JoJo’s Bizarre Adventure: Golden Wind
Publicado a 26 Jun, 2021

Seguindo o velho costume de nos trazer histórias novas com um estilo familiar, JoJo’s Bizarre Adventure: Golden Wind leva-nos por mais uma aventura bizarra que adapta o quinto arco da manga de Hirohiko Araki.

Nos 39 episódios produzidos pela David Production (em 2018), Golden Wind transporta-nos para uma Itália mafiosa no início do novo milénio, mas além de um novo ar (perceberam? “vento”… “ar”… podem enviar as palmas por correio…), este novo capítulo também tem um novo protagonista. E assim que, dois anos depois dos eventos de Diamond Is Unbreakable, a ação encontra novo foco em Giorno Giovanna, o novo “GiôGiô”. Ah, mas essa não é a única ligação rebuscada ao nome “JoJo”. Pois é, acontece que Giorno é descendente direto do vilão Dio Brando, que aparentemente terá feito uma pausazinha de ser pura besta maligna para produzir um puto com canelones no cabelo.

Ainda assim, apesar do sangue que lhe corre nas veias, Giorno revela sair mais à família Joestar e, por isso, tem direito a reivindicar o papel de herói deste capítulo da saga.

Certo, certo. Chega de Giovannis e Pavarottis. O que é que se passa em Golden Wind? Bem, em Golden Wind seguimos a história de Giorno à medida que se junta a uma organização mafiosa com intenções subir na hierarquia e ser, como diriam os nossos compadres brasileiros, “o chefão”. É só isso. Giorno é um tipo de ambições simples. Pede pouco, o rapazinho.

Pelo caminho, Giorno faz amizades e inimizades, e mostra ter um poder digno da linhagem Joestar: é capaz de manipular vida. “Que raio?” perguntam vocês e bem. O que é que isso significa? Significa que pode dar vida a objetos inanimados e controlar o ser vivo resultante e tudo e tudo e tudo… bem, no fundo, significa que o escritor tem uma forma rápida e fácil de tirar o Giorno de qualquer situação, bem como de resolver qualquer problema que lhe surja à frente. É um poder super-abusado, sem dúvida.

Então, com uma personagem tão super-poderosa, a história será interessante? Bem, a maior dificuldade do nosso protagonista é exatamente a sua grande ambição. Ele quer destronar um fulano que nunca viu antes e que estará muito bem escondido e protegido por outros fulanos com super-poderes ridiculamente bizarros. Isto, sem contar que o próprio “boss final” terá habilidades à altura, claro. Por isso, não haja dúvida que além de muita ação, há também mistério e suspense à mistura.

Em termos de desenho, diria que tem algumas diferenças, nomeadamente sombras mais carregadas e uma palete de cores mais mediterrânica, que lhe dão um ar mais sério e dramático. Quanto à música, que não deixa de ser um elemento de grande relevo, apesar de ter uma batida rápida, soa bastante mais séria e épica comparada com os sons pop de Diamond Is Unbreakable.

Concluindo com a pergunta da praxe: Vale a pena? Como sempre, cada novo capítulo de JoJo tem o potencial de agradar a novos fãs (ou mesmo malta que não gostou do que viu até ao momento) e o potencial para desagradar fãs de longa data. Golden Wind dá mais um passo rumo à bizarrice e quem gosta de ver histórias estranhas com boa arte e poses “oh tão sexy” irá certamente apreciar. Força, mergulhem de cabeça. Aliás, diria que nem há outra forma de ver JoJo’s Bizarre Adventure.

A adaptação animada de Stone Ocean, a parte seguinte da manga, foi anunciada pelo autor e encontra-se em produção.

JoJo's Bizarre Adventure: Golden Wind
Criador:
Ano: 2019
Tipo: serie Episódios: 39
Distribuição:
Estúdio:
  • Positivo
  • Aventura isolada não obriga a ver tudo o que está para trás.
  • Excelente produção desde a arte à banda sonora.
  • Personagens únicas.
  • Negativo
  • Consegue enrolar um bocadinho.
Escrito por:
Pedro Cruz
"Spawned" em Aveiro no fim do início da década de 90, apreciador de amostras de imaginação e criatividade, artesão de coisas, mestre da fina e ancestral arte da procrastinação e... por hoje já chega. Acabo isto amanhã...