Assassins Creed: Valhalla vs Watch Dogs: Legions – O que comprar?

Depois de um ano de muitos atrasos e problemas no desenvolvimento de jogos, estamos a chegar a altura em que muitos jogos vão sair em datas muito próximas. Isto cria um dilema em muitos de nós, que não temos o dinheiro ou tempo para jogar todos estes jogos pelos quais esperamos à tantos meses.

Dois desses jogos são Assassin’s Creed: Valhalla e Watch Dogs: Legions. Dois jogos da Ubisoft que sendo desenvolvidos por dois ramos diferentes (Monteral e Toronto esepcificamente) irão ser disponibilizados para compra com apenas 12 dias entre eles (Watch Dogs Legions a 29 de Outubro e Assassin’s Creed: Valhalla a 10 de Novembro). Tenho a certeza que a Ubisoft preferia ter uma distância temporal maior entre os 2 jogos, mas estas foram as datas possíveis, o que está a causar a dúvida entre muitos jogadores sobre que jogo deverão comprar.

Bem, não se preocupem, é para isso que estou aqui, neste artigo vou fazer uma breve análise de ambos os jogos para vos ajudar a decidir qual se adequa mais às vossas necessidade de gamer.

Mapa e Mundo

Ambos os jogos terão um mundo aberto que poderá ser explorado sem barreiras invisíveis a bloquear o caminho em qualquer fase do jogo. Nada disto está confirmado, mas se os jogos seguiram a mesma lógica dos seus precedentes existirão zonas que só estarão abertas depois de algumas missões serem feitas ou serão demasiado difíceis de visitar no início do jogo por causa do nível de inimigos presentes, mas sem ser isso ambos os mapas poderão ser completamente explorados desde o inicio do jogo.

A grande diferença será o que iremos explorar. No caso de Watch Dogs: Legions, teremos um grande mapa que será uma representação detalhada de Londres no futuro, com a maioria das zonas existentes no jogo também a existirem na presente Londres. No caso de Assassins Creed: Valhalla, o mapa irá se expandir desde os países Nórdicos da Europa, a Britânia medieval, o Mar do Norte e há notícias de que na expansão que sairá quase em simultâneo com o jogo poderemos explorar França e Irlanda.

Se preferem um mapa extremamente detalhado que se expande por uma cidade inteira, Watch Dogs: Legions é o vosso jogo. Se preferem um mapa não tão detalhado mas com uma maior diferenciação de zonas, aponto para Assassins Creed: Valhalla.

Personagens Principais

Neste aspecto os dois jogos são como noite e dia.

No caso de Assassins Creed: Valhalla, teremos a hipótese de jogar como Eivor, um/a Viking que, tal e qual como em Odyssey, o seu género pode ser escolhido entre feminino e masculino no início do jogo, que tendo sido adoptado/a aos 9 anos pelo rei de um clã viking, Styrbjorn, depois de perder os seus pais, segue o clã na sua conquista e exploração da ilha de Britânia.

A roupa, cabelo e pinturas faciais de Eivor vão poder ser alterados ao gosto do jogador.

No caso de Watch Dogs: Legions, o jogador irá jogar como um grupo de rebeldes, o que significa que não irá existir apenas um personagem principal, mas vários. Segundo os produtores do jogo, praticamente todos os personagens do jogo serão possíveis de serem recrutados para  aliança, tornado-se personagens jogáveis. Alguns personagens serão desbloqueados fazendo missões para eles e outros estarão disponíveis com a season pass.

Todos os penteados, roupas e outros detalhes de customização poderão ser alterados pelo jogador.

Se preferirem um jogo que siga o mesmo personagem do princípio ao fim, Assassins Creed: Valhalla é o melhor para vocês. Se preferirem tentar algo novo e jogar como um grupo organizado de rebeldes que se ajudam uns aos outros e trocas de personagem entre as missões, Watch Dogs: Legions é o jogo.

Árvore de Habilidades e Upgrades

Em ambos os jogos, existirão árvores de habilidades que terás de desenvolver à medida que evoluis os personagens, mas é aí que param as semelhanças entre os jogos.

No caso de Assassins Creed: Valhalla, terá uma árvore de habilidades clássica em RPGs com vários grupos de habilidades que podem ser desenvolvidos para os mecanismos de stealth e combate. Para além disso, Eivor terá também a habilidade de fazer upgrade às colónias que irão ser conquistadas durante o jogo.

Enquanto a árvore de habilidades se poderá desenvolver com pontos de experiência ganhos com as missões, as colónias poderão ser desenvolvidas ao coleccionar materiais a explora o mundo.

No caso de Watch Dogs:Legions, terá disponível uma loja para comprar diferentes engenhocas e aparelhos para os membros da resistência, que poderão ser melhoradas e desenvolvidas durante o jogo.

Estes upgrades serão possíveis ao gastar dinheiro que se conquistará durante o jogo, nas as missões de história  principal e quaisquer missões secundárias.

Se gostarem mais de um mecanismo de upgrades mais clássico em RPGs, Assassins Creed: Valhalla é o jogo para vocês. Por outro lado, se preferem um modo de compra de novos aparelhos, Watch Dogs: Legions é a escolha.

Jogabilidade

Dois jogos feitos pela Ubisoft que têm tanto em comum como de diferente.

Ambos os jogos terão um consistente mecanismo de stealth. No caso de Assassins Creed: Valhalla, será a continuação do clássico stelath/parkour método com o qual teremos de tentar evitar inimigos ou ganhar uma vantagem posicional para depois os atacar de surpresa, misturando ambos os mecanismos de combate e stealth. No caso de Watch Dogs: Legions, o mecanismo de stealth não será tão crucial para o jogo mas estará bastante presente e maioritariamente associado à resolução de puzzles e ao mecanismo de hacking, onde teremos de conseguir resolver enigmas, abrir novas áreas e enganar os inimigos para os conseguir evitar e chegarmos ao nosso objetivo.

Assassins Creed: Valhalla terá um mecanismo de combate com mais influência na jogabilidade, onde poderemos escolher como combater, tal como em Assassin’s Creed: Odyssey ou Origins. Por outro lado, Watch Dogs: Legions terá um mecanismo de combate mais focado nas habilidades do personagem com que escolheres jogar, mais ao estilo de jogos como League of Legends ou Overwtach, onde a forma como o personagem luta com os inimigos depende de quem escolhes jogar e não tanto de como o decides fazer.

Tendo um mapa aberto, exploração será sempre um mecanismo muito importante em ambos, mas com algumas diferenças. Em Assassin’s Creed: Valhalla, a exploração será maioritariamente para viajar entre missões principais, missões secundárias e procurar matérias para desenvolver as colónias, enquanto em Watch Dogs: Legions será maioritariamente, para além da história principal, para procurar formas de fazer dinheiro e recrutar novos membros da rebelião.

Assim se preferirem um jogo mais ao estilo de um RPG clásscio, Assassins Creed: Valhalla é o jogo que devem escolher. Se por outro lado preferirem um jogo que mistura mecanismos de RPG com mecanismos de gestão de jogos de estratégia, Watch Dogs: Legions é o jogo ideal.

Espero que estes pontos vos ajudem a decidir o que jogar, e caso consigam comprar e jogar os dois, perceber as diferenças entre eles e qual será o vosso favorito. Por isso, decidam se preferem combater o Clã Kelley numa Londres distópica, que serve como aviso do que pode acontecer se como sociedade não tivermos atenção aos movimentos políticos. No outro lado da moeda, se preferem combater os templários na Britânia medieval na pele de um/a viking conquistador/a. No final de contas, foi confirmado que ambos os jogos partilham o mesmo universo, por isso agora o importante é explorar!

Diogo Gomes
Escrito por: Diogo Gomes

Milenial com mestrado em Psicologia Clínica com especialização em Sexologia apaixonado por Artes, Videojogos e Tatuagens. Auto-intitulado Rogue que constantemente se perde na sua própria imaginação.