Hellboy


Viram Hellboy? Sim, este novo. O que acharam? Estranho? Diferente? Pouco necessário? Algo bom e algo mau? Exatamente, penso que estamos todos de acordo. A forma como toda a produção de um terceiro título se desenrolou previa exatamente aquilo que acabou por acontecer. Logo após o filme de 2008 com Guillermo del Toro no papel de realizador, este estava pronto para criar o terceiro capítulo desta história e os fãs estavam prontos para receber mais um título, tendo em conta a receção positiva dos primeiros dois filmes. Já o estúdio parecia não ter grande interesse e acabou por atrasar em demasia o início de produção, levando a que del Toro partisse para novas aventuras desistindo por completo deste universo. Agora e com grandes sagas vindas diretamente da banda desenhada a terem um enorme sucesso, o estúdio voltou a ganhar interesse no personagem, mas tarde de mais para vermos Guillermo del Toro interessado em continuar e assim acabamos com um filme totalmente novo que esquece por completo os restantes.

Assim acabamos com um filme que ninguém estava interessado e acabou por se prejudicar por si próprio graças a isso mesmo. O mais importante aqui a reter é que este novo filme não acrescenta nada de novo ao que já conhecemos, agora se nunca chegaram a visualizar os dois outros filmes, talvez tirem algum proveito deste título. Por isso mesmo vou começar por colocar alguns pontos que achei mais positivos e que penso serem do interesse de quem quer ver este filme, mas não sabe bem com o que contar. O filme conta com uma história altamente fiel ao que a banda desenhada original oferece. Neil Marshall oferece uma adaptação única aos arcos em que se inspira, podendo mesmo ser afirmado que esses arcos foram adaptados praticamente ponto a ponto, o que teoricamente irá agradar muito mais os fãs do material original. O próprio Hellboy está mais relacionado com o estilo que encontramos na banda desenhada, quer em aspeto, quer em personalidade. Infelizmente, apesar de esta relação mais fiel, falta-lhe o brilho que os filmes de del Toro conseguiram oferecer, ficando assim aquém de qualquer expectativa.


Outro aspeto muito bom neste filme é a violência que lhe está associado. Ao contrário dos anteriores, que tinham um aspeto um pouco mais cartoon, aqui temos muito mais sangue e situações realmente chocantes. Para quem gosta deste ser diabólico, caçador de monstros paranormais, será uma autêntica experiência cinematográfica adulta, com grandes momentos de ação e bons momentos de fantasia. Tudo isto só é afetado pelos efeitos especiais que em certos pontos não chegam bem ao patamar que se podia esperar. Apesar de tudo o filme consegue apresentar muito bem o personagem, os seus aliados e claro os seus inimigos. O lore está no ponto e este é talvez o mais positivo que aqui temos, com uma caracterização dos vários personagens bem construídas, talvez com exceção de Milla Jovovich que tem uma prestação pouco acima do razoável.

Hellboy não é um filme mau, mas é um reboot que ninguém tinha pedido com muito do público a antecipar muito mais um terceiro capítulo de Guillermo del Toro, do que um recomeço de toda a história. Tendo em conta que os dois filmes de 2005 e 2008 tiveram uma receção positiva e os fãs gostaram de como se encaminhava, apesar das notórias diferenças com a banda desenhada original, foi algo surpreendente perceber que iríamos ter de ver novamente uma história de origem de um herói que já tinha ficado conhecido, talvez assim se compreenda todas as críticas menos positivas deste filme. Por aqui não desgostamos e aconselhamos a visionar este filme, abstraindo-se dos anteriores, pois tenho a certeza que será muito mais agradável e relembrando que para os fãs da banda desenhada este está muito mais próximo de todo o ambiente que se esperava de Hellboy. Nunca esquecendo que nem sempre uma adaptação totalmente fiel é sinónimo de grande filme e talvez isso também tenha sido um aspeto que deixou a grande maioria do público menos satisfeito. Agora onde os filmes para vingar precisam de agradar às massas e deixar os nichos de parte, fica complicado para que um filme destes alcance o sucesso acima das expectativas, mas aconselhamos a dar uma oportunidade.
Eduardo Rodrigues
Escrito por:

Nascido em Coimbra, a residir bem perto e a estudar cá. Considero-me um geek, um devorador de filmes e adoro ler um bom Comic. Gosto de videojogos e adoro o mundo Nintendo. Tenho uma pequena coleção que vai desde a Mega Drive até à Wii U. Adepto quase fanático da Briosa e um assistente fervoroso no estádio.

Sem comentários:

Enviar um comentário