Demon Slayer

Por vezes tenho dificuldades em encontrar novos animes que me mantenham “colada ao ecrã” e que vejo todo até ao fim (sim, já desisti de imensos animes após os primeiros episódios). Por isso tive algum receio em ver o Kimetsu no Yaiba (aka Demon Slayer em inglês); mas com tanto “hype” à volta desta série e o facto de já ter visto alguns pequenos excertos deste anime nalguns concursos de cosplay, decidi começar a vê-lo.

Demon Slayer segue a história de Tanjiro, um rapaz que vai à aldeia vizinha para fazer algum dinheiro para a sua família vendendo carvão, e, quando regressa a casa no dia seguinte, descobre que toda a sua família foi brutalmente assassinada. Toda  excepto a sua irmã, Nezuko, que ainda parecia respirar. Tanjiro pega na sua irmã e começa logo a correr para aldeia para tentar salvá-la, sem saber que ela  já se tinha transformada num demónio. Assim começa a história destes irmãos e o seu percurso para encontrar a cura para voltar a tornar a Nezuko em humana, enquanto Tanjiro treina para se tornar num caçador de demónios (do inglês “Demon Slayer”), com ajuda de dois amigos – Zenitsu e Inosuke.

Este anime tem que ser um dos mais visualmente fascinantes que já vi. Cada cena é absolutamente linda e vibrante. As lutas de espada do Tanjiro são algumas das minhas batalhas preferidas em termos visuais; simplesmente adoro os efeitos que dão à agua das técnicas da espada. As ilustrações das personagens fazem-me lembrar imenso o estilo do Clamp. Se aprecias os efeitos visuais num anime, recomendo imenso verem Kimetsu no Yaiba.

Quanto à história e ao seu andamento, este anime é completamente diferente de qualquer anime shounen que eu já vi. Uma das diferenças mais notáveis é a duração das batalhas: ao contrário de tantos animes, em que as batalhas duram mais que um episódio, as batalhas de Demon Slayer durma só um episódio (às vezes até duas batalhas por episódio), o que ajuda imenso a não tornar a história aborrecida e repetitiva. Cada personagem introduzida e a sua história parece deliberada e não foi necessário fazer muitos “flashbacks” para perceber o porquê daquela batalha. Cada enredo ou personagem que seguimos tem uma parte importante para a história, não gastando tempo desnecessário para os telespectadores e a perder o seu interesse.

A evolução individual de cada personagem está bem concretizada. Vemos Tanjiro, Zenitsu e Inosuke a crescer no decorrer dos episódios para ultrapassar os obstáculos que lhes aparecem à sua frente. Por mais irritante que possam parecer inicialmente (para mim, principalmente o Zenitsu), acabamos rapidamente por gostar deles e a identificamos-nos em algum aspecto com eles.

No entanto, tenho que admitir que em dois momentos (o início e perto do fim da temporada, quando os nossos heróis encontram as Hashiras), estive perto de desistir de ver. Principalmente os últimos episódios, uma vez que as personalidades dos Hashiras (Demon Slayers de mais alto nível) eram demasiado excêntricos e nada relacionáveis – como raio conseguiram estar no topo da cadeia sendo tão detestáveis? No entanto, vemos as coisas pelas suas perspectivas e percebemos o porquê de reagirem assim.

Apesar de tudo isto, estou curiosa de ver a próxima temporada, principalmente o filme que sairá em Outubro deste ano. Sim, talvez haja muito “hype” à volta desta série, mas entendo o porquê.

Capa
8
Demon Slayer / Kimetsu no Yaiba
Muito Bom
Ano 2019 Tipo serie Episódios 26
Distribuição por
Estúdio
  • Estilo de arte
  • Lutas fenomenais
  • História pode ficar um pouco aborrecida
  • Algumas personagens não são relacionáveis
Cristina Gomes
Escrito por: Cristina Gomes

Serrana americana nascida nos anos 90, doida por mangas, manhuas, webtoons e tudo o que seja desse género... Cosplayer artesã de coisas em cabedal e adepta de noites de cinema ou sessões de "binge watching" de séries no sofá (desde que tenha pipocas).