The Terror: Infamy

The Terror: Infamy é a segunda temporada da série The Terror e, se viram a primeira e não gostaram, não fujam já. Tal como nas séries Fargo ou True Detective, esta nova temporada traz uma história diferente e completamente desligada da primeira.
Infamy conta a história de um grupo de imigrantes japoneses nos EUA que se vêem atirados para um campo de concentração após o ataque a Pearl Harbour. O facto mais interessante sobre esta série é, na minha opinião, a ligação entre as pessoas que trabalharam na série e as pessoas que estiveram nesses campos. Alguns são descendentes, mas entre os membros mais velhos do elenco encontram-se pessoas que viveram mesmo nesses campos. Não há dúvida, portanto, que há bastante dedicação. Em particular, George Takei, tanto actua na série como serve de consultor para garantir a precisão histórica da mesma.
Agora, isto não seria The Terror sem um elemento fantástico e, neste caso, tudo começa quando uma mulher se suicida após fazer veneno para ajudar uma rapariga a abortar a gravidez. Desde esse momento, o vento muda e traz do outro lado do oceano todos os maus presságios da cultura japonesa. Enfim, coisas estranhas começam a acontecer e o terror está no mistério e no suspense, por isso, mais não digo. O que posso dizer é que o que quer que esteja a perseguir estas pessoas vai com elas para o campo de concentração.
Tal como na primeira temporada, o foco do terror cai mais sobre os horrores que os seres humanos são capazes de infligir uns aos outros do que sobre a fantasia, que existe mais para criar tensão entre as personagens que na audiência. O que quero dizer com isto é que no que toca ao horror, não é muito pesado. Não depende de “jumpscares”, nem outras táticas baratas de pôr o coração a mil (coisa que sinceramente abomino no género). Em vez disso, a emoção vem da ligação com as personagens.
Entrando em mais detalhe, a acção foca-se em Chester Nakayama (Derek Mio), um fotógrafo que quer viajar, contrariando os desejos da família de assentar com um emprego mais estável. Ele não é rapaz de planos a longo prazo, nem da mentalidade mais tradicional dos seus pais, mas isso terá que mudar quando a sua forma de ver o mundo não consegue explicar os fenómenos estranhos que envolvem a sua família.
Com 10 episódios de cerca de 45 minutos, esta é uma óptima série para ver de jorrada numa noitada de Halloween ou para distribuir pela semana para entrar no ambiente da época. Claro, sempre acompanhada de pipocas ou outras coisas mais arrepiantes.
Este artigo pertence ao especial
Capa
The Terror: Infamy
Distribuição por
  • A 2ª Grande Guerra vista pelos olhos dos imigrantes japoneses nos EUA.
  • Horror "comestível" por quem não gosta de horror.
  • Tensão leve, mas constante até ao fim.
  • Um pouco longa.
  • Mistério menos misterioso que na primeira temporada.
Avatar
Escrito por: Pedro Cruz

"Spawned" em Aveiro no fim do início da década de 90, apreciador de amostras de imaginação e criatividade, artesão de coisas, mestre da fina e ancestral arte da procrastinação e... por hoje já chega. Acabo isto amanhã...