É Um Maravilhoso Mundo

Esta é uma das mais recentes novidades a chegar a Portugal no mundo dos jogos de tabuleiro e chega diretamente da MEBO Games. Este é um jogo vindo diretamente de França, com o seu designer Frédéric Guérard a ver o primeiro lançamento em Portugal, enquanto o artista Anthony Wolf é já conhecido por terras lusas devido ao lançamento do jogo O Rei de Tóquio, também publicado pela MEBO Games.

É Um Maravilhoso Mundo é um jogo até cinco jogadores e pode ser jogado a solo, tendo em conta que talvez o melhor número de jogadores seja mesmo entre três e quatro. O tempo pode ser bem disperso (algo que falarei mais à frente), mas está estipulado para demorar entre 30 a 60 minutos, dependendo também do número de jogadores. Já na ordem das idades, este está marcado para maiores de 14 anos, contudo é um jogo que provavelmente será de fácil adaptação para alguns mais novos.

Deixem-me falar um pouco de um ponto que raramente é discutido nestes jogos, a história. Normalmente, uma grande parte dos jogos de tabuleiro modernos apresentam algum tipo de história para enquadrar o jogador no ambiente e tornar tudo mais imersivo. Algo que muitas vezes acabamos por esquecer, mas esta está lá e pode ser interessante para muitos jogadores. Em É Um Maravilhoso Mundo vivemos num planeta completamente diferente daquele que conhecemos hoje. Houve um conjunto de Grandes Guerras que destruíram os países ou continentes como eles existem nos nossos dias e acabaram por se formar 5 grandes Impérios que levam o mundo por um novo caminho. Um caminho de prosperidade e principalmente de paz.

Como já poderão ter percebido, cada jogador em torno da mesa é um desses líderes de um dos impérios e tem como objetivo prosperar acima de todos os outros, mas sem guerras. A ideia é desenvolver o seu império em termos de recursos, quer a nível científico, de defesa ou dos recursos naturais do planeta. É interessante que o jogador pode explorar o seu caminho da forma como entender melhor, principalmente se todos jogarmos com os impérios standard, em que todos produzem os mesmos recursos inicialmente. Com alguma experiência, podemos virar as cartas do nosso império, onde a estratégia já poderá ser influenciada pela capacidade inicial que temos.

Havendo apenas quatro rondas no jogo, torna-se especialmente stressante nas últimas fases e passo a explicar. Dependendo da estratégia do jogador, pode acontecer que no final da terceira ronda ainda não se tenha produzido qualquer ponto e na última ronda eles apareçam. Deixem-me dar como exemplo a última sessão que tive com este jogo, onde na terceira ronda tinha 0 pontos de vitória e na quarta ronda consegui fazer 39 pontos, ficando ainda em 2º lugar num jogo de 5 jogadores. Muitas vezes acontece que na penúltima ronda nos pareça que ainda nada fizemos, mas com o ganho de experiência no jogo começamos a antever de alguma forma aquilo que poderá acontecer na última ronda e com um pouco de sorte para que ninguém te tente tramar na fase de draft, lá conseguimos resolver todos os problemas.

Das vezes que joguei, testei estratégias bem distintas e sempre me correram especialmente bem. Sempre garanti pontos suficientes para ficar em primeiro ou em segundo lugar, quer estes surgissem no início ou mesmo no final do jogo. É necessário olhar um pouco para o que vem aí e antever as próximas fases, mesmo com o fator do draft poder não ir ao encontro das vossas necessidades. Mesmo neste caso, existem formas de dar a volta ao sistema e conseguir levar a nossa estratégia avante. Todos os que jogaram comigo, mesmo sendo a primeira vez, rapidamente perceberam a ideia e a forma como deveriam escolher as suas cartas. Por vezes não há nenhuma interessante para escolher, mas há sempre a possibilidade de escolher uma carta que poderia ajudar um adversário.

É Um Maravilhoso Mundo é uma interessante entrada no catálogo da MEBO Games e mesmo com um nível de complexidade equilibrado, consegue ser interessante para todos os jogadores ao qual o introduzi. Jogadores com mais ou menos experiência gostaram do que ali se apresenta e querem mais, o que por si só já diz muito deste jogo. O jogo apresenta componentes muito bons, algo que até me surpreendeu tendo em conta que jogos de custos mais elevados por vezes não se destacam tanto neste ponto. Apenas vejo um possível problema neste jogo. Apesar de a duração estar marcada para entre 30 a 60 minutos, isto pode ser altamente variável. Acredito que há medida que vamos tendo mais experiência, ou se apanharmos algum jogador que demore mais tempo a preparar as suas ideias e estratégias, o jogo poderá prolongar-se imenso, devido principalmente à fase de draft.

Este é um jogo realmente bom em quase todos os seus aspetos. Uma arte que não deslumbra, mas funciona perfeitamente bem. Um jogo que se adapta muito bem ao nível do jogador. Divertido quando deve ser e ao mesmo tempo sério e complexo onde a nossa capacidade de pensar mais à frente é posta em prova. Uma bela experiência que devem ter em consideração e agora finalmente com regras em Portugal. Podem colocar o jogo É Um Maravilhoso Mundo na vossa lista de desejos, pois tenho a certeza que vão ter grandes serões em volta deste jogo.

Só em última nota, se forem vários jogadores convém terem uma mesa grande! Aviso de Geek!

Capa
8
É Um Maravilhoso Mundo / It's a Wonderful World
Muito Bom
Jogadores 1-5 Duração 30-60 Idade 14+
Distribuição por Lançado em 2019
  • Desenvolvimento estratégico interessante e adaptativo
  • Regras simples e de aprendizagem rápida
  • Componentes demonstram grande qualidade
  • O tempo de jogo depende muito de cada jogador, o que poderá destronar o ritmo de jogo
Eduardo Rodrigues
Escrito por: Eduardo Rodrigues

Considero-me um geek da cabeça aos pés. Adoro uma boa leitura, apreciar a arte da BD e da Manga, ver de uma assentada aquela série ou anime incrível, ir ao cinema e devorar um filme e deliciar-me com uma aventura interativa nos videojogos e nos jogos de tabuleiro. Sou um adepto da mágica Briosa e um assistente fervoroso no estádio.