Viagem ao Centro da Terra, de Eric Brevig

Para esta semana decidi pegar numa viagem mais leve que a anterior, aliás é mesmo uma viagem, mais precisamente uma Viagem ao Centro da Terra. Este é um filme baseado na obra de Jules Verne do mesmo título, que leva o espetador numa aventura por outro mundo, que está apenas uns quilómetros abaixo dos nossos pés. Viagem ao Centro da Terra é um filme de 2008, com realização de Eric Brevig, que é mais conhecido pelos seus efeitos especiais em imensos filmes de Hollywood, como Men in Black (MIB – Homens de Negro), Wild Wild West, Peter Pan de 2003, The Day After Tomorrow (O Dia Depois de Amanhã), The Island (A Ilha), John Carter, o primeiro Maze Runner (Maze Runner – Correr ou Morrer) e até o mais recente Doctor Sleep (Doutor Sono), entre muitos outros. Já no que toca à realização, além deste filme e de um episódio da série Xena: Warrior Princess (Xena – A Princesa Guerreira), apenas trabalhou noutro filme, o Yogi Bear (Zé Colmeia), realizando também o videojogo baseado no filme que hoje apresento.

É um filme produzido pela New Line Cinema que dispensa quaisquer tipos de apresentações, contando com filmes de grande valor em todos os aspetos, como a saga The Lord of the Rings, ou os mais recentes It. A Walden Media é também produtora deste filme, apresentando um conjunto de filmes familiares na sua coleção, como é o caso de Around the World in 80 Days ou Charlotte’s Web. Contando com um orçamento de 60 milhões de dólares, algo já baixo para altura em que foi feito, este filme acabou por conseguir arrecadar quase 250 milhões de dólares em bilheteiras, contando ainda com parques temáticos e um nível de marketing bem acima de muitas produções.

A produção em si, arrancou bem cedo, ainda durante 2001, quando o Eric Brevig foi apresentado como o realizador deste filme, algo que realmente se veio a comprovar. Já a equipa foi teve um grande crescimento em 2003, com a grande maioria do elenco a entrar na produção. Em 2005 foi ano do compositor ser anunciado, sendo este Andrew Lockington. Continuando para o ano seguinte, foi em 2006 que o filme ficou terminado no que toca a filmagens e fotografia. Além disso, foi nesta reta mais final que a New Line Cinema consegue os direitos de distribuição do filme, começando uma campanha de marketing que duraria praticamente um ano inteiro.

No que diz respeito ao elenco, aqui encontramos Brendan Fraser – famoso pela trilogia original The Mummy (A Múmia) -, Josh Hutcherson – que ganhou grande destaque pelo seu trabalho na saga The Hunger Games (The Hunger Games: Os Jogos da Fome) – e Anita Briem – que entrou na famosa série The Tudors (Os Tudors) – como os principais personagens, sendo a grande maioria do filme focado na aventura dos três pelo Centro da Terra. Ainda houve espaço para algumas participações interessantes como Seth Meyers, Jean Michel Paré e ainda Jane Wheeler.

Viagem ao Centro da Terra é uma aventura familiar muito interessante e que gosto de rever uma vez por outra. É um filme bem simples na sua essência e os efeitos especiais, aliados às cores bem fortes em algumas cenas acabam por realçar alguns momentos de forma bem diferente. O 3D que implementaram neste filme, algo ainda anterior ao apresentado em Avatar de 2009, é algo que se nota imenso estar presente durante algumas das cenas, tornando vários momentos um pouco estranhos para quem não está a ver a versão 3D. Um objeto ou um animal que salta em direção ao ecrã sem qualquer motivo, ou cenas com grande nível de profundidade que não seria totalmente necessário naqueles momentos, assim como as cores utilizadas são tudo indicadores da utilização do clássico 3D.

Sem grandes pretensões, este é a Viagem ao Centro da Terra. Gostaram deste filme? Viram no cinema em 3D na altura do seu lançamento?

Capa
Viagem ao Centro da Terra
Journey to the Center of the Earth
Realização
Estreia 28-08-2008 Duração 93 min
Distribuidor
Eduardo Rodrigues
Escrito por: Eduardo Rodrigues

Considero-me um geek da cabeça aos pés. Adoro uma boa leitura, apreciar a arte da BD e da Manga, ver de uma assentada aquela série ou anime incrível, ir ao cinema e devorar um filme e deliciar-me com uma aventura interativa nos videojogos e nos jogos de tabuleiro. Sou um adepto da mágica Briosa e um assistente fervoroso no estádio.