Milagre na Cela 7

O filme turco Yedinci Kogustaki Mucize, traduzido para o Milagre na cela 7 em Portugal, conta a história da relação entre uma jovem garota chamada Ova e seu pai Memo, que tem um distúrbio cognitivo. Os dois vivem felizes, na sua pequena casa com a mãe de Memo, mesmo que por vezes sendo alvo de risota ou pena, até ao momento em que Memo é injustamente acusado de matar a filha de um oficial militar.

Memo acaba por ser enviado para a prisão pelo crime que não cometeu e a partir desse momento, nunca mais nos conseguimos desligar desta história. Apesar de estar sem o pai, Ova promete provar a sua inocência pedindo a ajuda da avó e da sua professora para encontrar a testemunha que Memo afirma ter visto no momento em que a rapariga que morreu tem o acidente. Ova não descansa até ser reunida com o pai, por muito que isso custe.

Enquanto isso, na prisão, a vida de Memo não começa bem quando prisioneiros se voltam contra ele ao ouvirem do crime que ele terá cometido. Pouco depois é condenado à morte por enforcamento quando é considerado culpado de assassinato.

A história desenrola-se enquanto Memo continua a conquistar os nossos corações e os dos seus companheiros de cela, com a sua personalidade cheia de felicidade e com uma esperança inabalável. Aos poucos os seus companheiros começam a duvidar de que este seria capaz de matar uma menina, principalmente quando vêem o amor incondicional que este tem pela sua filha, a forma como este fala e interage com ela. Planos começam a ser traçados para tentar que este não seja enforcado, para que a sua inocência seja provada, mas parece que tudo corre mal. Voltas e reviravoltas acontecem. Surpresas que nos deixam de espírito partido e sem esperança de um final feliz. A testemunha principal está desaparecida e tratando-se de um desertor as probabilidades deste se entregar à polícia são mínimas. As histórias dos outros presos vão entrelaçando-se com a de Memo e teorias começam a surgir sobre Ova, teorias que o filme inteligentemente deixa em aberto mas com pistas o suficiente para nos deixar depois a discutir uns com os outros e a falar sobre o filme.

Certos prisioneiros vão-se mostrando relevantes e importantes para a narrativa, e é interessante ver o seu arco desenvolver-se e o seu momento de redenção que vem com a presença de Memo e Ova nas suas vidas. A moral da história será sem dúvida que a bondade, o amor, a verdade nos libertará, que estas são as maiores armas que existem e que independentemente do desfecho, a nossa vida deverá ser regida por estes valores, porque só assim será uma vida bem vivida.

O filme não é baseado em uma história verdadeira, foi inspirado no filme sul-coreano do mesmo nome, lançado em 2013. No entanto, ao contrário da versão turca que atrai os corações, a adaptação original da Coreia do Sul é mais um drama de comédia. Na minha opinião, é neste pormenor que a versão turca transcende a original. Do início ao fim do filme, é uma avalanche emocional que nos empurra pela montanha abaixo, nos atira contra árvores e pedras e mesmo quando pensamos que nada pior pode acontecer, ficamos ali, em hipotermia, à espera de ser salvos por alguém que não parece vir.

Milagre na cela 7 captura a essência da natureza humana, o bom e o mau, o belo e o feio. Através do laço entre este pai e a filha abrimos os olhos para o resto da humanidade, e começamos a debatermos-nos sobre assuntos como abuso de poder, redenção, pena de morte, justiça, o amor ao próximo. Na realidade nesta história não há heróis ou vilões, apenas dois pais, duas filhas e um acontecimento trágico que desencadeia uma série de eventos que revelam apenas a complexidade e a fragilidade do ser humano. No fundo, ambos amam as suas filhas e fariam tudo por elas.

Com performances excelentes por parte de Memo (Aras Bulut Iynemli) e Ova (Nisa Sofiya Aksongur), talentos que de certeza vão ficar na nossa mira; e uma história que nos pontapeia no fundo da alma, extraordinariamente bem contada e surpreendente como já nos faltava há alguns anos para o género, este filme certamente tem tudo o que é preciso para se tornar um clássico que se revê todos os anos como é o caso de A Vida é Bela ou Do Céu Caiu uma Estrela. Um final que nos deixa de lágrimas não no canto do olho, mas em enxurrada pela cara baixo, sem dúvida é um dos melhores filmes do ano e que vale a pena ver.

Capa
9.5
Milagre na Cela 7
Yedinci Kogustaki Mucize
Incrível
Realização
Estreia 13 de Março de 2020 Duração 132 min
Distribuidor ,
  • Enredo surpreendente
  • Performances excelentes
  • Captura a essência da natureza humana
João Simões
Escrito por: João Simões

Viajante perdido à procura de sentido nas respostas dos outros. O personagem do Forky no Toy Story 4 em plena crise existencial é o meu animal espiritual. Quando ganhar um Óscar agradeço pelo meio à Cris e ao Ed se não me despedirem até lá.