necessitamos de superar o valor da carta que é apresentada em cima da mesa. Pode parecer confuso, mas prometemos que não é.


Tal como em vários jogos tradicionais de cartas aqui é muito importante que tenhamos em atenção as cartas que estão em cima da mesa, quais já foram embora e quais ainda poderão aparecer. Acreditem que se não tiverem isso em conta vão acabar por ser surpreendidos e nem vão achar assim tanta piada ao jogo. Sabendo que existe um determinado número de cartas com valores pré estabelecidos será fácil para alguns manter uma ideia do que vai sendo jogado e conforme a partida se vai desenrolando vamos começando a conseguir guiar uma estratégia de forma mais ou menos correcta, contando sempre com o factor sorte. Como exemplo posso dar um que aconteceu na primeira vez que esmiuçamos este jogo. Quase no final do jogo havia ainda duas cartas nevoeiro para sair, que acabam por ser as mais complicadas de descobrir o que está lá por baixo escondido, mas tendo em conta que havia apenas duas tinha 50% de hipóteses em que a próxima jogada fosse uma carta que não gera qualquer efeito negativo ou positivo e arriscando lá joguei a minha carta de 0 pontos. Com alguma sorte essa carta acaba por sair e acabei por ganhar com isso, mas apenas desenrolei esta jogada pois sabia que cartas nevoeiro faltavam sair do baralho.

Todo o jogo se envolve neste tipo de jogadas, onde uma pitada de sorte se encontrar presente, mas com alguma destreza e uma boa memória conseguimos antever algumas situações e assim perceber qual a melhor jogada a realizar, apesar de estarmos sempre dependentes do que os restantes jogadores fazem. Aqui no grupo fizemos um primeiro jogo sem entender muito bem a lógica por trás deste jogo e chegamos ao final com uma ideia um pouco errada do que aqui se pode fazer, mas olhando melhor para o jogo e as suas possibilidades pode-se perceber que oferece mais do que demonstra à primeira vista, por isso não desistam e voltem a jogar.


Douro 1872 é um pequeno jogo de cartas que facilmente vai alimentar um serão de jogatina. Tal como Fado: Duetos e Desgarradas encaixa muito bem no meio da sessão ou como abertura. São jogos rápidos e apesar de requererem algumas capacidades não se torna muito difícil de se ensinar e jogar. O preço é muito bom para o que aqui se encontra e se tiverem oportunidade de adquirir os dois é o que aconselhamos. São os dois igualmente bons e apesar de por aqui se ter preferido o Fado, este Douro ainda vai voltar à mesa e quem sabe numa segunda volta a coisa não se torna mais interessante. A Pythagoras Games está novamente de parabéns pelo desenvolvimento destes dois títulos e deixaram a equipa do Café Mais Geek ansiosa por conhecer um pouco mais das novidades deste 2019.

Apenas como nota de término, estes e outros jogos vão poder ser encontrados para experimentar no Dia Mais Geek. Fica atento e acompanha todas as novidades no nosso site.
7
Douro 1872
Eduardo Rodrigues
Escrito por:

Nascido em Coimbra, a residir bem perto e a estudar cá. Considero-me um geek, um devorador de filmes e adoro ler um bom Comic. Gosto de videojogos e adoro o mundo Nintendo. Tenho uma pequena coleção que vai desde a Mega Drive até à Wii U. Adepto quase fanático da Briosa e um assistente fervoroso no estádio.

Sem comentários:

Enviar um comentário