Corações Marcados – O videoclipe mais longo da história
Publicado a 05 Ago, 2022

Baseado no romance de Tess Wakefield, Corações Marcados ou Purple Hearts retrata o casamento militar fraudulento entre Cassie (Sofia Carson), uma cantora e compositora que vive de pequeno espetáculo em espetáculo para poder sobreviver e comprar a medicação que precisa para a diabetes tipo 1, e Luke (Nicholas Galitzine), um ex-viciado que procura reconquistar a aprovação do pai ao alistar-se no exército americano. Embora ambos inicialmente busquem os benefícios do casamento por desespero financeiro, ela pode usufruir do seguro de saúde dele, ele recebe um subsídio por estar casado e pode pagar as dívidas que tem, algo muda com o tempo, e a relação de conveniência e ódio torna-se em algo mais. Claro que o acordo é ilegal e moralmente duvidoso, e se forem apanhados as consequências serão catastróficas, mas se conseguirem viver a mentira durante a turnê militar de Luke, o que pode correr mal?

A partir do momento em que se casam, Corações Marcados desenrola-se exatamente como esperado. No entanto, quando Luke é ferido em combate, este é obrigado a voltar cedo para a sua cidade natal no sul da Califórnia, forçando o casal falso a viver junto sem despertar suspeitas no pai de Luke. Ao mesmo tempo, a carreira musical de Cassie está aos poucos a descolar. Depois de escrever algumas músicas decentes, a sua banda passa de tocar em bares locais para arenas.

O maior defeito de Corações Marcados é que é extremamente previsível e nunca soa verdadeiro. O roteiro tenta ser profundo em alguns momentos, como no caso bem observado em que Cassie denuncia o racismo casual que pode existir dentro do exército, mas tudo o resto é um pouco óbvio demais para se tornar adequadamente algo com substrato. A diretora Elizabeth Allen Rosenbaum tenta mostrar-nos que Cassie é liberal e preocupada, mostrando bandeiras de Black Lives Matter e Pride penduradas na varanda. Infelizmente, é o tipo de conteúdo artificial com que a Netflix geralmente parece feliz em se contentar hoje em dia.

Corações Marcados acaba, assim, por ser um falhado e barato A Star Is Born que está tão determinado em satisfazer o algoritmo que nega qualquer senso ou coerência de si mesmo, nem sequer aproveitando o conceito que lhe dá o título.

Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é 77QQfiWRP2kTMXOhZULoHn3tb3S-1000x563.jpg

Em última análise, Corações Marcados tinha potencial para ser um melodrama pungente – ou talvez uma sátira afiada – sobre as opções disponíveis para aqueles deixados para trás pelo sistema de saúde dos EUA. Em vez disso, o filme mergulha em tramas e subtramas mais do que batidas, que apelam a um sentimentalismo barato e sem ter em conta a inteligência da audiência, agravadas pela falta de química entre os dois protagonistas. O filme consegue não ser nada ao tentar ser algo. O filme não é sobre guerra, embora retrate militares, não é sobre doença e o custo da medicação nos Estados Unidos, ou adição, embora as personagens principais teoricamente sofram com isso. No fundo, é um videoclipe para músicas decentes, mas que de história tem pouco, não chegando sequer a ser um romance, mas uma novela.

Assim Assim
Duração: 02H00M (120 min)
Distribuição:
Lançamento: 29 de Julho de 2022
5
Escrito por:
João Simões
Viajante perdido à procura de sentido nas respostas dos outros. O personagem do Forky no Toy Story 4 em plena crise existencial é o meu animal espiritual. Quando ganhar um Óscar agradeço pelo meio à Cris e ao Ed se não me despedirem até lá.