“Fundação e Império” é lançado em Portugal

A Saída de Emergência continua, em 2020, a publicar os grandes clássicos da Ficção Científica.

Fundação e Império é o 2º volume da série Fundação escrita por Isaac Asimov, que já se encontra nas livrarias desde o dia 17 de Janeiro. O 3º volume intitulado Segunda Fundação vai ser lançado em maio. Isaac Asimov, é um dos maiores autores de ficção científica de sempre e a Fundação umas das séries de ficção científica mais aclamadas.

Guiada pelo seu fundador, o psico-historiador Hari Seldon, e tirando partido da sua superioridade científica e tecnológica, a Fundação sobreviveu à ganância e barbaridade dos planetas vizinhos. No entanto, agora tem de enfrentar o Império – que continua a ser a força mais poderosa na Galáxia, apesar de estar à beira do colapso.

Quando um general ambicioso, determinado a restaurar a glória do Império, envia a vasta frota imperial em direção à Fundação, a única esperança para o pequeno planeta de eruditos e cientistas reside nas profecias de Hari Seldon.

Mas nem Hari Seldon conseguiu prever o surgimento de uma criatura extraordinária, um mutante com um poder paranormal muito superior a qualquer outro jamais visto… um poder que poderá transformar um humano determinado num escravo.

SOBRE O AUTOR

Isaac Asimov. Nasceu na Rússia em 1920 e foi para os Estados Unidos com apenas três anos. Doutorado em Bioquímica, é um dos autores mais influentes e reconhecidos na área da ficção científica e da divulgação científica no século xx. Começou a escrever a série Fundação com 21 anos e ao longo da sua carreira escreveu mais de 470 livros sobre temas variados, apesar de ser mais reconhecido pelas aclamadas séries de ficção científica. Faleceu em abril de 1992

Cristiana Ramos
Escrito por: Cristiana Ramos

Dividida entre o mundo da Ciência e o mundo Geek. Viciada em livros e viagens. Espectadora assídua no cinema, especialmente se aparecer um certo Deus com cabelos loiros. Adora filmes de terror. Louca por cães, mas eles são tão fofos! Romântica incurável (apesar de não admitir).