O Falcão Manteiga de Amendoim

Faz poucos dias que vi O Falcão Manteiga de Amendoim, um filme do qual não planeava escrever uma crítica, queria ficar com ele para mim, como um daqueles tesouros que não se quer partilhar, aquele doce que se acha na gaveta e que se quer guardar. Porém, quanto mais tempo passava mais este filme voltava para mim. Após uma série de filmes que não me disseram nada, que pareciam mais uns daqueles que saem da fábrica, cópias uns dos os outros, O Falcão Manteiga de Amendoim destacou-se e implorou que escrevesse sobre ele.

Este filme podia facilmente ter caído na categoria dos filmes lamechas, mas não é o caso. Mesmo sendo uma história contemporânea e diferente, consegue evocar a essência de um daqueles contos do Huckleberry Finn e Tom Sawyer, uma história de amizade na estrada.

Uma das principais razões que faz o filme resultar tão bem é em grande parte graças ao elenco. No papel central de Zak, um jovem com síndrome de Down que foi entregue aos serviços sociais para que tomem conta dela contra a sua vontade e que sonha com um futuro maior do que aquele que a instituição em que se encontra lhe oferece, temos Zack Gottsagen. Os roteiristas e diretores Tyler Nilson e Mike Schwartz escreveram o papel especificamente para ele depois de terem sido surpreendidos pelo seu talento num campo para atores com deficiência. E Gottsagen entrega-se de pés e cabeça, com um desempenho emocional e persuasivo.

Zak quer mais do que o que parece que a vida tem reservado para ele, mais do que a maioria pensa que está ao seu alcance. O seu maior objetivo é frequentar a escola de luta do herói das suas cassetes. Para o conseguir fazer foge e assim começa esta epopeia. À sua procura está Eleanor (Dakota Johnson), uma rapariga que faz voluntário na instituição de Zak e com o qual tem uma relação de amizade. Contudo, como todo mundo, tende a subestima-lo no início. Quer protegê-lo. A única pessoa que vê seu potencial é Tyler (Shia LaBeouf), um pescador que se mete em sarilhos após a morte do irmão e que, por isso, se vê forçado a fugir também.

LaBeouf é extraordinário, como em quase todos os seus papéis, trazendo a esta personagem uma profundidade e tristeza quase pantanosa. Apaixonamo-nos pela maneira como se apaixona por Eleanor, a forma como interage com ela é atrevida, corajosa, refrescante no cinema. Toda a cena do seu primeiro encontro, o diálogo, a performance, o ambiente é revitalizante. Igualmente impressionante é todo o ambiente que Nilson e Schwartz conseguem criar. Místico, sujo, moralmente ambíguo, mas que se vai encontrando ao longo do filme, deixa-nos evoluir com as personagens, crescer com elas. Tyler é a única pessoa que não condescende Zak, e aos poucos ajuda-o a acreditar mais em si, não deixe que este desista, que use a sua condição como desculpa, agindo como um irmão mais velho que dá um pouco de “tough love” ao mais novo. Quando Eleanor finalmente os encontra, decidem todos continuar a aventura de encontrar o herói das cassetes e realizar os sonhos de Zak no ringue.

Com um final que assusta, este filme não só não tem vergonha, como possui um charme e franqueza inocentes, às quais LaBeouf e Gottsagen adicionam uma combinação vencedora de resistência e alma. Um argumento comovente e diferente que se traduz em duas horas de absoluta preciosidade que vale a pena ver.

Capa
9
O Falcão Manteiga de Amendoim
The Peanut Butter Falcon
Incrível
Realização ,
Estreia 29 de Agosto de 2019 Duração 01H37M (97 min)
Distribuidor
  • Shia LaBeouf & Zack Gottsagen
  • História contemporânea e diferente
João Simões
Escrito por: João Simões

Viajante perdido à procura de sentido nas respostas dos outros. O personagem do Forky no Toy Story 4 em plena crise existencial é o meu animal espiritual. Quando ganhar um Óscar agradeço pelo meio à Cris e ao Ed se não me despedirem até lá.