Acabei de Acabar

Forza Horizon 4

Xbox One

Forza Horizon 4


Quando adquiri a minha Xbox 360, já em 2016 se não estou enganado, esta continha dois jogos, entre eles estava Forza Horizon. Até há data nunca tinha pegado em qualquer título desta saga, nem mesmo os que antecederam o nome Forza, mas sempre tive curiosidade em experimentar este Horizon pelo seu estilo um pouco mais arcada. Fácil será de perceber que assim que liguei a consola e o jogo fiquei altamente viciado. Joguei horas sem me aperceber e principalmente demonstrou uma beleza gráfica quase incomparável com qualquer outro título que tenha jogado daquela altura. Foi uma experiência única, tão divertida como já há muito não sentia num videojogo de corridas.

Após essa experiência sempre tive o interesse em pegar no segundo e terceiro capítulo da saga, mas acabou por nunca acontecer até que a Xbox One sai… o Forza Horizon 4 é mais tarde anunciado… a versão S da consola é lançada a um preço que depressa se tornou convidativo… na Black Friday de 2018 adquiro a belíssima Xbox One S branca com os comandos mais bonitos que já vi… o Café Mais Geek já há algum tempo com uma amizade estabelecida com a Xbox acaba por receber uma cópia do jogo algum tempo depois.


Demorei a escrever, mas não podia de forma alguma deixar de o fazer. Forza Horizon 4 é tudo aquilo que esperava e que podia querer neste género, mas ainda se tornou mais incrível quando liguei a consola à nova TV Philips 4K com a função de HDR e de ambient light ativa. Wow. As cores vibrantes do outono e da primavera, ou o quente do verão e o frio do inverno, tudo se parece sentir de uma forma como nunca vi. O jogo é incrivelmente detalhado e a liberdade que nos oferece é um salto incrível em relação ao que estava habituado. Saltei o segundo e o terceiro capítulo, por isso não posso dizer exatamente o que foi sendo melhorado, mas o choque que senti a passar do primeiro que aconteceu apenas em 2012 demonstra realmente o salto gigante feito apenas no espaço de 6 anos.

As paisagens retiradas da Escócia de uma forma fantástica que nos dão uma sensação de aventura e quase de um mundo fantástico, mas que sabemos bem que é real, transportam qualquer jogador para aquele mundo rapidamente oferecendo um nível de profundidade ao nível de qualquer outro jogo de outro género. O mundo fala por si próprio e quase sozinho nos envolve de uma forma única e indescritível.


Todo esse detalhe é depois encaminhado para os próprios carros que se apresentam com um nível de realismo que é sempre pedido neste género. Estamos a falar de uma função que deve ser sempre um dos pontos fulcrais, pois tal como nos jogos de combate é necessário que os personagens tenham carisma suficiente para nos fazer utilizá-los, aqui os carros têm de nos relacionar com o que conhecemos na realidade. Quantos de vocês já não sonharam em conduzir uma máquina daquelas caríssimas que nunca nos vai chegar à garagem, num ambiente paisagístico tirado de um filme e a uma velocidade só praticável em circuitos fechados? Bem eu já e as possibilidades que este jogo oferecem só me fazem deixar ainda mais horas naquela consola.

Numa altura em que as grandes aventuras como God of War, ou The Legend of Zelda: Breath of the Wild que garantem milhões de consolas vendidas, sinto que o Forza Horizon 4 consegue ser um título para vender consolas tão bom como os mencionados anteriormente. Talvez o público não entenda isso muito bem, porque a pergunta que fica é: compravas uma Xbox One por causa deste jogo? Bem a minha resposta é simples: Sim. Apesar de tudo e de uma forma menos directa quase foi isso que aconteceu. O lançamento deste jogo foi um dos grandes factores para esta aquisição e é sem dúvida um dos títulos mais fortes em termos de exclusividade.

Forza Horizon 4 é um título incrível, muito desafiante e com um nível de aprendizagem que nos pode levar à loucura em certos momentos, mas calma que isto não é uma crítica negativa, bem pelo contrário. As possibilidades que aqui são oferecidas, desde ambientes abertos em alcatrão, até circuitos de rally onde nos fazem pegar num clássico daqueles que o motor quase os faz levantar vôo, tornam complicada uma rápida adaptação e isto porque apesar de Horizon ainda ser a marca mais arcada de Forza, aqui o realismo está ainda mais apurado.


A sensação de velocidade é altamente realista e com uma boa televisão vão ter tanto para observar que tal como eu vão acabar a ter um enorme acidente porque estavam distraídos a apreciar aquele pôr do sol maravilhoso. Acho que continuar a escrever sobre este jogo só vos vai fazer perceber o quanto gosto dele. Apenas a questão da condução que gostaria que mantivessem um pouco mais arcada, mas muito porque a forma como esta saga se encaminha pode acabar demasiado semelhante ao título principal: Forza Motorsport.

Para mim um dos melhores títulos da Xbox One até há data e talvez o novo Halo Infinite venha a destronar este pódio, apesar de ser uma tarefa bem árdua. Se tiverem oportunidade de jogar, não a percam. Está no Gamepass e ainda pode ser jogado no PC, mas lembrando que vão precisar de uma máquina potente. Por aqui vamos continuar a delirar em altas velocidades nos épicos cenários da Escócia e esperamos que vocês possam experienciar exatamente o mesmo.
Eduardo Rodrigues
Escrito por:

Nascido em Coimbra, a residir bem perto e a estudar cá. Considero-me um geek, um devorador de filmes e adoro ler um bom Comic. Gosto de videojogos e adoro o mundo Nintendo. Tenho uma pequena coleção que vai desde a Mega Drive até à Wii U. Adepto quase fanático da Briosa e um assistente fervoroso no estádio.

1 comentário:

  1. Já não jogo consola à uns anos, mas quando jogava eram jogos desse género. Por isso, acredito que iria gostar :)

    Beijinho grande no coração <3
    www.danielasilva.pt

    ResponderEliminar