Zankyou no Terror


Zankyou no Terror foi exibido no verão de 2014, produzido pelo estúdio MAPPA e pertencente às categorias de Mistério, Psicológico e Suspense. Foi um anime que me indicaram já há muito tempo, pela sua história captante e surpreendente. A história começa logo com um assalto a uma usina nuclear, onde os assaltantes são desconhecidos, mas deixam para trás, cravado em vermelho, a palavra "VON". A polícia e o governo estão freneticamente à procura de pistas que pudessem levar aos assaltantes, mas não as encontram após várias buscas. Muito inteligentes e astutos, os assaltantes aparecem após seis meses com um vídeo no Youtube a dizer para Tóquio entrar em pânico. Apresentam-se como dois adolescentes mascarados de figuras de "Sphinx", lançando um desafio para as autoridades, como uma espécie de jogo para tentarem descobrir onde existia as bombas que haviam já plantado. A polícia tem várias dificuldades em desvendar os enigmas dos terroristas, sendo o detetive Kenjirou Shibazaki quem mais avança na investigação. É iniciada a história de Nine e Twelve, os rapazes por detrás das máscaras. Eles são cobaias de uma experiência feita pelo governo japonês. Não era suposto estarem vivos. 

A história retrata estes dois jovens, que não possuem ninguém que lhes é próximo, tendo o único objetivo de serem terroristas. Optarem por uma revolução contra a sociedade, criar anarquia no terreno de Tóquio. Mas este sentido rebelde advém do seu passado, criado pelos terrores a que foram submetidos, pelas dificuldades que passaram, graças ao intuito do governo japonês de criar humanos sobre-dotados. Nine e Twelve conseguem escapar e começam uma conspiração, toda ela articulada e planeada, contra as cabeças responsáveis pelo experimento.

O querer ser anarquista, o de não estar satisfeito com o sistema, com a sociedade. Não querem ferir ninguém, a não ser quem é realmente culpado.

Para além disto tudo, existe uma terceira personagem, Lisa, que vem trazer o lado humano dos dois rapazes. Ela aparece logo no início, sendo vitima de bullying na escola, e para além disso, quando chegava a casa ainda tinha uma mãe completamente histérica e doente. Twelve vai criando um afeto por ela, chegando ao ponto de a levar, de a tirar daquele mundo em que ela não queria estar. Com isso chega à parte que eu mais gostei no anime, que foi quando um dois estavam numa mota a fugirem de tudo, mostrando sentimentos de liberdade e alegria, de alívio e conforto. E isto também vem corroborar a fase por qual passavam, pelo que é ser jovem, aquela fase rebelde e ousada, o querer ser livre. Apesar de Lisa não saber fazer nada e estar sempre a atrapalhar os dois, ela vem perfurar o coração gélido de Nine e Twelve, estes que não confiavam em ninguém.

Sendo sincero sinto que o desenvolvimento das personagens é um bocado pobre, pois existem vários fatores e acontecimentos que aparecem, mas aparecem como uma justificação "barata", como se aparecessem do nada, sem algum propósito, quebrando um bocado o ritmo à história. Mas fora isso, gostei muito do que vi. O facto de vermos os polícias a avançarem nos dilemas, os terroristas a virem com novos tramas e engenhos, torna o anime com um ritmo muito dinâmico e intuitivo, lembrando um pouco de Death Note e a batalha entre Yagami Light e L. Gostei muito da animação, especialmente nos primeiros episódios com as explosões e a atenção aos detalhes no background, também do ambiente frio e melancólico que traz, caracterizando muito o sofrimento que a dupla de terroristas emanavam. O som também está no ponto, gostei muito das músicas, completando cada momento na perfeição.

Peço que tenham em atenção ao número dos episódios e como isso vai ter importância em relação às personagens, e o facto de não existir um episódio 12.
Rui Brandão
Escrito por:

Nascido no norte, mais precisamente no Porto. Desde novo que sempre gostei de jogar videojogos, principalmente de computador. Gosto muito de ver animes, mas também acompanho séries e filmes.

Sem comentários:

Enviar um comentário