A Whisker Away – Uma Poderosa Representação da Depressão

Se forem como eu, quando começarem a ver A Whisker Away, o mais recente anime original da Netflix podem pensar que vai ser apenas mais um filme emocional bem animado sobre uma adolescente que se transforma num gato para tentar ganhar o afecto de um rapaz. Mas, tal como eu, estariam bem enganados.

No seu núcleo, A Whisker Away é a história de Myio (apelidada de “Muge” pelos seus amigos e colegas) que tenta ganhar o afecto de Hinode, um rapaz que a ignora constantemente e é frio com ela na sua forma humana, mas mostra todo o afecto que ela deseja quando se transforma numa gata (a quem Hinode chama “Taro” em homenagem ao seu cão falecido) depois de comprar uma máscara a um vendedor com características felinas durante um festival que foi com a sua mãe.

Mas A Whisker Away é muito mais que isso, é uma longa metragem de animação que aborda muito mais do que uma história de amor adolescente. Aborda temas muito sérios como viver com depressão, dúvidas e insegurança, Compreender e respeitar as emoções das pessoas e até, como a sociedade se aproveita das pessoas durante os seus momentos mais vulneráveis.

Desde o início que nos é mostrado que Myio tem dificuldades em lidar com a sua situação familiar. O seu pai e mãe divorciaram-se, ela não gosta da madrasta e a sua mãe basicamente abandonou-a, e ao longo do filme, é triste vê-la a ser consumida pelas emoções negativas que a afligem e sentir-se sozinha no mundo. Por causa disso, ela recorre a fingir sorrisos e alegria para mascarar a constante mágoa que sente enquanto tenta alcançar qualquer coisa que a faça sentir que vale a pena continuar a viver. E é aí que aparece o Shopkeeper (como é apelado pelos outros personagens), que lhe oferece uma “solução” que a ajudará a sentir-se feliz durante algum tempo mas que, em última análise, não a ajudará a resolver os seus problemas, permitindo ao vendedor continuar a abusar emocionalmente de Myio, que fará tudo por pequenos momentos de felicidade.

Esta mensagem mais profunda sobre depressão pode ser facilmente perdida, se nos deixarmos distrair pela colorida animação em contraste com o estado emocional da personagem principal, mas é evidente quando analisamos como Myio não consegue sentir alegria em nenhum momento na sua vida, para além dos momentos que passa com Hinode como Taro; ou alguns dos diálogos especialmente emotivos (e bem reais para quem já passou por uma depressão) que Myio tem como “Por favor não te esqueças de ser minha amiga novamente amanhã”, “Então e se eu me estiver a forçar a sorrir? Faço-o porque quero” ou “Eu costumava desejar que o mundo acabasse. Todos os dias”.

Durante a maior parte do filme também se nota como Myio não tem muitos amigos, tendo uma melhor amiga sob a forma de Kaoru (uma amiga de infância) e uma ligação emocional com Hinode que, para durante grande parte do filme, é unilateral e exagerada pela mesma. E assim, quando ela perde uma dessas ligações após um momento traumático no qual Hinode lhe diz que a odeia, Myio cai numa espiral depressiva e acaba por cair no plano que Shopkeeper criou desde o início e concorda em ficar para sempre como Taro, desistindo do seu rosto humano e do seu tempo de vida humana, pois acredita os únicos momentos em que vai ser acarinhada e amada é a viver como Taro.

Mas A Whisker Away não é apenas uma boa representação de alguém que está a passar por uma depressão profunda, é também uma grande representação do que uma pessoa que sofre de depressão precisa para ser apoiada. Depois de concordar em ser uma gata para sempre, é-lhe mostrada, a própria vida, de uma nova perspectiva. Quando Myio é dada como desaparecida, os seus amigos, colegas e família unem-se de uma forma que nunca seria imaginável por ela antes, deixando as suas vidas para segundo plano para a procurarem.

E é aí que surge a segunda grande mensagem do filme, sob a forma de uma poderosa frase proferida por um dos professores de Myio: “Os sentimentos dos outros são um mistério para nós, o melhor que podemos fazer é adivinhar”. Assim, A Whisker Away não é apenas uma representação precisa da vida com depressão e de como ajudar as pessoas a passar por ela, mas é também uma grande mensagem sobre empatia, introspecção e compreensão.

Para além de, como já falei antes, Myio só se perceber o quanto as pessoas a amam quando “desaparece” e vê toda a gente à sua procura. Também outras personagens passam por momentos de crescimento emocional durante o filme, Hinode e Kaoru percebem que Myio não estava realmente feliz e apenas fingia felicidade com medo de afastar os seus únicos amigos se deixasse sair os seus verdadeiros sentimentos. Myio apercebe-se que Hinode não tem a vida perfeita que aparenta ter ao passar tempo com ele como Taro e notar que a sua família espera que ele siga uma carreira que este não quer, ao mesmo tempo que ele se questiona se é suficientemente bom para seguir o seu sonho de ser um artista. Kiako (a gata da madrasta de Myio) que compra a cara de Myio ao  Shopkeeper , com o objetivo de viver mais tempo com a sua humana, aprende que a sua humana sente falta da sua gata e da ligação de ambas e que Myio “Não consegue imaginar ninguém a amá-la. Nem sequer os seus pais”.

E é assim que A Whisker Away se torna marcante, não se concentra apenas em mostrar a depressão e como as pessoas passam por ela, mas mostra também como as emoções estão presentes em todos os aspectos das nossas vidas e não devemos evitá-las, mas pelo contrário, devemos aceitá-las e aprender a lidar com elas para nos ajudar a nós mesmos e aos outros a não cair nas armadilhas que a sociedade cria para tirar proveito dos nossos momentos negativos.

Não estou a tentar defender que A Whisker away é um filme perfeito. Especialmente o final é um cliché romântico que representa imagens erradas sobre superar a depressão, passando a mensagem que uma depressão pode ser ultrapassada rapidamente graças a uma epifania e mostrando uma relação amorosa como a solução para os problemas emocionais e de auto-estima. É preciso combater estas ideias e não promovê-las, mesmo sendo só como forma de dar um final feliz a um filme e deixar a audiência a sentir-se bem.

Mas, isso não tira o quão bom o resto do filme é a representar como é viver com depressão. A Whisker Away é uma mensagem poderosa de como é importante mostrar às pessoas que amamos e nos preocupamos com elas e nunca devemos presumir que sabemos como alguém se sente ou pelo que estão a passar sem dedicar um tempo para as entender.

E se, caso sejam umas das pessoas que felizmente nunca passou por uma depressão, e tenhas alguma dificuldade em perceber porque é tão difícil para alguém sair do ciclo de depressão, deixo-vos esta citação do filme:

No fundo, ela acredita que voltar só lhe trará dor e sofrimento.

Capa
8.5
Os Gatos Também Choram / A Whisker Away
Muito Bom
Ano 2020 Tipo filme
Distribuição por
  • Animação Atrativa
  • Perfeita Representação de depressão
  • Crescimento e exploração das emoções e motivações dos personagens encaixam perfeitamente na história
  • Final cliché e demasiado pensado em fazer a audiência sair com um sentimento de resolução que corta a seriedade da mensagem
Diogo Gomes
Escrito por: Diogo Gomes

Milenial com mestrado em Psicologia Clínica com especialização em Sexologia apaixonado por Artes, Videojogos e Tatuagens. Auto-intitulado Rogue que constantemente se perde na sua própria imaginação.