Guerra & Paz traz várias novidades ao mundo da literatura

E Se Eu Fosse Inocente?

Na sequência da absolvição de António Joaquim no caso do homicídio do triatleta Luís Grilo, a Guerra e Paz vai publicar o livro E Se Eu Fosse Inocente?, obra colectiva de um conjunto de especialistas coordenados pelo advogado Ricardo Serrano Vieira.

Num trabalho, que constitui já um caso de estudo em Portugal, uma equipa multidisciplinar em larga escala, integrando peritos de balística, criminólogos, especialistas de cadeia de custódia de prova e de neuropsicologia, fonologia e linguagem corporal, fizeram o rigoroso trabalho de investigação de que este livro nos dá conta. Neste livro, o organizador, o advogado Ricardo Serrano Vieira, conta com intervenções de especialistas portugueses, espanhóis e brasileiros.

Um livro, a quente, que expõe as falhas da investigação policial e que interessa a todos os leitores e que vai agitar a comunidade jurídica, advogados, procuradores, juízes, inspectores policiais, juízes, criminólogos e estudantes de direito.

Saiba a razão pela qual António Joaquim, que já estava condenado na praça pública, foi absolvido. Em todo o país, numa livraria perto de si, já no dia 17 de Março.

História de Dois Patifes e Outras Prosas

Na semana em que se assinala o 109.º aniversário da morte de Fialho de Almeida, a Guerra e Paz, Editores, celebra o seu legado com uma antologia que reúne os seus seis melhores contos e ainda dois textos não-ficcionais que atestam a versatilidade da sua escrita.

Desde a hilariante e ternurenta história de dois gatos endiabrados, que dá nome à antologia, até ao delirante O sineiro de Santa Ágata, passando por histórias tocantes, como Sempre amigos ou O filho, e ainda o assombroso Ceifeiros.

Uma antologia que enriquece a colecção Clássicos Guerra e Paz, aplaudida e elogiada por leitores e críticos, que apresenta escolhas gráficas arrojadas e uma selecção de obras imprescindíveis para os amantes de literatura universal.

A edição inclui uma nota introdutória, uma autobiografia de Fialho de Almeida e uma cronologia biobibliográfica da sua época.

Já se encontra disponível nas livrarias.

Histórias da Justiça

Fascinado pelos casos bizarros que foi escutando ao longo dos anos, no exercício da sua profissão, o advogado António Canêdo Berenguel decidiu mergulhar nos arquivos dos fundos judiciais e recolheu as histórias mais inacreditáveis do século XIX e do ínicio do século XX. Desse trabalho nasceu Histórias da Justiça, uma rubrica da TSF que revela aos portugueses o rocambolesco passado do país.

Três anos e mais de 120 episódios depois, o autor da rubrica decide publicar alguns dos casos mais insólitos num livro homónimo. Em Histórias da Justiça, os leitores irão conhecer casos inarráveis, alguns deles hilariantes, capazes de surpreender os mais excêntricos.

Conheça o arrufo de ex-namorados que, por causa de simples sabonetes, terminaram na barra do tribunal, o estranho caso do autarca que se achou no direito de mudar a hora nacional, ou até de um barbeiro de província que fazia abortos com métodos bárbaros.

Homícidios e acidentes, furtos e contrabando, abusos de poder e enganos, afectos e ódios. Tudo cabe nesta selecção proveniente de um acervo documental único. Já se encontra disponível nas livrarias.

A Guerra Civil Portuguesa

De um lado, o progressista D. Pedro, liberal, adepto do constitucionalismo, defendia o direito à vida, à liberdade e à felicidade. Do outro, o tradicionalista D. Miguel, absolutista, considerava que o monarca deveria ser o centro do poder numa sociedade orgânica estratificada (nobreza, clero, burguesia e povo). Dois irmãos com ideias bem distintas para os destinos de Portugal, que atravessava, em pleno século XVII, uma crise sucessória, após a morte de D. João VI.

A crise de 1822 é o mote para A Guerra Civil Portuguesa, um livro que resulta de uma precisa investigação do professor, historiador e militar Fernando Rita, que se concentrou nesta obra, particularmente nas duas principais batalhas liberais, a Batalha de Almoster e a Batalha da Asseiceira, travadas na antiga vila de Santarém.  Foram conflitos determinantes para o fim do Antigo Regime em Portugal.

Reviva os um dos mais importantes episódios político-militares em território nacional, num dos principais epicentros da contenda, com base em documentos históricos, registos paroquiais, análises de quadros e dados estatísticos da época.

Conheça ainda os impactos desta guerra na região de Santarém, nos anos de 1833 e 1834, período de grande agitação social, económica e política, assim como a organização, estratégias de subsistência, tecnologia e tácticas dos exércitos de D. Miguel e D. Pedro na campanha militar.

Uma obra essencial para todos os escalabitanos, assim como para amantes de História e estudiosos de estratégia militar. Já se encontra disponível nas livrarias.

Cristiana Ramos
Escrito por: Cristiana Ramos

Dividida entre o mundo da Ciência e o mundo Geek. Viciada em livros e viagens. Espectadora assídua no cinema, especialmente se aparecer um certo Deus com cabelos loiros. Adora filmes de terror. Louca por cães, mas eles são tão fofos! Romântica incurável (apesar de não admitir).