O que é que a Imaginauta nos traz para Dezembro?

Como queres passar estes dias de chuva que se aproxima? Com as histórias de horror e loucura dos Contos do Rei de Amarelo, ou com a nova literatura de ficção especulativa de autores portugueses?

Antologia Ficção Especulativa Queer

Autores: A. M. Catarino, Joana Eça de Queiroz, Inês Montenegro, Marta Afonso, Maurício Lopes Júnior, Nuno R.
Introdução: Pedro Carreira
Ilustração da capa: Diana M. Marques
Edição: Carlos Silva
Revisão: Dália Rodrigues e Tomás Agostinho
Paginação e composição da capa: Carlos Silva
SINOPSE
Seis histórias de ficção especulativa de jovens autores portugueses protagonizadas por pessoas queer. Porém, a orientação sexual ou género é apenas uma das muitas facetas que as personagens têm. Os protagonistas têm personalidade e agenda própria, não são estereótipos, ou um visto na lista de coisas que uma história tem de ter para ser inclusiva.
Afinal, cada uma destas pessoas é única, como todos e cada um de nós.
Com a liberdade que só a ficção especulativa dá, esta antologia atreve-se a construir histórias povoadas com sexos, sexualidades e géneros que hoje ainda se encontram sub-representados na ficção.
Um pequeno, mas importante, passo num mundo que por vezes parece querer guinar de volta para a intolerância.

Contos do Rei de Amarelo

Autores: Robert W. Chambers, Ambrose Bierce
Tradução: Anton Stark
Ilustrações: João Pinto
Prefácio: António Monteiro
SINOPSE
Existe uma peça de teatro maldita de nome Rei de Amarelo.
O primeiro acto é inocente, banal, mas isso é tão somente uma armadilha, pois quem se atrever a ler o segundo, nem que seja a pousar o olhar sobre as primeiras palavras, está perdido.
E aí aprenderá sobre a cidade perdida de Carcosa, de estrelas negras e torres de trás da lua, banhada pelo lago Hali, o mistério das Híades, Hastur e Aldebaran, a Máscara Pálida e o terrível Sinal Amarelo. E tudo isto guia os leitores até ao Rei Amarelo, aquele que se apodera das mentes dos homens e controla até mesmo pensamentos ainda por pensar.
Primeiramente publicadas no final do século XIX e aqui traduzidas para português, as histórias dos infelizes corrompidos pelo Rei de Amarelo continua a causar temor e a inspirar dezenas de autores como H. P. Lovecraft, Grant Morrison, Neil Gaiman e George R. R. Martin e os criadores da série televisiva True Detective.
Cristiana Ramos
Escrito por: Cristiana Ramos

Dividida entre o mundo da Ciência e o mundo Geek. Viciada em livros e viagens. Espectadora assídua no cinema, especialmente se aparecer um certo Deus com cabelos loiros. Adora filmes de terror. Louca por cães, mas eles são tão fofos! Romântica incurável (apesar de não admitir).