Uncanny X-Force Vol.3: Extramundo

Neste livro está compilado o arco chamado Extramundo e mais três histórias individuais. 

Neste volume, o Fantomex é raptado pelo Capitão Bretanha, para ser julgado pela morte do jovem Apocalipse. A X-Force vai tentar salvar Fantomex mas depara-se com um inimigo perigoso que ameaça destruir Omniverso. A X-Force luta para salvar: o Omniverso da sua destruição e Fantomex de ser executado pelo Corpo dos Capitães Bretanha.

Honestamente não gostei deste volume. É claramente o arco mais fraco deste run de Rick Remender na X-Force, arriscando assim numa história mais esquisita e confusa. Este arco parece forçado e sem razão para existir. Por exemplo, o Fantomex está a ser julgado pelos acontecimentos finais do primeiro arco, mas porque é que só está a ser julgado agora? Não faz sentido visto que ele matou o jovem Apocalipse há algum tempo atrás. Eu percebo que Remender quisesse fazer um arco que não envolve-se o Apocalipse para separar a Saga do Anjo Negro e o arco da Execução Final (Volume 4), mas ao menos podia criar uma história em que estivesse melhor trabalhada.

Remender com este arco tenta prestar homenagem às histórias da equipa Excalibur focando-se muito nesse universo, o que para mim caiu por terra porque eu não conheço este universo do Extramundo e do Omniverso, fazendo com que ficasse perdido grande parte da história. No início do arco devia ter sido fornecida ao leitor de forma subtil informação acerca do Omniverso e os outros temas que são apresentados e que o leitor poderá desconhecer, para que leitores novos não se sentissem confusos e perdidos. No entanto para quem é fã da Excalibur e deste universo que envolve o Capitão Bretanha, deve gostar desta história.

A arte de Greg Tocchini é uma desilusão neste volume, pois nos livros anteriores arte é muito boa sendo até o ponto mais alto, mas neste parece apressada e às vezes amadora. Havia momentos em que as ilustrações fazia com que parasse de ler e ponderar se deveria continuar a ler este volume. Foi muito difícil acompanhar a história com este estilo de arte muito superficial.

A seguir a este arco temos uma pequena história em que o Nightcrawler tenta executar a sua vingança contra o homem de gelo maléfico do universo da Era de Apocalipse. A história em si é bastante divertida e a arte Phil Noto é muito boa, lavando-me assim os olhos da arte de Tocchini. A segunda história individual passa-se na Era do Apocalipse em que mostra os X-Men a resistir contras as forças opressoras de Apocalipse. Esta narrativa é mediana, sinto que não acrescenta nada à premissa principal mas também gostei de ver outra história neste universo desolado. Por fim a última parte faz parte do evento Fear Itself, a única coisa que vale a pena destacar é a arte de Simone Bianchi.

Contudo, eu não odeio este volume, simplesmente foi uma desilusão porque os anteriores tinham posto a fasquia muito alta. Embora a história seja fraca, sinto que se um artista melhor estivesse ao leme, este volume seria uma leitura muito mais agradável.

Capa
4
Uncanny X-Force Vol.3: Extramundo
Insuficiente
Lançamento dezembro de 2018 3/4
Distribuição por
  • A arte de Phil Noto
  • A arte de Greg Tocchini
  • Pouca informação fornecida ao leitor acerca do Extramundo e do Omniverso
  • História desinteressante e com pouca relevância
Miguel Real
Escrito por: Miguel Real

Full-time geek, apaixonado por banda desenhada e filmes. Apreciador de tudo o que a cultura pop tem para oferecer, excepto animes e mangas(¯\_(ツ)_/¯). Leitor compulsivo de Stephen King, jogador compulsivo de Rainbow Six Siege e viciado em boas séries de televisão. Fã de Breaking Bad, Alan Moore e Led Zeppelin.