Quarteto Fantástico e o Surfista Prateado, de Tim Story

Na semana passada explorámos um pouco o desenvolvimento do filme que pela primeira vez reuniu um dos principais grupos de super-heróis no cinema. Pela primeira vez, mais ou menos, tendo em conta algumas questões que foram referidas no artigo anterior.

Quarteto Fantástico, de Tim Story

Hoje estamos aqui para falar da sequela, com o título Quarteto Fantástico e o Surfista Prateado, que leva ao grande ecrã todo o principal elenco do primeiro capítulo. Este é um filme de 2007, lançado dois anos após o primeiro, que conta novamente com Tim Story na cadeira de realizador. Na parte do guião temos algumas mudanças com a entrada de Don Payne, que vem substituir Michael France, e no apoio continua Mark Frost. Deixar ainda a nota que Don Payne trabalhou mais recentemente nos dois primeiros filmes da saga Thor.

Esta sequela apresenta uma série de histórias diferentes das bandas desenhadas transformando um dos grandes vilões da Marvel em algo muito estranho e que os fãs não gostaram de todo. A história do Surfista Prateado era algo que já há alguns anos estava planeado, como aliás é descrito no artigo da semana passada e que acabou por ser aqui aproveitado. Para muitos, acabou por ser o filme mais fraco dos dois lançados por Tim Story, já para a crítica especializada é mesmo o filme melhor, contudo é um filme fraco para todos.

A sua produção decorreu normalmente, num espaço de 2 anos após o lançamento do primeiro, conseguindo um orçamento ligeiramente mais elevado com cerca de 130 milhões de dólares para gastar. Já o lucro obtido acabou por ficar atrás do desejado pela 20th Century Fox e assim acabou por ver cancelados dois projetos futuros, sendo um deles o terceiro capítulo da saga principal e um filme totalmente focado no Surfista Prateado. O filme conta até com algumas cenas nos créditos que levantam algumas ideias daquilo que poderia ter sido o futuro desta saga.

Nomes como Laurence Fishburne, Doug Jones e Andre Braugher fazem parte do elenco deste segundo filme e alguns pormenores foram acrescentados ou modificados para levar o espectador para um mundo mais próximo das bandas desenhadas do quarteto. A introdução do Fantasti-Car, que apesar de pouco destaque é utilizado na fase final do filme, mais destaque para a personagem de Kerry Washington e ainda uma alteração no fato de Michael Chiklis, que tantos problemas trouxe na primeira produção. O fato quente do personagem The Thing não facilitou os trabalhos, e por isso foi criado um novo tipo de estrutura que o permitisse vestir e despir todo o fato entre cenas, podendo assim respirar um pouco de ar puro.

Antes de terminar, deixar apenas mais uma nota para um facto curioso relativamente a Jessica Alba, que no primeiro filme pintou o seu cabelo de loiro para a personagem, mas neste segundo capítulo acabou por usar apenas uma peruca. Deixo a questão se este pequeno detalhe seja um motivo para se reconhecer menos entrega por parte do elenco neste filme. O que acharam de Quarteto Fantástico: O Surfista Prateado? Por aqui, julgo que estes dois filmes em conjunto estão longe de vir a ser relembrados pela sua qualidade. Talvez por terem sido os primeiros grandes filmes deste grupo de heróis, mas em contrapartida e olhando para o filme de 2015, temos aqui dois belos filmes não acham?

Capa
Quarteto Fantástico e o Surfista Prateado
Fantastic 4: Rise of the Silver Surfer
Realização
Estreia 14 de Junho de 2007 Duração 01H32M (92 min)
Distribuidor
Eduardo Rodrigues
Escrito por: Eduardo Rodrigues

Considero-me um geek da cabeça aos pés. Adoro uma boa leitura, apreciar a arte da BD e da Manga, ver de uma assentada aquela série ou anime incrível, ir ao cinema e devorar um filme e deliciar-me com uma aventura interativa nos videojogos e nos jogos de tabuleiro. Sou um adepto da mágica Briosa e um assistente fervoroso no estádio.