Digimon Adventure: Last Evolution Kizuna – Análise com Minor Spoilers

Depois de muitas temporadas e filmes, a franquia Digimon sofreu um reboot que começou em Abril de 2020, com uma nova visão das personagens e da história. Mas para terminar a história da primeira versão, em grande, a Toei Animation deu-nos possivelmente o melhor filme Digimon feito até hoje, no qual a empresa colocou todas as fichas e não poupou em despesas com Digimon Adventure: Last Evolution Kizuna.

Ao trazer de volta o realizador Tomohisa Taguchi, conseguiram concluir um ciclo que há muito já pedia uma conclusão, da forma perfeita, à qual nenhum fã da franquia (mesmo os que, como eu, não seguiam as séries há anos) consegue ficar indiferente.

Uma história feita claramente para fãs de Digimon, o filme não perde tempo a explicar como o mundo digital, ou as digivoluções ou qualquer uma das bases da franquia funcionam e começa em grande com uma batalha no nosso mundo que está a ser invadido por digimons que estão a conseguir passar o mundo real por portais digitais.

A partir daí, Tomohisa Taguchi leva-nos numa jornada emocional sobre os prós e contras de crescer, deixar o passado para trás e abraçar novas experiências, enquanto temos de tomar decisões difíceis.

Digimon Adventure: Last Evolution Kizuna mostra-nos como todos os membros das duas primeiras séries de Digimon cresceram e em que fase estão da sua vida, mas principalmente focam-se em Matt e Tai, que estão a concluir um mestrado mas estão a ter dificuldade em ver qual será o próximo passo das suas vidas (algo com que muitos de nós nos conseguimos identificar).

Toda esta fase confusa se torna ainda pior quando descobrem que à medida que crescem a sua ligação com os seus Digimons vai desaparecer, tornando o filme muito mais sobre a relação entre Tai e Matt com os seus Digimons, Agumon e Gabumon, do que sobre uma aventura no mundo digital, como estamos habituados.

No meio de todo este tornado emocional, Matt e Tai vão ter de decidir o que é mais importante para si, manter a sua ligação com os seus amigos Digimons ou ajudar os restantes digi-escolhidos que estão em perigo quando um novo mal ameaça o mundo.

Sem querer entrar em mais spoilers, pois o impacto emocional da maioria das cenas do filme é o que o faz a excelente conclusão que é para a franquia, preparem-se para uma hora e meia de emoções complexas, tristeza e choro ao verem Matt e Tai lidar com decisões que são o espelho perfeito do que é crescer.

Um filme sobre os perigos da Nostalgia e ficar preso ao passado que nos dá esperança sobre o futuro é a melhor conclusão que os fãs de Digimon podiam ter pedido, entregando o que promete na introdução do mesmo,

“Isto não é um regresso ao passado é uma nova aventura e um novo começo com os nossos amigos digimon”
Capa
7.5
Digimon Adventure: Last Evolution Kizuna
Ano 2020 Tipo filme
Distribuição por
  • Realizador dos filmes originais de Digimon
  • Mensagem Madura e Comtêmporanea
  • Consegue evitar nostalgia ao memso tempo que traz de volta os personagens das primerias séries
  • Excelente conclusão à franquia
  • Foco em Matt e Tai passando para segundo plano outros personagens
  • Alguns momentos do filme mereciam uma explicação mais detalhada
Diogo Gomes
Escrito por: Diogo Gomes

Milenial com mestrado em Psicologia Clínica com especialização em Sexologia apaixonado por Artes, Videojogos e Tatuagens. Auto-intitulado Rogue que constantemente se perde na sua própria imaginação.