The Toll

No mundo de Arc of Scythe, a morte foi conquistada. A humanidade vive num mundo utópico pós-mortal, onde a velhice e as doenças são coisa do passado. Regra e ordem são divididas entre duas entidades. Uma é a Thunderhead, uma AI (inteligência artificial) omnipresente e divina em todo o mundo, e o outro é o Scythedom, uma organização de assassinos treinados que escolhem pessoas para serem “colhidas” ou mortas. Embora a morte seja obsoleta, um certo número de pessoas ainda precisa ser mortas para controlar a população mundial. Enquanto o Scythedom e o Thunderhead trabalham paralelamente, eles são proibidos de interferir nos assuntos um do outro. Esta é a premissa dada pelos últimos dois livros da trilogia e que nos dá o tom para este último volume.

Ler também sobre o primeiro volume e segundo volume

Os tópicos dos dois livros anteriores são expandidos e entrelaçados numa narrativa complexa que explora as implicações filosóficas e morais de viver para sempre. Uma das coisas que esta trilogia faz muito bem é pegar nos problemas sociais da vida real e examiná-los através de analogias cuidadosamente construídas. Em The Toll, o relacionamento de Thunderhead e Greyson é semelhante a Moisés e Deus, enquanto o clima dentro da Scythedom é uma reminiscência da actual situação política da América.

Talvez o maior elogio que se pode fazer sobre esta saga é o facto de que cada livro adiciona outra camada de complexidade a uma base que foi construída no primeiro livro. The Toll baseia-se em todos esses conceitos e adiciona ainda mais ao insurgir uma seita religiosa enquanto o resto da população humana entra em tumulto depois que a sua confiança na Thunderhead é quebrada. Vemos ainda Scythe Goddard subir ao poder, um Scythe corrupto que gosta de sacrificar vidas humanas para o seu próprio prazer pessoal. É seguro dizer que há muito a ser abordado no livro final da série, e The Toll não só aborda todos esses conceitos, como também nos leva numa jornada para uma conclusão final sem precedentes.

Neste livro, o autor faz um trabalho de destaque ao capturar os motivos de cada um. Cada personagem secundária é bem construída e nunca é usados ​​convenientemente para levar a história adiante. Embora algumas críticas possam ser feitas, a por exemplo o facto de Rowan ser aparentemente a pessoa mais sortuda do mundo quando o assunto é matá-lo, na realidade cada vez que ele se safa de uma situação dessas é devido algo que fez no passado e que faz sentido ali. Uma dívida que tem de ser saldada, conexões que foram feitas. Todo o livro é inteligentemente desenhado para o final. Outra crítica que poderia ser feita trata-se da dinâmica de Citra e Rowan que neste livro fica para segundo, ou mesmo terceiro, plano até o último acto do livro. Eu não me importei com isso pessoalmente, mas os fãs do casal podem se surpreender ao ver a co-dependência emocional de Greyson e Thunderheads levar a história à frente.

A série Arc of Scythe é, na minha opinião, uma trilogia perfeita. O primeiro livro, Scythe, pondera a questão da vida sem morte; o segundo livro, Thunderhead, levanta as apostas de um mundo politicamente carregado, e The Toll é onde tudo culmina, um final nada previsível, estrategicamente planeado e que explica todas as perguntas que fomos colocando ao longo desta saga. A forma como The Toll aborda a inteligência artificial como inteligente e protectora da humanidade e não deixando cair-se no cliché de torná-la a vilã, é refrescante e emocionante. Todas as soluções que são encontradas não são o que estamos à espera, mas também não caem de pára-quedas, não parecem ter criadas apenas para o factor surpresa, mas sim pensadas de forma a nos dar um final diferente mas com sentido. Eu pessoalmente achei o fim extraordinário, embora seja difícil de aceitar que nem tudo acaba perfeito. De alguma forma, encerra a trilogia de forma humana, com erros e perdas, e não deixa de ser interessante que a solução para a imortalidade e os problemas que daí advêm pareça passar por introduzir a mortalidade de forma aleatória e quase artificial. Sem dúvida, uma reflexão interessante e que por si só merece que dediquemos o nosso tempo a ler esta trilogia fantástica.

Capa
9.5
The Toll
Incrível
Saga/Série Arc of Scythe 3
Data de Lançamento 5 de novembro de 2019
  • Final nada previsível, estrategicamente planeado
  • Enredo
  • A forma como aborda a inteligência artificial
  • Personagens fortes e sólidos
  • O romance fica um pouco esquecido
João Simões
Escrito por: João Simões

Viajante perdido à procura de sentido nas respostas dos outros. O personagem do Forky no Toy Story 4 em plena crise existencial é o meu animal espiritual. Quando ganhar um Óscar agradeço pelo meio à Cris e ao Ed se não me despedirem até lá.