Prémios Eisner para várias série da G. Floy

Os Prémios Eisner foram anunciados, e este ano a G. Floy esteve muito bem com as suas escolhas, já que duas das principais categorias foram ganhas por livros a editora já lançou ou está prestes a publicar!
Gideon Falls, de Jeff Lemire e Andrea Sorrentino, ganhou o Eisner para Melhor Nova Série, estando já disponível no nosso país! Uma das mais inquietantes e perturbadoras séries de terror actuais, distingue um criador que está rapidamente a tornar-se num caso sério de qualidade e popularidade. Este foi aliás um “ano Lemire” em Portugal, com a publicação de Descender, que irá em breve para quarto volume, publicado pela G Floy Portugal; do primeiro arco de Black Hammer editado pela Levoir; e mais para o fim do ano teremos Roughneck, um dos mais poderosos romances gráficos deste autor Canadiano, publicado também pela G Floy!
Dustin Nguyen ganhou pela segunda vez o prémio de Melhor Arte Pintada/Multimédia, que já tinha vencido em 2015, pela maravilhosa e emocional série de space-opera que contas as aventuras do pequeno robot Tim-21, Descender.
Quanto ao Prémio para Melhor Novela Gráfica, foi para Os Meus Heróis Foram Sempre Drogados, da famosa dupla Ed Brubaker e Sean Phillips, uma história contada em modo “tragédia grega inevitável”, no universo de Criminal. Os leitores já puderam comprar e ler o primeiro volume desta série, e a partir de finais de Agosto poderão ler esta pequena novela, em preparação da chegada de Ed Brubaker à Comic Con Portugal, que começa no dia 12 de Setembro!
Finalmente, Matt Wilson, um dos mais maravilhosos coloristas de comics, ganhou o Eisner para Melhores Cores pelo seu trabalho em inúmeras séries, incluindo The Wicked + The Divine, editado pela G.Floy, e que já vai no seu terceiro álbum.
Cristiana Ramos
Escrito por: Cristiana Ramos

Dividida entre o mundo da Ciência e o mundo Geek. Viciada em livros e viagens. Espectadora assídua no cinema, especialmente se aparecer um certo Deus com cabelos loiros. Adora filmes de terror. Louca por cães, mas eles são tão fofos! Romântica incurável (apesar de não admitir).