WandaVision – Um início diferente, mas brilhante
Publicado a 16 Jan, 2021

WandaVision já chegou à Disney+ e podemos dizer que chegou com tudo. Uma ideia diferente e tão irreverente que tinha tudo para correr tão bem como tão mal. Aliás, tenho de referir que até hoje não fazia a mínima ideia do caminho que esta série poderia tomar. A aposta da Marvel e até mesmo o desafio de criar algo tão único num Universo, que já muitas vezes fora criticado pela repetição de fórmula, não deverá ter sido fácil, mas rapidamente compreendemos que pode estar aqui um belo diamante. WandaVision não é uma série comum e o peso que tem sobre todo o MCU transforma cada um dos seus momentos ainda mais especiais.

WandaVision nos anos 50!

A série arranca num formato 4:3, a preto e branco, com efeitos especiais de época e carregada de referências aos anos 50. Este primeiro episódio mostra exatamente aquilo que iremos retirar da restante temporada. Todos sabemos o tempo real onde Wanda e Vision existem, por isso, rapidamente compreendemos que algo de estranho se está a passar naquele lugar. Podíamos aqui criar muitas teorias, mas há uma que me tem batido mais vezes aqui no interior do crânio. Já lá vamos.

Se esta série funciona como o arranque para a quarta fase de todo o Universo Marvel, podemos supor que a história desta série pode existir após os acontecimentos de Endgame. Vision não existe, Wanda está a passar por uma fase terrível e cria um universo totalmente alternativo onde poderia viver o seu final feliz. Mais alguém colocou estas linhas em cima da mesa? Bem, por aqui coloquei até à cena final, onde podemos ver o símbolo da S.W.O.R.D. Para quem não tem qualquer conhecimento desta sigla, este é um grupo tal como a S.H.I.E.L.D., que segundo a Marvel Studios, aqui tem o nome de Sentient Weapon Observation Response Division. Uma divisão que tem como objetivo observar os super poderosos heróis que vivem no planeta. Podemos olhar para esta divisão como uma continuação dos Acordos de Sokovia. Lembram-se?

Apesar de toda a estranheza envolta neste primeiro episódio, há alguns momentos que nos deixam pistas para o que aí poderá vir. De alguma forma, é percetível que a Wanda é quem está sobre o controlo de tudo o que acontece, mas por outro lado parece tudo demasiado estranho para ser assim e quando aquele símbolo surge no final abre uma série de novas possibilidades. Esta é a primeira vez que esta divisão encaixa na MCU de forma concreta. Parece que vamos ouvir falar muito da S.W.O.R.D. nesta fase 4.

WandaVision nos anos 60!

Apesar de estar muito à espera desta série, nunca me aproximei ou olhei com grande atenção para as imagens e vídeos promocionais. Sabia que a estranheza da série era o suficiente para me manter intrigado até à sua visualização. Por isso, não é de admirar que ao final do segundo episódio tenha finalmente compreendido aquilo que os posters já tinham mostrado: esta série vai passar pelas décadas de 50, 60, 70, 80, 90, e 2000. Terminando mesmo antes dos acontecimentos de Endgame. Lembrando sempre o que tínhamos aprendido no primeiro episódio, que tudo não passa de uma ilusão.

Se ainda havia dúvidas nessa ilusão, este segundo episódio rapidamente reflete isso através de vários truques. A introdução das cores, mensagens estranhas no rádio, pessoas a surgir que não deveriam estar naquele local, entre outros. Sempre com a S.W.O.R.D. como ponto de ligação entre tudo. Este segundo episódio continua a acrescentar dúvidas e sugestões, abrindo cada vez mais portas para o que poderá estar a acontecer com Wanda e Vision… ou só com Wanda.

Se o primeiro episódio teve uma construção de introdução muito bem desenvolvida, com momentos-chave que nos deixam à espera de mais, então o segundo episódio é a conclusão perfeita para essa introdução. O final do episódio com a introdução de um personagem misterioso pertencente à divisão, aliado ao outro final de episódio com a inclusão de cores e subsequente término dos anos 60, são a evolução perfeita para a continuidade desta série e servem totalmente como fecho para esta fase introdutória.

Introdução perfeita?

Pode não ser a série mais perfeita que já vistes ou a mais eloquente no que toca a dois simples episódios, mas é uma série única no seu todo. Uma homenagem às mais famosas sitcoms que entraram pelas casas de milhões de americanos. É uma série que vai ter muito mais valor para quem entende todas as referências, quer da Marvel, quer da televisão em geral. Principalmente, tenho de voltar a insistir em que estes são apenas dois episódios numa história que ainda tem muito para contar. Sinto que muitos vão ficar confusos e sem entender grande coisa, o que pode ser um fator conflituoso para os gostos da malta que está habituada às restantes produções da Marvel Studios. Contudo, tenho a certeza que tudo será respondido e que esta série será um passo na direção de um complexo e interessante enredo de toda a fase 4.

Pessoalmente adorei estes dois primeiros episódios. É bom ver algo novo, diferente e fresco no Universo Cinematográfico da Marvel. Estou ansioso por descobrir mais e nunca mais é sexta-feira. A Disney+ parece querer tornar as sextas-feiras mais agradáveis. Que bela introdução ao fim de semana, há uns meses com The Mandalorian e agora com WandaVision! Em março, será com O Falcão e o Soldado do Inverno… que estreia numa sexta! Perfeito.

Queremos saber a tua opinião.

WandaVision
Muito Bom
Criador:
Premiere: 15 de janeiro de 2021
Temporada: 1
Distribuição:
8.5
  • Positivo
  • Introdução muito interessante à história, com muito mistério e pormenores que vão deixar muito espaço para coisas novas
  • Formato diferente e muito único para o Universo Cinematográfico da Marvel
  • Interpretação muito distinta do que estamos habituados nos personagens, mas encaixa de forma perfeita neste formato
  • Vários detalhes que remetem a séries icónicas do passado e parece vir a ser uma constante no futuro da série
  • Negativo
  • Os primeiros dois episódios podem ser difíceis de compreender para quem não está familiarizado com a Marvel
Escrito por:
Eduardo Rodrigues
Considero-me um geek da cabeça aos pés. Adoro uma boa leitura, apreciar a arte da BD e da Manga, ver de uma assentada aquela série ou anime incrível, ir ao cinema e devorar um filme e deliciar-me com uma aventura interativa nos videojogos e nos jogos de tabuleiro. Sou um adepto da mágica Briosa e um assistente fervoroso no estádio.